+ SYLVIE PIERRE, JOSÉ CARLOS MONTEIRO, RUYCASTRO + WANDYR VILLAR (NOVOS TEXTOS + SALVYANO X GLAUBER) + UM P.S. de Rô Caetano

Segue, abaixo, texto da francesa Sylvie Pierre, grande amiga do Brasil (país onde residiu por alguns anos e que visita sempre que pode) sobre as polêmicas entre Glauber e Salvyano, a nova Cahiers du Cinéma, etc, etc. Seguem, também, textos do crítico carioca José Carlos Monteiro e mais um de Wandyr Villar, autor de livro sobre Salvyano. Antes, um P.S. – Nunca disse, em nenhum texto, que Glauber era um santo, que tratava a todos com palavras elegantes e mesuras. Se fizesse isso, estaria mentido. Ele era mercurial, muitas vezes exasperado… Fui testemunha ocular de “rompantes” dele, nos anos em que era frequentador assíduo da redação do Correio Braziliense (jornal no qual eu exercia a função de editora de Cultura). Tornou-se famosa a performance dele, contra Jean Rouch, no Hotel Nacional, numa das edições do Festival de Brasília do Cinema Brasileira (segunda metade dos anos 1970). O que fiz — e farei até morrer (já estou indo para os 70) — é questionar textos construídos com ódio (caso do que citei em minha resenha do livro de Wandyr Villar, publicada na Revista de Cinema). Foi o ódio o alimento de Salvyano ao legendar “A Idade da Terra” (e de quebra, agredindo “Terra em Transe” e o autor dos dois longas-metragens) no livro “História Ilustrada dos Filmes Brasileiros” (que tenho e consulto). Sem paixões, reflitamos juntos: quem dará crédito a um texto como aquele, que agride um dos maiores cineastas brasileiros de todos os tempos, autor de um filme — “A Idade da Terra” — selecionado para a competição do Festival de Veneza, um dos três maiores do mundo?? Quem aceitará avaliação “crítica” que destrói, com bilis e não com argumentos, o filme que foi elogiado por Martin Scorsese, quando de seu restauro com apoio da Film Fondation-USA (da qual o diretor de “Taxi Driver” é presidente) e da Cinemateca de Bolonha-Itália???? Um filme que foi eleito, junto com “Limite”, os dois melhores da história do cinema brasileiro, por pesquisa