CINEMA DO MÉXICO:
QUATRO VEZES CANTINFLAS,
“LOS OLVIDADOS” DE BUÑUEL,
ESTÚDIOS CHURUBUSCO,
“MARIA CANDELÁRIA” EM XOCHIMILCO,
“ENAMORADA” EM CANNES,
TIN TAN NA ZONA ROSA,

A memória do cinema mexicano está, em certa medida, espalhada pela capital do país. CANTINFLAS, o grande ator cômico, tem sua estátua exposta em dois lugares: em frente ao Hospital Alvaro Obregón, na colônia Roma (bairro que é tema do novo filme de Alfonso Cuáron), e na Plaza do Toros, que ele frequentava assiduamente. E está no centro de mosaico criado por Diego Rivera para a monumental fachada do Teatro Insurgentes (onde o ator e diretor Diego Luna faz temporada teatral). Um grande poster do mesmo Cantinflas enfeita, junto com muitos outros, a fachada dos Estúdios Churubusco.

Em nossas andanças pela capital mexicana, no bairro Condessa, encontramos um ‘basurero’ recoberto com imagem de LOS OLVIDADOS (Os Esquecidos, 1950, de Luiz Buñuel). E não era por acaso. A imagem se fazia acompanhar do aviso de que, ali, o bruxo espanhol, que viveu por longos anos no México, filmara o longa-metragem que o revelaria como um dos gênios do cinema, em Cannes, e que faria de André Bazin um grande estudioso (e difusor) da obra buñuelina.

Na saída do Metrô Reforma, na Zona Rosa, há uma escultura de TIN TAN, o cômico mais famoso do cinema mexicano, depois de Cantinflas (na TV, Chaves e sua turma continuam imbatíveis).

Em Xochomilco, hoje bairro da capital, que foi, com seu canal e traineiras enfeitadas de flores, cenário de MARIA CANDELÁRIA, há um grande poster, aue relembra esta memória cinematográfica do país de Folores del Rio e María Felix. O filme foi premiado no primeiro Festival de Cannes, no generoso ano de 1946, portanto no pós-Guerra. Cannes premiava seis ou sete filmes, pois o humanismo e a generosidade davam as cartas naqueles duros anos de reconstrução.

Nesta quinta-feira, dez de maio, todos os jornais mexicanos deram amplas matérias sobre a sessão de ENAMORADA (de Emílio “Índio” Fernandez, o mesmo de “Maria Candelária”), que Martin Scorsese, Olivia Harrison, viúva do beatle George, e Thierry Fremmaux apresentaram em Cannes Classics. Com vistosas fotos e significativas chamadas de capa, os jornais registraram, inclusive, brincadeira de Scorsese: ele pediu ao diretor de Cannes, que contasse aos presentes como Fernández costumava reagir a críticas negativas publicadas nos jornais.

— “A tiros”, esclareceu Thierry, que também abriu três campos de batalha nesta edição número 71 do festival francês: guerra à Netflix, às selfies no tapete vermelho e à (parte da) imprensa que destrói filmes antes de terminar de vê-los. Com brevíssimos comentários digitais.

A vida de EMILIO INDIO FERNÁNDEZ é cercada de lendas. Ele, afinal, foi — além de diretor dos maiores filmes NATIVISTAS da era de ouro do cinema mexicano — também ator (inclusive de Sam Peckinpah) e criador de casos. Diz-se que andava sempre armado e que matou um homem. Há quem diga que matou três. O espanhol-mexicano Paco Ignácio Taibo I — pai de Paco Ignácio Taibo II (este biógrafo de Pancho Villa e de Che Guevara, que acaba de lançar o best seller PATRIA, em três volumes) — é autor do livro EMILIO INDIO FERNANDEZ, EL CINE POR MIS PISTOLAS, publicado pela Universidade de Guadalajara e esgotado. É autor também de um livro sobre “A História Popular do Cinema Mexicano”. Rodamos todos os (muitos) sebos da Calle Donceles, atrás da Catedral, e não encontramos nem vestígio dos dois volumes. E os dois TAIBOs são verdadeiros monumentos mexicanos (todas as livrarias e sebos têm lugar reservados para a prolífica obra da dupla). Torço para que o Festival Guadalajara, comandado por Ivan Trujillo, relance estes dois livros.

****Legendas das fotos abaixo:

1. Tin Tan na Zona Rosa. 2. 3. 4, 5, 6 e 9 – Estátuas de Cantinflas no Hospital Obregón e na Praça de Touros. Ele no centro de mosaico de Rivera no Teatro Insurgentes e em poster nos Estúdios Churubusco. 7. Poster de “Maria Candelária” no Canal de Traineiras floridas em Xochimilco. 8. ‘Basurero’ de lixo reciclável embalado com “Los Olvidados”, de Buñuel. 10. Fachada dos Estúdios Churubusco. ****Aguardem meu tardio Balanço dos Prêmios Platino (no Almanakito), Bilheterias Brasileiras e vejam fotos da Riviera Maya, Cidade de Mexico/Xochimilco, Cuernavaca

e Taxto no meu facebook.

Enviado do meu iPhone