MÉXICO, CDMX — Dois momentos ligados ao cinema mexicano: cartaz de MARIA CANDELÁRIA, de Emilio Índio Fernández, numa margem do Canal de Xochimilco, e

de LOS OLVIDADOS, de BUÑUEL, numa lata de lixo seletivo, na Colônia Condessa. Aguardem sequência de fotos de CANTINFLAS na memória mexicana. ERRATA: o nome certo dos bailarinos que dançam voando e de cabeça para baixo, que assistimos em XOCHIMILCO é LOS VOLADORES DE PAPANTLA. ***Hoje, dia de museus fechados, fomos a livrarias e sebos comprar livros de Paco Ignácio Taibo I,

o pai, e Pablo Ignácio Taibo II, o filho. Eu queria a biografia que TAIBO I escreveu de EMILIO ÍNDIO FERNANDEZ e que foi publicada pela Universidade de Guadalajara. Não encontramos. Mas encontramos outros livros dele (incluindo biografia romanceada de María Felix) e, claro, o mais recente livro de Taibo II, PÁTRIA, em três volumes, um best seller recém lançado, que já vendeu 100 mil exemplares. *** Além da estátua de TIN TAN, a cidade do México conta com duas estátuas de CANTINFLAS (na Colônia Roma e na Plaza de Toros). E relembro que ENAMORADA, de Índio Fernandez, com María Felix, será exibido no FEST CANNES 2018, em copia restaurada, apresentada por Martin Scorsese.

Enviado do meu iPhone