RICARDO DARÍN CONVIDA O PUBLICO A PRESTIGIAR “LA ODISEA DE LOS GILES” NO ESPAÇO ITAÚ DE CINEMA

A ODISSEIA DOS TOLOS
Novo Darín movie estreia

dia 31 de outubro no Brasil,

depois de estrear na Mostra

Assisti, no paulistano Espaço Itaú Augusta, ao trailer de “La Odisea de los Giles”, novo Darín movie (e desta vez na companhia de Chino Darín, seu filho ator, e de outros grandes nomes do cinema argentino, como Luis Brandoni). Na direção Sebastián Borensztein, o mesmo do tocante “Um Conto Chinês”.

O trailer me lembrou comédias amargas, aquelas sobre adoráveis perdedores, engendradas por autores italianos da grandeza de Mario Monicelli e Dino Risi. Aguardemos.

O novo filme de Darín foi indicado pela Argentina para disputar uma vaga no “Oscar internacional” e será exibido na Mostra Internacional de Cinema de São Paulo (17 a 30 de outubro, em 26 salas paulistanas e uma campineira).

Não me entusiasmei com a tradução brasileira para “La Odisea de los Giles”: “A Odisséia dos Tontos”. Não que esteja errada. Mas, ouvinte entusiasta de “Cambalache”, megassucesso de Carlos Gardel, sempre imaginei para “gil” tradução mais forte: otário ou tolo (idiota dá ao termo seu sentido mais pejorativo). Como Ricardo Darín ama filmes agridoces, o ideal – na minha opinião – seria “A Odisseia dos Otários”. Ou “A Odisseia dos Tolos”. O adjetivo “tonto” anda meio em desuso no Brasil. Ou estou enganada?

Por fim, transcrevo os versos de “Cambalache”, que me apresentaram, pela primeira vez, a palavra “gil” (ril): “El que no llora no mama/ y ele que no afana es un gil” (O que não chora não mama/ e o que não afana é um otário”). Ou um tolo.

Ah, nas salas do Circuito Itaú de Cinema, ao final do trailer, somos convocados pelo próprio Ricardo Darín a prestigiar o circuito de Adhemar Oliveira, que exibirá “La Odisea de los Giles”. Circuito, registremos, sempre aberto e generoso com os filmes do carismático astro argentino.