FEST GRAMADO 2017 — HOMENAGEM A PAULO AUTRAN (KARIN RODRIGUES) E AO CASAL LUCY E LUIZ CARLOS BARRETO

********FEST GRAMADO 2017 — HOMENAGEM A PAULO AUTRAN E AO CASAL LUCY & LUIZ CARLOS BARRETO

Para lembrar seus 45 anos e suas 45 edições, o Festival de Cinema de Gramado está homenageando personalidades com significativos serviços prestados ao festival e ao audiovisual brasileiro. Na noite desta segunda-feira, 21, os homenageados foram Paulo Autran, in memoriam, e os produtores Barretão & Lucy. À tarde, foi exibido o documentário de longa-metragem PAULO AUTRAN, O SENHOR DOS PALCOS, de Marcos Abujamra (com depoimentos de Fernanda Montenegro, Bibi Ferreira, Ulisses Cruz, Beth Coelho, entre outros). À noite, a companheira do grande e saudoso ator, KARIN RODRIGUES, subiu ao palco para receber a homenagem. A atriz, que foi uma das protagonistas de AS FILHAS DO FOGO, de Walter Hugo Khouri, integralmente rodado em Gramado, lembrou o amor que ela e Autran tinham pelo Rio Grande do Sul. “Adorávamos nossas temporadas teatrais gaúchas. O Teatro São Pedro é maravilho. Paulo amava atuar lá. E amávamos passar nossas tardes conversando com Mafalda Verissimo em sua casa portalegrense”. Com elegância e alegria, a atriz ergueu a placa que registra a homenagem gramadense ao ator em inesquecível pose para os fotógrafos, tendo ao lado os produtores Barretão e Lucy. O agradecimento do casal também foi digno de nota. Lucy lembrou sua primeira vez em Gramado, com “A Estrela Sobe”, de Bruno Barreto, no início dos anos 1970, e o amor que a família tem pelo Rio Grande. Afinal, na Serra Gaúcha, eles filmaram “O Quatrilho”, de Fábio Barreto, que concorreu ao Oscar de melhor filme estrangeiro em 1997. Barretão, por sua vez, mostrou o poder inabalável de sua oratória. Oratória que ele vem exercitando há mais de seis décadas dedicadas ao cinema. O produtor, registre-se, gosta de apresentar-se como militante do PCB (Partido do Cinema Brasileiro). Barretão lembrou sua primeira vez em Gramado (com “A Estrela Sobe”). “Eu tinha 43 anos. Sigo com esta mesma idade (ele fará 90 em maio do próximo ano), pois os desafios do cinema brasileiro são imensos. Nós que passamos pela Ditadura e, por fase ainda pior, os Anos Collor, quando nossa industria cinematográfica foi arrasada, não podemos abandonar este combate”. Os três homenageados foram muito aplaudidos.