******CINECEARÁ 2017 — O cineasta cubano Carlos Lechuga, diretor de SANTA Y ANDRES, um dos sete longas da competição cearense, aparece, nesta foto, ao lado de sua protagonista, a atriz Lola Amores, e de sua produtora Claudia Calviño (de preto). O filme, que é um dos dois representantes de Cuba no festival, vem percorrendo competições internacionais desde outubro do ano passado, mas segue inédito em seu país. Sua exibição no Festival de Havana foi vetada, assim como sua exibição comercial. SANTA Y ANDRES mostra a amizade que nasce, na década de oitenta, entre uma jovem camponesa, a serviço da Revolução, e um escritor homossexual e dissidente. O filme foi feito sem apoio do ICAIC, o Instituto Cubano de Arte e Indústria Cinematográfica, mas conseguiu aportes posteriores para sua finalização com produtores da Colômbia e França. A Alemanha efetivou seu apoio através de uma igreja evangélica. O custo total foi de 300 mil euros.

Enviado do meu iPhone

Anúncios