******CINECEARÁ 2017 — O cineasta Paulo Pons, 43 anos, gaúcho radicado no Rio de Janeiro, apresentou e debateu, no CineCeará, seu terceiro longa-metragem, PEDRO SOB A CAMA. O fez na companhia de dois de seus atores, Fernando Alves Pinto e Suzana Castelo (de vermelho), e da produtora Danielle Penteado. Autor de “Vingança”, realizado em 2008, com apenas R$70 mil, ele continua apostando em filmes de baixíssimo orçamento. PEDRO SOB A CAMA custou R$150 mil. Terceiro longa do realizador gaúcho-carioca (o segundo foi ESPIRAL), “Pedro Sob a Cama” foi filmado integralmente em Pedro Osório, no Rio Grande do Sul, município onde ele nasceu. Contou, para tanto, com auxílio de familiares e amigos que emprestaram casas, objetos e deram todo o tipo de ajuda possível. Embora a pequena cidade gaúcha seja cenário integral do filme, ela não é identificada, nem os atores lançam mão de acento regional em seus diálogos. O realizador, que já tem mais um longa em fase de finalização — “Paula ou a Primeira Pessoa do Singular” — diz que sua intenção era situar sua narrativa em uma cidade de fronteira. E que teve filmes do Leste Europeu, em especial a nova safra romena, como fonte de diálogo. Para encabeçar o elenco, Pons convidou Fernando Alves Pinto, de TERRA ESTRANGEIRA, TONICA DOMINANTE e PARA MINHA AMADA MORTA. Coube a ele interpretar o dilacerado Mariano. A atriz Letícia Sabatella e a veterana Betty Faria fazem participações especiais. Completam o elenco Konstantinos Sarros e Pedro Furtado (o primeiro como Maní, enteado de Mariano, e o segundo como seu filho Pedro), e Fernanda Thuran. Fernando Alves Pinto dá vida a um homem marcado pelo passado, que retorna, oito anos depois de tragédia familiar, à sua cidade natal, para encontrar filho que não conhecera, o menino Pedro. O garoto buscará o pai de forma inusitada. Ou seja, o acompanhará em seu dia-a-dia escondido secretamente sob a cama paterna. O ator lembrou o prazer de voltar a trabalhar no Rio Grande do Sul, depois de anos (lá fizera “Anahy de las Misiones”, de Sérgio Silva, “projeto fascinante” realizado logo após “Terra Estrangeira”). E acaba de filmar mais uma vez no Rio Grande do Sul. Agora, com Zeca Brito, em seu primeiro longa ficcional, LEGALIDADE.

Enviado do Ipad de Rosário

Anúncios