******FEST GRAMADO 2016 — ANO 44 — Dois diretores trouxeram o CINEMA BLACK para a linha de frente da competição de curtas do Festival de Gramado: o pernambucano MARTINHO MENDES (na foto abaixo, de bata laranja, ao lado do cineasta e parceiro FELIPE PERES CALHEIROS), um dos sete diretores do coletivo CRIOULAS VIDEO, que assina BLACK OUT, e o paulistano (de Itaquaquecetuba, periferia da capital) FABIO RODRIGO, que dirigiu LÚCIDA, ao lado de CAROLINE NEVES. Os dois curtas têm temática e protagonistas negros. No caso pernambucano, vemos os habitantes do mais bem estruturado quilombo do estado de Pernambuco em uma noite de apagão. Eles reveem as registros em imagens daquela noite de escuridão e as comentam. O quilombo, gerido pela ASSOCIAÇÃO QUILOMBOLA DE CONCEIÇÃO DA CRIOULA (AQCC), já preparou vários de seus integrantes para o ofício do audiovisual. O CRIOULAS VIDEO participou dos filmes SERRA DAS PRINCESAS e de curta-processo, que registrou passeio desta comunidade quilombola à praia. MARTINHO MENDES, que veio representar o audiovisual do quilombo de Conceição da Crioula em Gramado (ao lado do combativo PERES CALHEIROS, autor do poderoso ACERCADACANA) qualificou-se em Oficina ministrada pela Universidade de Belas Artes do Porto (Portugal) e tem contatado, em seus projetos, com a parceria do Centro Cultural Luiz Freire e com editais do BNB (Banco do Nordeste), bem menos burocratizados que os demais, sejam municipais, estaduais ou federais. Já o paulistano FABIO RODRIGO formou-se em cinema numa faculdade particular, graças ao apoio do MTST (Movimento dos Trabalhadores Sem-Teto, comandado em São Paulo pelo sociólogo Guilherme Boulos). E passou pelas importantes OFICINAS KINOFORUM, ministradas pelo Festival Internacional de Curtas-metragem de SP, comandado por Zita Carvalhosa. A estas instituições, FABIO soma tudo que aprendeu com o movimento HIP-HOP do final dos anos 1980, começo dos 90. “Foi o hip hop daquela geração”– contou ele no debate — “bem mais duro e incisivo que o de hoje, que me levou ao cinema black dos EUA, aos filmes de Spike Lee”. O cineasta nutre grande interesse pelo cinema do mineiro André “Ela Volta na Quinta” Novaes, mas ao contrário deste (dono de imensos senso de humor e amor pelo cotidiano) assume sua pendências para “as tragédias diárias”. ***ACOMPANHE FLASHES DIÁRIOS DE GRAMADO NO SITE DA REVISTA DE CINEMA

Enviado do Ipad de Rosário

Anúncios