CITRONELA DOC (ILHABELA) + O ADEUS A BELMONDÔ + PLATINO DE HONOR PARA DIEGO LUNA + PAULO FREIRE ALÉM DA ALFABETIZAÇÃO: LANÇAMENTO ON-LINE, HOJE + REVISTA DE CINEMA

+ A LUZ DA AFRICA NO CCBB + CITRONELA DOC + O ADEUS A BELMONDÔ + PLATINO DE HONOR PARA DIEGO LUNA + PAULO FREIRE ALÉM DA ALFABETIZAÇÃO. LANÇAMENTO ON-LINE, HOJE + REVISTA DE CINEMA

+ O ADEUS A BELMONDÔ
+ Jean-Paul Belmondo (1933-2021): morre em
Paris o ator de Godard, Truffaut, Melville e Malle

+ PLATINO DE HONOR PARA DIEGO LUNA
O parceiro de Gael García Bernal e de Maribel
Verdú em “E Tu Mamán, Tambien”
receberá um Platino de Hornor

+ PAULO FREIRE ALÉM DA ALFABETIZAÇÃO.
LANÇAMENTO ON-LINE, HOJE + REVISTA DE CINEMA

+ Programação completa do
CITRONELA DOC (Festival de Documentários Ilhabela)

******* TODOS convidados para LIVRO PAULO FREIRE
ALÉM DA ALFABETIZAÇÃO. LANÇAMENTO ON-LINE,
hoje, 20h30, no espaço digital da FUNDAÇÃO PERSEU
ABRAMO do novo livro de Venício Artur de Lima (UnB)

*******O ator mexicano Diego Luna receberá o
Prêmio de Honra da VIII Edição dos Prêmios
Platino do Cinema Ibero-americano

·
Com apenas 41 anos, Diego Luna é um dos maiores expoentes
da indústria audiovisual ibero-americana em todo o mundo.

· Atuou em diversas produções ibero-americanas com destaque para “E sua mãe também” e “Soldados de Salamina”, bem como em filmes de Hollywood – “O Terminal”, “Elysium”, “Um dia chuvoso em Nova York”, “Rogue One: uma história Star Wars”. Além de séries como “Narcos: México”, que lhe valeu o Prêmio Platino de Melhor Interpretação Masculina em Minisséries em 2019.
· O prêmio será entregue na Grande Gala dos Prêmios Platino, que se realizará em Madri no dia 3 de outubro, com transmissão do Canal Brasil.

Madri, 6 de setembro de 2021– Diego Luna terá reconhecida sua intensa carreira na produção cinematográfica, sempre envolvido com a arte e a cultura ibero-americanas, trabalhando à frente ou por trás das câmeras. Com este prêmio, Diego se junta a Sonia Braga, Antonio Banderas, Ricardo Darín, Edward James Olmos, Adriana Barraza e Raphael na galeria dos grandes personagens de nosso cinema.

Diego se destacou não só pelas suas grandes atuações, mas também por dirigir produções como o documentário “César Chávez”, centrado no ativista mexicano. Em 2005, Luna e seu amigo de infância Gael García Bernal criaram a turnê “Ambulante Gira de Documentales”, festival itinerante dedicado à produção não-ficcional ao longo da geografia mexicana. Em 2008, fundaram a empresa “Canana Filmes”, uma produtora que tornou possível a criação de “Rudo y Cursi” (de Carlos Cuarón), “Post Mortem” e “No” (ambas dirigidas por Pablo Larraín). Em 2018, a dupla fundou a Corriente del Golfo, uma nova produtora estabelecida no México, que lhes serve de base para o desenvolvimento de projetos comunitários, bem como produções para cinema, teatro e TV. Entre elas a série “Todo va a estar bien”, para Netflix.

Os Prêmios Platino do Cinema Ibero-Americano, promovidos pela EGEDA, (Entidade de Gestão dos Direitos dos Produtores Audiovisuais) com FIPCA (Federação Ibero-americana de Produtores Cinematográficos e Audiovisuais) e com o apoio das Academias e Institutos de Cine Ibero-americanos, destacam as produções e criadores mais importantes a cada ano, com vinte duas premiações e um Prêmio de Honra.

+ REVISTA DE CINEMA + A ÚLTIMA FLORESTA, DE BOLOGNESI
+ NESSA QUINTA-FEIRA: FEST CINEFANTASY
+ NESSA SEXTA-FEIRA COMEÇA
O FESTIVAL CITRONELA DOC EM ILHABELA-SP

. Citronela DOC – Festival de Documentários de Ilhabela. Dessa sexta-feira, 10 de setembro, até domingo, dia 12. Sessões diárias às 15h00, 16h30, 18h00, 19h30, 20h30 e 22h00. Serão apresentados presencialmente (no Esporte Clube Ilhabela e em sala secundária) e debatidos vinte filmes. Com acesso também on-line (plataforma Todesplay – http://www.todesplay.com.br), nesse caso, por prazo mais largo: de 10 a 16 de setembro. Toda programação pode ser acessada no endereço: http://www.citroneladoc.com.br. Promoção da Salga Filmes, com apoio da Lei Aldir Blanc e da Prefeitura Municipal de Ilhabela.

PROGRAMAÇÃO:

. Sexta-feira, dia 10:

1500 – Curtas-Metragens (Finado taquari, Liberdade, Lara, Gilson)

16h30 – Longa-metragem (Espero Que Esta Te Encontre e que Estejas Bem)

18h00 Debate – Afetos, Memórias e Documentário.Com Natara Ney (Espero que Esta te Encontre), Raimo Benedetti (Ponte de Bambu) e Maristela Colucci (fotógrafa Ilhabela). Mediador: Francisco Cesar Filho

19h30 – Abertura – Pocket show com Luna França e Fidura.

20h30 – Longa: “Utopia e Distopia”

22h00 – Longa; “Favela é Moda”

.Sábado, dia 11:

15h00: Curtas (Ponte sobre Abismos, O Que Pode Um Corpo?, Receita de Caranguejo, Perifericu)

16h30 – Longa – “Chico Rei Entre Nós”

18h00: – Debate – Existências Negras – Com Joyce Prado (Chico Rei Entre Nós), Aline Mota (Ponte Sobre Abismos) e Nega da Capoeira (Movimento Negro de Ilhabela). Mediadora: Marcia Vaz

19h30 – Conversa com Realizadores – O Documentário LGBTQIAP+: Caminhos e Possibilidades -Participantes: diretores dos filmes O Que Pode um Corpo, Limiar e Perifericu. Mediador: Marcio Perez

20h30 – Longa: “Minha Fortaleza, os Filhos de Fulano”

22h00 – Longa: “Limiar”

Domingo , dia 12:

15h00 – Sessão de Curtas (Acende a Luz, Entre Nós e o Mundo, Swinguerra)

16h30 – Longa: “GIG – A Uberização do Trabalho”

18h00 – “A Jangada de Welles”

19h30 – Conversa com Realizadores – “Online ou presencial? A experiência do cinema nas telas”- Aberto aos realizadores. Mediadora: Carol Misorelli

20h00 – Encerramento do Festival e exibição de “A Ponte de Bambu”.

******LUZ DA ÁFRICA

CENTRO CULTURAL BANCO DO BRASIL BRASÍLIA, DE 06 (HOJE) A 19 DE SETEMBRO DE 2021.

Mostra exibe online filmes recentes de diretoras
africanas ou afrodescendentes premiados
pelo New York African Film Festival

*Exibições on-line e gratuitas através da plataforma bb.com.br/cultura, dentro do programa CCBB em Casa

FOTOS EM ALTA:
https://www.flickr.com/photos/98687634@N06/albums/72157719710174321

Vibrante, diverso, o cinema africano ainda é bastante desconhecido do público brasileiro. Uma mostra vai oferecer oportunidade de ter contato com essa cinematografia que é marcada por grande criatividade narrativa e por uma multiplicidade de temáticas, paisagens e estéticas. E mais: com a particularidade de todos os filmes serem assinados por mulheres. Assim é LUZ DA ÁFRICA, uma realização do Centro Cultural Banco do Brasil em Brasília que acontece em dois tempos. De 6 a 19 de setembro, a mostra será totalmente on-line e gratuita, com exibições de filmes, apresentações musicais e encontros virtuais com realizadoras e curadoras através da plataforma bb.com.br/cultura, dentro do programa CCBB em casa. O #CCBBemCASA foi criado no início da pandemia, como medida de segurança, e disponibiliza conteúdos exclusivos da programação.

LUZ DA ÁFRICA vai apresentar 13 filmes selecionados entre a produção cinematográfica recente assinada por mulheres e premiada nas edições de 2017 a 2020 do célebre NYAFF – New York African Film Festival, evento que acontece há 30 anos e que trabalha para dar visibilidade às artes e à cultura de países africanos. O recorte curatorial se concentrou na cinematografia feminina e leva a assinatura da atriz e ativista Maria Gal, da produtora e diretora Carina Bini e da música e pesquisadora Alissa Sanders.

LUZ DA ÁFRICA conta com o patrocínio do Banco do Brasil e tem a produção da Atman Filmes e Criações.

O FESTIVAL

Através da programação, o público brasileiro poderá conhecer um pouco da vida, da cultura e também das questões sociais que caracterizam a realidade de diferentes países, através do olhar e do pensamento de realizadoras africanas ou afrodescendentes do mundo todo. Nesta primeira edição, LUZ DA ÁFRICA optou por exibir títulos premiados no importante NYAFF, o Festival de Cinema Africano de Nova York, considerado essencial para aumentar, dar visibilidade e reconhecimento aos artistas africanos no exterior.

Dentre os 13 títulos selecionados pela curadoria, estão produções inéditas como “Subira”, de Ravneet Chandha, sobre uma mulher de espírito livre que luta contra os costumes tradicionais do país. De 2018, o filme foi o primeiro a ser indicado ao Oscar pelo Quênia. Também queniano, “Lua Nova”, de Philippa Ndisi-Herrmann, recebeu vários prêmios em 2018 ao abordar os impactos da construção de um moderno porto sobre a vida de uma pequena ilha islâmica.

A programação inclui ainda “Min Alesh?”, filme etíope de 2019, que fala sobre a paixão de uma mulher pela corrida e de como esse esporte pode ajudar a mudar a vida de toda a família. Também “O Som das Máscaras’’ coprodução Moçambique, África do Sul e Portugal, que promove uma viagem pelo passado e presente de Moçambique, através da dança e da contação de histórias.

A mostra contempla a produção brasileira, com filmes assinados por diretoras negras. Atual diretora da SPCine, a cineasta Viviane Ferreira assina “Um dia com Jerusa”, que tem a grande atriz Léa Garcia no elenco e que apresenta um tocante retrato de diferentes gerações de mulheres negras de São Paulo. Da diretora Renata Martins, LUZ DA ÁFRICA exibe “Sem Asas”, que ganhou o Grande Prêmio do Cinema Brasileiro de Curta-metragem em 2019 e que apresenta uma história comovente e infelizmente bastante recorrente no Brasil. E a cineasta Sabrina Fidalgo comparece com duas produções, “Alfazema” e “Rainha”. Sabrina foi eleita pela publicação norte-americana Bustle como a oitava dentre as 36 diretoras do mundo que estão mudando os paradigmas em seus países.

NYAFF – Com sede em Nova York, o African Film Festival, é uma organização sem fins lucrativos, fundada em 1990 como um festival dinâmico dedicado a aumentar a exposição das artes e culturas africanas por meio da exibição de obras cinematográficas feitas por e sobre o povo da África e da Diáspora africana. O festival NYAFF foi lançado em 1993, com o apoio da Fundação Ford, e atualmente conta com a parceria do Lincoln Center e do Brooklyn Museum of Art. Em sua versão original, vai além da exibição do cinema africano, incluindo performances ao vivo, exposições de arte, painéis de discussão, masterclasses e workshops que fornecem um maior contexto para os filmes que estão sendo exibidos.

A AFF dedica-se a ampliar a compreensão da cultura africana. Oferece diversas plataformas para distribuição da mídia africana e programação complementar durante todo o ano. Entre os seus diretores de honra e conselho consultivo estão artistas da relevância de Angelique Kidjo, David Byrne e a produtora Grace Blake (de “O Silêncio dos Inocentes”), entre outros.

CURADORIA

MARIA GAL – Atriz, apresentadora, palestrante, criadora de conteúdo e produtora. Já se apresentou no Brasil e exterior e recebeu prêmio de melhor atriz no Festival de Cinema em Madrid. Diversidade e representatividade negra são temas que fazem parte do seu DNA como artista, mulher negra e cidadã. Como atriz, atuou em produções da Rede Globo, Netflix, Canal Brasil, Rede Record, SBT, dentre outros. É colunista de diversidade na Vogue Gente e produz, em formato de coprodução para cinema/TV e mídias digitais, conteúdos com temática racial e feminina, através de sua produtora Maria Produtora.

CARINA BINI – Graduada em Jornalismo, produtora de cinema há 15 anos, especializou-se no Pune Film Institute e no Laboratório de Roteiro do CSC de Roma. É diretora do Festival Internacional Cinema e Transcendência. Produziu “Perfumes e Especiarias” para o Globo Repórter e o “Diário do Olivier”, na Índia. Dirigiu os documentários “Devi Índia Divina”; “O Brasil Visto por dentro”; “Mudra: Magia da dança e música da Índia”; a série “Planeta Índia”; o filme experimental “Palíndrimas Musicadas”; e o curta “India, my love story”, selecionado para o DIFF. Atualmente dedica-se ao desenvolvimento de seu primeiro longa-metragem “La Mamma”, uma coprodução entre Brasil e Itália, do qual também é roteirista.

ALISSA SANDERS – Com o jazz nas veias, Alissa Sanders nasceu e foi criada em Los Angeles (EUA). Há 23 anos fez do Brasil sua casa e da música brasileira seu território de experimentação. Iniciou sua carreira profissional em São Paulo, onde lançou seu primeiro disco, “Beginning”. Viajou pelo Oriente Médio, Índia, África, cantando e fazendo apresentações em Tel Aviv, Israel, Adis Abeba, Etiópia e Kochi na Índia. A vontade de pesquisar mais sobre as raízes da música negra brasileira a levou ao Recôncavo da Bahia, onde conheceu e estudou com Dona Zélia do Prato, Mestre Góes e outros mestres da cultura popular. Atualmente as composições, o canto e as apresentações da Alissa são experiências criando pontes entre suas raízes no jazz e os gêneros musicais dos EUA que são profundamente influenciadas pela cultura dos seus ancestrais africanos e elementos de música brasileira.

PROGRAMAÇÃO ON-LINE
(Cada filme ficará disponível por um dia, no período das 19h às 23h59)

SEGUNDA, 06/09
20h – Abertura da mostra on-line, com show/Live de Lenna Bahule.
Presença das curadoras Maria Gal, Alissa Sanders e Carina Bini.
LOCAL: PLATAFORMA DA MOSTRA – acesso através de bb.com.br/cultura.

TERÇA, 07/09
19h – Exibição filme “Um dia com Jerusa”
LOCAL: PLATAFORMA DA MOSTRA – acesso através de bb.com.br/cultura.

QUARTA, 08/09
19h – Exibição filme “Subira”
LOCAL: PLATAFORMA DA MOSTRA – acesso através de bb.com.br/cultura.

QUINTA, 09/09
19h – Exibição filme “Iemanjá, Sabedoria Ecológica no Coração do Brasil”
LOCAL: PLATAFORMA DA MOSTRA – acesso através de bb.com.br/cultura.

SEXTA, 10/09
19h – Exibição filme ‘’Vibrancy of Silence – A Discussion with My Sisters (Vibração do Silêncio)’’
LOCAL: PLATAFORMA DA MOSTRA – acesso através de bb.com.br/cultura.

SÁBADO, 11/09
17h – Roda de conversa “Olhar feminino nos Diálogos Culturais”.
Convidadas:
Mahen Boneti – diretora do NYAFF (New York African Film Festival)
Abena Busia – Embaixadora da República de Gana no Brasil e curadoras da mostra
LOCAL: PLATAFORMA DA MOSTRA – acesso através de bb.com.br/cultura.

18h – Exibição filme “Ouaga Girls (Garotas de Ouaga)”
LOCAL: PLATAFORMA DA MOSTRA – acesso através de bb.com.br/cultura.

DOMINGO, 12/09
16h – Roda de conversa “Amefricanidades, a descolonização do pensamento”. Convidadas:
Amanda de Moraes – Psicóloga do Programa FIRMINAS – Academia de Liderança de Mulheres Negras
Lucimar Brasil – Jornalista com formação em Impacto Social
Maíra de Deus Brito – Jornalista e escritora
Lilian Solá Santiago – Documentarista e professora de audiovisual
LOCAL: PLATAFORMA DA MOSTRA – acesso através de bb.com.br/cultura.

17h – Exibição filme “Min Alesh?”
LOCAL: PLATAFORMA DA MOSTRA – acesso através de bb.com.br/cultura.

19h – Exibição filme “New Moon (Lua Nova)”
LOCAL: PLATAFORMA DA MOSTRA – acesso através de bb.com.br/cultura.

SEGUNDA, 13/09
19h – Exibição filme “Subira”
LOCAL: PLATAFORMA DA MOSTRA – acesso através de bb.com.br/cultura.

TERÇA, 14/09
19h – Exibição filme “Prof. Busia: o legado”
LOCAL: PLATAFORMA DA MOSTRA – acesso através de bb.com.br/cultura.

QUARTA, 15/09
19h – Exibição filme “In Search (À Procura)’’
LOCAL: PLATAFORMA DA MOSTRA – acesso através de bb.com.br/cultura.

QUINTA, 16/09
18h – Exibição filme “Um dia com Jerusa”
LOCAL: PLATAFORMA DA MOSTRA – acesso através de bb.com.br/cultura.

20h – Debate “Olhar da Mulher no Cinema”. Convidadas:
Viviane Ferreira – cineasta, roteirista, produtora, diretora da SPCine;
Carina Bini – diretora e curadora da mostra
Maria Gal – curadora da mostra
LOCAL: INSTAGRAM – @mariagalreal @atman.filmes e @ccbbbrasilia

SEXTA, 17/09
19h – Exibição filme “The Sound of Masks (O Som das Máscaras)”
LOCAL: PLATAFORMA DA MOSTRA – acesso através de bb.com.br/cultura.

SÁBADO, 18/09
17h – Exibição filme “Iemanjá, Sabedoria Ecológica no Coração do Brasil”
LOCAL: PLATAFORMA DA MOSTRA – acesso através de bb.com.br/cultura.

19h – Exibição filme “Min Alesh?”
LOCAL: PLATAFORMA DA MOSTRA – acesso através de bb.com.br/cultura.

DOMINGO, 19/09
19h – Exibição “Sessão Cinema Brasileiro”
Sem Asas” (sessão acessível)
Alfazema
Rainha
LOCAL: PLATAFORMA DA MOSTRA – acesso através de bb.com.br/cultura.