+ UMA HOMENAGEM PARA O PESQUISADOR LUIZ FELIPE MIRANDA + OLHAR CINEMA (ANO X – INSCRIÇÕES ABERTAS) + DOIS FILMES DE MARIA DE
MEDEIROS (ORDEM MORAL E AOS NOSSOS FILHOS) + SÉRIE GAUCHA + “EM NOME DA SEGURANÇA NACIONAL“ (TVT -TV DOS TRABALHADORES)

+ ABERTAS INSCRIÇÕES PARA OLHAR DE CINEMA (Ano 10) + LUIZ FELIPE MIRANDA + HISTORIA DO CINEMA GAÚCHO + “EM NOME DA SEGURANÇA NACIONAL”, de RENATO TAPAJÓS, NO CineTVT (sábado, 21h00)

*NA REVISTA DE CINEMA:
Maria de Medeiros em dois filmes: protagonista de “Ordem Moral” e diretora de “Aos Nossos Filhos”


http://revistadecinema.com.br/2021/05/maria-de-medeiros-brilha-em-ordem-moral/

* Inscrições abertas para o 10º Olhar de Cinema
Festival recebe inscrições de 27 de maio a 30 de junho

10º Olhar de Cinema – Festival Internacional de Curitiba
De 6 a 14 de outubro


http://olhardecinema.com.br

O Olhar de Cinema – Festival Internacional de Curitiba anuncia que estão abertas as inscrições de sua décima edição, que acontece de 6 a 14 de outubro, de maneira online. Longas e curtas-metragens podem ser enviados, através de formulário disponível no site do evento, até o dia 30 de junho.

Já estabelecido no cenário cultural brasileiro, o festival tem como objetivo destacar e celebrar o cinema independente, por meio da seleção de filmes com propostas estéticas inventivas, envolventes e com comprometimento temático. Sua programação privilegia filmes que se arriscam em novas formas de linguagem cinematográfica, estão abertos ao experimentalismo e possuem potencial de comunicação.

A grande diversidade temática e estética, que não rejeita gêneros, formatos e durações é uma das marcas registradas do evento que, ainda, busca valorizar o cinema brasileiro e também paranaense, ao garimpar o que há de mais precioso e urgente nessas cinematografias.

Paralelamente, o Olhar de Cinema homenageia mestres do cinema mundial, com uma seleção de filmes clássicos restaurados e apresenta ao público novos diretores que, mesmo com uma curta filmografia, já possuem forte identidade artística. Dessa maneira, o evento tem a intenção não só de proporcionar ao público experiências cinematográficas singulares, mas também fomentar a reflexão acerca da linguagem e história do cinema.

10º Olhar de Cinema – Festival Internacional de Curitiba

De 6 a 14 de outubro

http://olhardecinema.com.br

  • NO BOM PARA TODOS (TVT – TV dos Trabalhadores, nessa sexta, 15h00, Luiz Zanin conversa com Talita Galli sobre estreias nos cinemas e no streaming)

*****REVISTA DE CINEMA (O MÉTODO + GLAUBER E LIMITE) + “GRETA”, DE ARMANDO PRAÇA, NO Cinema #EmCasaComSesc

**** À CineOP

Sugestão: Homenagem
a Luiz Felipe Miranda (em 2022)

******UMA SUGESTÃO para a CineOP 2022 – Prestar homenagem ao pesquisador LUIZ FELIPE MIRANDA, autor do “Dicionário de Cineastas Brasileiros” (Art Editora, 1990) e parceiro de Fernão Ramos na organização da “Enciclopédia do Cinema Brasileiro” (abaixo capa da primeira e da terceira edições (primeira: 2000. A segunda, em 2004. A terceira em 2012: Editora Senac/ Edições SescSP). Os professores universitários e pesquisadores Luciana Corrêa Araujo e Jo]ao Luiz Vieira apoiam a ideia. A quem mais apoiar, por favor, some forças conosco!!!!!!

******Série de TV revisita

quatro décadas de Porto Alegre

por meio de 20 filmes locais

O Cinema e As Cidades” vai ao ar em quatro episódios semanais, exibidos nas sextas-feiras, às 21h30, a partir de 4 de junho, no canal Prime Box Brazil

Do distanciamento social à diversidade de gênero: a série “O Cinema e As Cidades” revisita quatro décadas de Porto Alegre, por meio de 20 produções locais, entre curta e longas-metragens e documentários. Dirigido por Eduardo Wannmacher e produzido por Frederico Mendina, o seriado vai ao ar por meio de quatro episódios semanais, exibidos nas sextas-feiras, às 21h30, a partir de 4 de junho, em rede nacional no canal de TV por assinatura Prime Box Brazil.

A geração oitentista inicia a produção de um novo cinema urbano em Porto Alegre, com a descoberta do super-8 no formato de ficção. Esse movimento é revisitado no episódio introdutório da série, por meio do depoimento de Carlos Gerbase, diretor de “Inverno(1983). O distanciamento social por muros e grades é retratado no segundo episódio, com uma análise do curta “Ângelo Anda Sumido(1997), de Jorge Furtado.

O cinema fantástico, com criaturas e lendas mágicas, chega ao terceiro episódio, com a animação “Reino Azul(1989), de Otto Guerra. Ao longo do tempo, temas ligados ao cinema de gênero, como ficção-científica e terror, sempre estiveram presentes nas produções gaúchas, revelando um lado mais sombrio da capital. “Sob Águas Claras e Inocentes” (2016), de Emiliano Cunha, também integra o roteiro do seriado.

O último episódio explora temas urgentes, como a diversidade de gênero, o racismo, a ocupação de lugares públicos e as manifestações sociais. Esses temas são revisitados pelo documentário “O Caso do Homem Errado(2017), de Camila de Moraes, entre outros títulos. Produzida pela Pironauta e coproduzida pela Firma Filmes, a série é estruturada em imagens originais das obras analisadas e depoimentos dos respectivos realizadores.

A série tem financiamento do Edital Pró-cultura RS FAC de Produção Audiovisual, realizado pelo Governo do Estado do Rio Grande do Sul/SEDAC, em parceria com a Ancine, através do Fundo Setorial do Audiovisual.

SERVIÇO

Série “O Cinema e As Cidades”

TV por assinatura: Prime Box Brazil

Estreia: 4 de junho

Exibições: sextas-feiras, 21h30

Último episódio: 25 de junho

Temporada: 4 episódios de 30 minutos, cada

Reprises: sábados, 10h30. Domingos, 02h30. Segundas-feiras, 08h30. Terças-feiras, 19h. Quinta-feira, 09h

Classificação indicativa: 12 anos

EQUIPE TÉCNICA

Direção e Roteiro: Eduardo Wannmacher | Produção e Produção Executiva: Frederico Mendina | Controller: Tanize Cardoso | Assistente de Produção Executiva: Fernanda Bischoff | Direção de Fotografia: Thiago Gruner | Assistente de Fotografia e Logger: Rodrigo Scheid | Direção de Produção: Martina Zanetello | Assistente de Produção: Estevão Comelli | Montagem: Thais Fernandes | Assistente de Montagem: Joana Bernardes | Sound Designer: Rafael Rodrigues | Som Direto: Fábio Baltar Duarte | Trilha sonora Original: Ricardo de Carli | Colorista: Daniel Dode | Design Gráfico: Leo Lage | Produção: Pironauta | Co-produção: Firma Filmes | Depoimentos: Bruno Carboni, Camila de Moraes, Carlos Gerbase, Emiliano Cunha, Filipe Matzembacher, Giba Assis Brasil, Gustavo Spolidoro, Jéssica Luz, Jorge Furtado, Julio Andrade, Kiko Ferraz, Lucas Cassales, Mariani Ferreira, Nelson Diniz, Otto Guerra, Valéria Verba e outros. | Filmes: “Ainda Orangotangos” (2007), “Amores Passageiros” (2012), “Ângelo Anda Sumido” (1997), “Castanha” (2014), “Cidade Fantasma” (1999), “De Lá pra Cá” (2011), “Inverno” (1983), “O Cárcere e a Rua” (2005), “O Caso do Homem Errado” (2017), “O Corpo” (2015), “O Teto Sobre Nós” (2015), “Quem?” (2000), “Reino Azul” (1989), “Secundas” (2017), “Sob Águas Claras e Inocentes” (2016), “Sobre Sete Ondas Verdes Espumantes” (2013), “Tinta Bruta” (2018), “Três Minutos” (1999), “Um Corpo Feminino” (2018), “Um Estrangeiro em Porto Alegre” (1999). ******SOBRE PRIME BOX BRAZIL – O Prime Box Brazil é um canal da TV por assinatura dedicado aos vários gêneros do audiovisual brasileiro. Exibe conteúdos ficcionais, documentários e animações, com destaque para séries, longas e curtas-metragens assinados por novos e consagrados diretores. Integra o portfólio da Box Brazil, maior programadora independente de canais brasileiros na TV por assinatura. Disponível na Claro HD/Net HD (656), Claro/Net (156), Sky (157) e Oi TV (85), além de operadoras regionais.

SOBRE PIRONAUTA – A Pironauta foi fundada para atuar na criação e produção de conteúdo audiovisual, com foco na abrangência e diversidade de conteúdo. Produziu o longa “Xico Stockinger” (2012), de Frederico Mendina – prêmio de melhor fotografia no 4º Curta Amazônia e seleções no Portobello Film Festival (Reino Unido), Bogocine (Colombia), Duhok Film Festival (Iraque) e Gramado. Atualmente, prepara-se para lançar o longa inédito “Depois de Ser Cinza” (2021), de Eduardo Wannmacher, e desenvolve o projeto intitulado “Castas”.

SOBRE EDUARDO WANNMACHER

Diretor, produtor e roteirista, Eduardo Wannmacher trabalha com televisão e cinema desde os anos 1990. É realizador de diversos documentários para TV e curtas, entre eles “24 Horas com Carolina” (2012), selecionado para o Festival de Havana. Outros trabalhos incluem “Pra que Servem os Homens?” (2013), “Eu, Ele e os Outros” (2012), “Melhor que Aqui” (2011), “Na Rota do Imperador” (2009). O inédito “Depois de Ser Cinza” (2021) é sua estreia na direção de longas-metragens.

***** “GRETA”, DE ARMANDO

PRAÇA, NO Cinema #EmCasaComSesc

  • ESTREIAS DA SEMANA

*******NA REVISTA DE CINEMA:
SAULO, SARACENI E MÁRIO CARNEIRO
ASSEGURARAM AHERNANI HEFFNER,
QUE GLAUBER ROCHA VIU “LIMITE” EM 1958

, CINCO ANOS ANTES DA PUBLICAÇÃO
DE “REVISÃO CRÍTICA DO CINEMA BRASILEIRO” (1963)

++++ SÉRIE DOCUMENTAL,
DE LILIANA SULZBACH DISCUTE

“O MÉTODO” DE TRABALHO DE CARLOS

NADER (E EDUARDO COUTINHO)

******NA REVISTA DE CINEMA:

O MÉTODO, por Liliana Sulzbach

http://revistadecinema.com.br/2021/05/liliana-sulzbach-debate-metodo-de-criacao-de-carlos-nader-e-eduardo-coutinho/

*****NA REVISTA DE CINEMA:
SAULO, SARACENI E MÁRIO
CARNEIRO ASSEGURARAM A
HERNANI HEFFNER, QUE

GLAUBER ROCHA VIU “LIMITE” EM 1958,
CINCO ANOS ANTES DA PUBLICAÇÃO
DE “REVISÃO CRÍTICA DO CINEMA BRASILEIRO”

http://revistadecinema.com.br/2021/05/glauber-mentiu-ao-dizer-que-nao-conhecia-limite-de-mario-peixoto/

*****NA REVISTA DE CINEMA:

Hernani Heffner (foto 2), professor da UFF e gerente da Cinemateca do MAM, diz que Saulo Pereira de Mello (foto 3), Paulo Cezar Saraceni (foto 4) e Mário Carneiro (foto 5) asseguraram a ele que Glauber Rocha viu LIMITE (Mário Peixoto, 1931), em 1958 (portanto cinco anos antes da publicação, pela Civilização Brasileira, do livro “Revisão Crítica do Cinema Brasileiro”, de 1963). Neste livro, reeditado pela Cosac & Naify (com excelente prefácio de Ismail Xavier), Glauber registra dois encontros com Mário Peixoto, mas afirma, várias vezes, que NÃO conhecia o filme LIMITE……

******** Doc nacional ganha prêmio
do júri em festival estadunidense – Samadhi Road

O documentário “Samadhi Road”, que teve estreia
internacional no Illuminate Film Festival (Arizona – EUA)
foi anunciado como vencedor do prêmio
de indicação do júri! Aqui o anúncio:

https://www.instagram.com/tv/CPV8owOLHSX/?utm_medium=copy_link

O filme concorreu com outras 29 produções mundiais, e trata-se dos registros de uma jornada de três anos dos diretores Irmãos Ahimsa em busca de autoconhecimento. Nele, entrevistam personalidades da música e da filosofia, como Gilberto Gil, Kaz Tanahashi (mestre Zen e ativista pela paz), Mooji (professor espiritual jamaicano) e outros. Trata-se de um doc inspirador, com falas que são verdadeiras lições de vida! É lindo, e necessário nestes tempos.