+ ISMAIL XAVIER + ISAURA BOTELHO + VLADIMIR CARVALHO (DEBATE NA ABI): BARRA 68 segue em cartaz (virtual) no Cineclube Macunaíma + REVISTA DE CINEMA + SITON FRANCO, O FILME + MACALÉ EM ONZE FILMES + SELEÇÃO DO FESTIVAL É TUDO VERDADE 2021 (ANO 26)

VLADIMIR CARVALHO
(DEBATE NA ABI):
Barra 68 segue em cartaz no Cineclube Macunaíma

*UnB: “UM HERÓI, UM MÁRTIR E UM CORO GREGO”
Por VLADIMIR Carvalho em “live” DO CINECLUBE ABI

*****Abaixo, divido com vocês, bilhete que recebi de Ismail Xavier, companheiro de Isaura Botelho, viúva do líder estudantil Honestino Guimarães, pais de Juliana (enteada de Ismail). Honestino, desaparecido político, foi definido, por Vladimir (durante a “live” ABI), como “mártir”, que se soma — em seu documentário “Barra 68 – Sem Perder a Ternura” (2000) — ao herói (Darcy Ribeiro, criador da UnB) e a um coro grego (as muitas vozes-depoimentos que compõem o filme). Coloquei o bilhete do Ismail em texto corrido, sem parágrafos, e lembrei que “Barra 68” dialoga, também, com “Brasília – Utopia e Distopia”, de Jorge Bodanzky, mostrado no É Tudo Verdade e Mostra Brasília ano passado. bjs rô

*****DE ISMAIL XAVIER:Olá Rô – Obrigado por ter divulgado a exibição e o debate de “Barra 68” havido ontem. Foi uma emoção rever o filme com Isaura e acompanhar o debate no qual você sinalizou a presença dela (no documentário), já comentada por você em texto no facebook. O debate foi muito bom e nos deu oportunidade de refletir sobre a obra do Vladimir, além do próprio “Barra 68”, filme pronto e o processo de realização. Os filmes dele feitos em Brasília compõem um painel da história da cidade desde a construção pelos candangos. E “Barra 68 dialoga com o filme do Renato Tapajós feito na mesma época, em São Paulo, lá na Maria Antônia. Entre as fotos de Isaura e Honestino que você postou tem uma não temos e foi uma surpresa. Passamos o material para Juliana, a filha de Isaura e Honestino, nascida em junho de 1970, quando eles estavam aqui em São Paulo, num momento de clandestinidade. Isaura me disse que o filme continua disponível e que a Juliana vai ver com o filho dela, de 14 anos. Lição de história e afeto unidos na mesma experiência. Grande abraço, Ismail.

*****DEBATE NO CINECLUBE MACUNAÍMA DA ABI: disponível no YouTube da Associação Brasileira de Imprensa. Com a participação enriquecedora de Walter Carvalho, o debate de BARRA 68, SEM PERDER A TERNURA, se deu por uns 90 minutos, mesmo em dia de emoções políticas e judiciais fortes e à flor da pele (STF em seu reencontro com o Estado de Direito). E de panelaços, que ecoaram também no nosso espaço on-line. Silvio Tendler, Dermeval Netto, Rô Caetano e Walter Carvalho conversaram com Vladimir sobre esse filme, que tem a UnB como foco. Na mediação, Ricardo Cotta. Como Tendler observou, foi comovente o depoimento do cineasta paraibano-brasiliense sobre o pai, Lula Carvalho. E acrescento: instigante a constituição do filme, segundo Vladimir: “Barra 68 tem um herói (Darcy Ribeiro), um mártir (Honestino Guimarães) e um CORO GREGO (as múltiplas vozes dos que dão seus testemunhos sobre a invasão militar ao campus da Universidade, em 1968). Ao que Dermeval acrescentou: e “um vilão: José Carlos Azevedo”, que chegaria depois, para ocupar o cargo de vice (e depois) reitor da UnB . Um registro: UnB, com o “n” central em letra minúscula. ****Vladimir contou que recebeu um rolinho de filme, de apenas três minutos, com imagens da invasão da Universidade por tropas militares, das mãos do cineasta Miguel Freire (filmagens de Hermano Penna). E que as imagens de Jean-Pierre Léaud em palestra na UnB, no momento em que filmava “Os Herdeiros” (1969-1970), de Cacá Diegues, em Brasília, estavam em algum lugar na mesma UnB. Ele supõe que o registro de LÉAUD seja de autoria do saudoso professor e diretor de fotografia germano-brasileiro Heinz Forthmann. Aliás, parceiro de Darcy Ribeiro em muitos filmes etnográficos, e tema de importante estudo do professor (e cineasta) Marcos de Sousa Mendes.

*************ALMANAKITO – QUARTA-FEIRA – (24-03-2021) – Amigos: Estou praticamente desistindo de editar o bagunçado Almanakito, pois com o fim do “out-look” do Uol, fazê-lo com textos-colagens tornou-se muito lento e difícil. Exige um tempo que não tenho mais… ** Seguem breves dicas, sem a colagem dos devidos textos e endereços:
1. NO CINECLUBE MACUNAÍMA-ABI: filme “Barra 68” segue disponível. Além do filme, o debate (“live”) realizado ontem. Informações abaixo.
2. NA REVISTA DE CINEMA: Novas matérias:

* Estreia filme “Siron Franco. Tempo Sobre Tela” * Filmes selecionados para o Festival É Tudo Verdade 2021 (ano 26)
+ FILME “SIRON FRANCO. TEMPO SOBRE TELA + FEST É TUDO VERDADE (SELECIONADOS) + MACALÉ EM ONZE FILMES: NA REVISTA DE CINEMA

+ LIVROS (CARLOS BRANDÃO,
CELSO MARCONI, RUBENS EWALD FILHO)

*****FILME SOBRE SIRON FRANCO ESTREIA NESSA QUINTA-FEIRA (em alguns cinemas e no streaming)

http://revistadecinema.com.br/2021/03/siron-tempo-sobre-tela/

******NA REVISTA DE CINEMA: amanhã estreia o longa documental SIRON. TEMPO SOBRE TELA, de André Guerreiro e Rodrigo Campos. Sobre SIRON FRANCO, o grande artista e ativista brasileiro, um menino de 73 anos…

*****FILMES SELECIONADOS PELO FESTIVAL CINESQUEMANOVO DE PORTO ALEGRE (ver na página do festival gaúcho)

**VENCEDORES DA edição especial do Santos Film Festival (ver no site do evento) – melhor filme: “Mulher Ocenao”, de Djin Sganzerla.

+ NA REVISTA DE CINEMA —É TUDO VERDADE ANO 26 —Festival É Tudo Verdade realiza edição online e homenageia Caetano Veloso

http://revistadecinema.com.br/2021/03/festival-e-tudo-verdade-realiza-edicao-online-e-homenageia-caetano-veloso/

+ GLENDA NICÁCIO E ARY ROSA MOSTRAM quarto longa-metragem – “VOLTEI” – NO FESTIVAL TIRADENTES EM SÃO PAULO – Hoje, último dia.

+ SIRON FRANCO, O FILME + BAFTA + SMALL AXE: QUINTO FILME + CABRAS DA PESTE + VENCEDORES DO SANTOS FILM FESTIVAL + SESC CINEMA EM CASA + MACALÉ EM ONZE FILMES -MOSTRA ON-LINE

* Mostra Macalé com

onze filmes documentais

*FILME “BARRA 68, SEM PERDER A TERNURA”: