+ “VÁ E VEJA” NO CINECLUBE CPC-UMES FILMES + REVISTA DE CINEMA (OSCAR 2021)

+ FILME SOBRE DARCY RIBEIRO + DOIS “TIGRE BRANCO” + “LIVE” DE BETHÂNIA + TVT (BOM PARA TODOS)

+ NA TVT (TV DOS TRABALHADORES) + RADIO BRASIL ATUAL:

Nessa sexta-feira, no programa BOM PARA TODOS, o crítico Luiz Fernando Zanin Oricchio conversa com Talita Galli sobre estreias nos cinemas e atrações do streaming. O programa começa às 15h00, e pode ser acessado pela internet.

+ PREMIO ABRACCINE (LONGA INTERNACIONAL, LONGA E CURTA BRASILEIROS – REFERENTE
AO ANO DE 2020)

+ PREMIOS GOYA (Málaga – DIA 5 DE MARÇO) + PREMIO CESAR (PARIS, DIA 12 de MARÇO)

+ SÉRIE “DOUTOR CASTOR” (BONI & JÔ SOARES X ALI KAMEL) + SITE COM TEXTOS DE GERALDO MAYRINK

*********ESTREIA BRASILEIRA DA SEMANA QUE VEM (QUINTA-FEIRA, 25 DE FEVEREIRO) – FILME DE JULIA REZENDE (“DEPOIS A LOUCA SOU EU”) + Débora Falabella: matéria no programa Fantástico/G1: endereço de acesso nessa remessa

***DARCY RIBEIRO
(FILME DE MARIA MAIA):

https://drive.google.com/file/d/1jkPPugERQLQ49VYbfNNkW6i1yQMpd1Lm/view?usp=drivesdk

**NA REVISTA DE CINEMA:
30 PRE-SELECIONADOS AO OSCAR
INTERNACIONAL E DOCUMENTARIO
Poderosa safra de filmes

estrangeiros (15) e longas

documentais (mais 15) busca vaga no Oscar

http://revistadecinema.com.br/2021/02/poderosa-safra-de-filmes-estrangeiros-e-longas-documentais-busca-vaga-no-oscar/

****O TIGRE BRANCO

FILME DE RAMIN BAHRAMI
(EUA-INDIA) NETFLIX, 2021 –

No Vertentes do Cinema
POR JOÃO LANARI, autor de

CINEMA PARA RUSSOS,

CINEMA PARA SOVIÉTICOS

https://vertentesdocinema.com/o-tigre-branco/

  • NO ACERVO DE DVDs
  • DO CPC-UMES: TIGRE BRANCO,
    do russo KAREN SHAKNAZAROV
  • “VÁ VEJA”
  • O filme dessa semana, no Cineclube do CPC-UMES FILMES, é o notável (extraordinário) VÁ E VEJA (Elem Klimov, 1981), eleito, em Veneza, quando se viu sua cópia restaurada, um dos maiores filmes de guerra de todos os tempo (Veneza Classics).

    + ENTREVISTA DO HISTORIADOR
    FERNANDO NOVAIS À TV TUTAMEIA (2019): IMPERDÍVEL

    + MOSTRA DO CINEMA CONTEMPORÂNEO
    DO NORDESTE ON-LINE (ANO 3)



*****Débora Falabella:

‘Todas as cenas que eu fazia

achava algum paralelo com o que já passei’ – No Fantástico | G1

https://g1.globo.com/fantastico/noticia/2021/02/14/debora-falabella-comecei-a-ter-crise-de-panico-com-25-anos.ghtml

****REDES SOCIAIS: Dia desses, lendo um desabafo do crítico Carlos Alberto Mattos, que acompanha – em seu blog dedicado ao CINEMA DOCUMENTÁRIO — o que se passa no cinema como um todo, me coloquei a pensar: estamos perdendo tempo demais nas redes sociais. Mattos reclamava de acessos suficientes em textos críticos (e mais longos), enquanto fotos (domésticas, em especial) mobilizam centenas de pessoas. Ele tem razão. Parece que as redes sociais nasceram para cultivar o doméstico e a imagem… O que fazer para alterar este estado das coisas??????. Eu não sei. Até porque sou uma analfabeta digital. Tenho consumido momentos valiosos fazendo colagens visuais para chamar atenção para temas políticos (o Brasil vive momento de gravidade paroxística), para filmes de “outras geografias”, mas a luta é inglória. Parece que estamos vivendo um tempo de anomia…. Antes, muitas vezes por semana, eu fazia edições (cheias de notas repetidas, claro!!) do Almanakito e mandava para quase cinco mil pessoas do meio cultural, de todo o país. Hoje me dedico mais ao “face” que ao Almanaque (de notas e colagens). E o que é o “face”? Um círculo vicioso que não passa de um núcleo fiel de umas 20 pessoas e que, raramente, se expande para umas cem. Complicado, não??? E, para agravar, cometo barbeiragens terríveis. A última resultou no travamento de meu endereço no icloud. TRAVOU GERAL!!!! E foi nele que consegui montar uma lista de uns 300 nomes (os que mais me mandam e-mails).. Então, agora, estou sendo obrigada a digitar os 300 nomes subdivididos em várias remessas, pois se passar de uns 30, TRAVA!!! Ah, não!!!!
*******Só gmail e uol estão funcionando. E, para agravar, o out-look, uma maravilha que o Uol mantinha, foi defenestrado… Fazer o Almanakito ficou muito complicado e demorado……… bjs rô

****MOSTRA DE CINEMA CONTEMPORÂNEO DO NORDESTE Prossegue até dia 24, a terceira edição (dessa vez digital) deste festival dedicado à produção dos nove estados nordestinos. Promoção do Governo da Bahia. Lhes recomendo, entre os 40 filmes que serão exibidos, um em especial: “TRAGO SEU AMOR DE VOLTA (Mesmo que Ele Não Queira)”, do paraibano Bertrand Lira, um dos integrantes do clã artístico dos LIRA, de Cajazeiras. O filme é um documentário de construção muito livre, que conta com depoimento arrasador (e verdadeiro) da atriz ZEZITA MATOS, com depoimento (mais contido) de MARCELIA CARTAXO e com outros personagens incríveis (como esse da foto 1). No Fest Aruanda de 2019, atribuímos (juri composto com Jean-Claude Bernardet, Luiz Zanin e rô caetano) premio a esse filme muitoooo especial. Não percam. E saibam — por isso Bertrand faz questão de dizer que realizou um DOCUMENTÁRIO — que tudo que ali está exposto traz a realidade (subjetiva) de seus personagens pessoenses/pessoanos (de Joao Pessoa), PESSOAS singulares, muito singulares…

*****FERNANDO NOVAIS

NO TUTAMEIA TV

*******Dias atrás, assistindo à imperdível entrevista de LINCOLN SECCO ao casal TUTAMEIA (Eleonora & Rodolfo), o professor da USP citou a entrevista do historiador Fernando NOVAIS (USP, depois Unicamp) ao canal alternativo (ver na internet) como obrigatória. Conferi ontem. Obrigatória mesmo. O octogenário NOVAIS fala de seu livro PORTUGAL E BRASIL NA CRISE DO ANTIGO SISTEMA COLONIAL, reeditado 40 anos depois de seu lançamento e muitas reimpressões (agora pela Editora 34). Fruto de sua tese de doutorado, o livro foi considerado um divisor de águas nos estudos sobre o sistema colonial. NOVAIS falou do papel da HISTÓRIA e do HISTORIADOR, do Brasil contemporâneo, de democracia e da falta dela e… ******para meu espanto (e alegria) tocou em assunto que me apaixona: a participação dos EUA e da URSS na Segunda Guerra Mundial. Como esse era um subtema distante do centro da entrevista, restringiu-se a breve comentário dele: quem derrotou os nazistas foram os soviéticos. Os EUA, na única batalha em que enfrentaram para valer as forças de Hitler, nas ARDENNES, levou uma pressão daquelas e foi salvo pela falta de combustível dos tanques nazistas. O louco do Hitler ficou possesso com tal e tão grave causa da derrota, que induziu ROMMEL, o bode expiatório, ao suicídio… vou rever, na Netflix, o episódio de série dedicada à SEGUNDA GUERRA. Justo o da Batalhas nas ARDENNES. O de Stalingrado já revi..

* TIGRE BRANCO – DOIS FILMES (ÍNDIA – RÚSSIA)

**Enquanto o TIGRE BRANCO indiano (dirigido pelo estadunidense-iraniano Ramin Bahrani) bomba na Netflix e aguarda indicações ao OSCAR, o CPC-UMES FILMES mantém em seu catálogo de DVDs o longa russo TIGRE BRANCO, de Karem Shaknazarov, realizado em 2012. O filme será exibido em MARÇO, no Cineclube digital do CPC-UMES, que bombou com DERSU UZALA e ALEXANDRE NEVSKI, últimas atrações. ***Em comum os dois filmes batizados pelo felino têm apenas a metáfora do TIGRE BRANCO: para os russos materializada no nazismo (um fantasmagórico tanque de guerra dos exércitos de Hitler que invadiram a URSS em 1941). Para o “indiano”, a fera rara que busca singularizar-se com sua força num mundo de castas e exclusões milenares. O CPC-UMES prepara um podcast sobre AS GUERRAS NO CINEMA SOVIÉTICO E RUSSO. *******O TIGRE BRANCO de Shaknazarov, que faz o gênero dedicado aos conflitos bélicos dialogar com o horror e a fantasmagoria, estará em pauta, junto com filmes da grandeza de VÁ E VEJA, A ASCENSÃO e A GRANDE VIRADA… Aguardem.

****PRÊMIO ABRACCINE 2020:

Resgate, cinema de mulheres e pautas urgentes
são os vencedores do Prêmio Abraccine 2020

Associação anuncia também os

longas e curtas que se destacaram no ano

Em um ano atípico, marcado pela pandemia de Covid-19, com o fechamento das salas de exibição e o consequente adiamento de várias estreias, com o incremento das plataformas de streamings, o cinema demonstrou sua força e sua capacidade de reinvenção seja em formas de produção ou de distribuição. Em seu resultado, que apresentou filmes lançados em diversas plataformas, o Prêmio Abraccine 2020 é uma demonstração disso.

A diversidade de temas e linguagens também se fez mais presente. O resgate de um gênero, o cinema de mulheres e pautas urgentes foram os destaques do ano. Dirigido pelo veterano Geraldo Sarno, SERTÂNIA, foi o grande vencedor do PRÊMIO ABRACCINE DE MELHOR LONGA-METRAGEM BRASILEIRO. O filme conta a história de Antão em seu delírio de morte e é um retorno ao cangaço e ao sertão que marcaram o cinema brasileiro.

O francês RETRATO DE UMA JOVEM EM CHAMAS, de Céline Sciamma, sobre o encontro de duas mulheres que descobrem a paixão, recebeu o PRÊMIO ABRACCINE DE MELHOR LONGA-METRAGEM ESTRANGEIRO.

Pela primeira vez, aconteceu um empate triplo no PRÊMIO DE ABRACCINE DE MELHOR CURTA-METRAGEM BRASILEIRO. Os três filmes são: INABITÁVEL, de Enock Carvalho e Matheus Farias, que traz uma abordagem fantástica futurista da temática trans; A MORTE BRANCA DO FEITICEIRO NEGRO, de Rodrigo Ribeiro, resgate experimental sobre a origem e a permanência do racismo; e REPÚBLICA, de Grace Passô, filme político produzido durante a pandemia.

Além dos premiados, a Abraccine – Associação Brasileira de Críticos de Cinema elegeu também o seu TOP 10 de melhores filmes em cada uma das 3 categorias.

LONGA-METRAGEM BRASILEIRO
Vencedor: Sertânia, Geraldo Sarno

Completam o Top 10 em ordem alfabética

Aos Olhos de Ernesto, Ana Luísa Azevedo

Babenco – Alguém Tem que Ouvir o Coração e Dizer: Parou, Bárbara Paz

Emicida: AmarElo – É Tudo Pra Ontem, Fred Ouro Preto

A Febre, Maya Da-Rin

Fim de Festa, Hilton Lacerda

Pacarrete, Allan Deberton

Sol Alegria, Tavinho Teixeira

Todos os Mortos, Marco Dutra e Caetano Gotardo

Vermelha, Getúlio Ribeiro

LONGA-METRAGEM ESTRANGEIRO ESTRANGEIRO
Vencedor: Retrato de uma Jovem em Chamas, Céline Sciamma – França

Completam o Top 10 em ordem alfabética

Adoráveis Mulheres, Greta Gerwig – EUA

O Caso Richard Jewell, Clint Eastwood – EUA

O Farol, Robert Eggers – EUA

Hotel às Margens do Rio, Hong Sang-soo – Coreia do Sul

Joias Brutas, Josh e Benny Safdie – EUA

Martin Eden, Pietro Marcello – Itália

Os Miseráveis, Ladj Ly – França

Nunca Raramente Às Vezes Sempre, Eliza Hittman (EUA)

Você Não Estava Aqui, Ken Loach (Inglaterra)

MELHOR CURTA-METRAGEM BRASILEIRO
Vencedores:
Inabitável (PE), Matheus Farias e Enock Carvalho

A Morte Branca do Feiticeiro Negro (ES), Rodrigo Ribeiro

República (RJ), Grace Passô

Completam o Top 10 em ordem alfabética

O Barco e o Rio (AM), Bernardo Ale Abinader

Cinema Contemporâneo (PE), Felipe André Silva

Construção (RS), Leonardo da Rosa

Entre Nós e o Mundo (SP), Fabio Rodrigo

Extratos (SP), Sinai Sganzerla

O Que Há em Ti (SP), Carlos Adriano

Vaga Carne (RJ), Grace Passô e Ricardo Alves Jr.