. Em busca de texto de Antônio Callado sobre “Carlota Joaquina” + O protesto de Roberto Santos + Tessy Callado (atriz) + Jairo Bustamante (Guatemala pela primeira vez no Globo de Ouro)

. BILHETERIAS + ESTREIAS ADIADAS (SEQUESTRO DO VÔO 375) + PROJETO PORTINARI + LEON HIRSZMAN (LIVRO DE CARDENUTO)

+ GLOBO DE OURO + “LIVES” (FALHAS QUE CANSAM) + SÉRIE “CRITICA” (TV UNIVERSITARIA DE RECIFE) + CURSOS DE CINEMA

+ REVISTA DE CINEMA (MY FRENCH FILM FESTIVAL: ATÉ 15 DE FEVEREIRO + TIGRE BRANCO) + CPC-UMES (FILMES NO FINAL DE SEMANA + 50 DVDs de clássicos russos e soviéticos) + DERSU UZALA

+ BILHETERIAS:O momento é dos mais difíceis para os cinemas, já que o maior mercado do país (São Paulo) e outro dos mais importantes (MG) estão com sérias (e justas) restrições sanitárias. Mesmo assim, a tabela de bilheterias do Boletim Filme B, editado por Paulo Sérgio Almeida, traz alguns dados curiosos. Eis alguns deles:

. Pinóquio (Itália) ………108.230 (2 semanas)

. Um Tio Quase Perfeito (Brasil)…….70.127 (4 semanas)

  • . Estranho Passageiro, Sputinik (Rússia)…….23.266 (2 semanas)
  • . Dente por Dente (Brasil)…….2.400 (estreia)
  • + ESTREIAS ADIADAS (SEQUESTRO DO VÔO 375) – Frente a tantas dificuldades, os distribuidores estão adiando suas estreias. A Imovisión espera momento adequado para lançar “Aznavour por Charles”. Filmes brasileiros como“O Auto da Boa Mentira”, de José Eduardo Belmonte, foram adiados para março. Um amigo pergunta se há notícias da data de lançamento de “Sequestro do Vôo 375”, sobre sequestro de aeronave da Vasp, ocorrida em 1988. Este e outros filmes, caso dos dois sobre o Caso Richthofen e Eduardo e Mônica, esperam momentos melhores. Já “Depois a Louca Sou Eu” (Júlia Rezende: dia 25 de fevereiro) e “Marighella” (Wagner Moura: 15 de abril) continuam com datas agendadas.
  • + PROJETO PORTINARI
  • Convite do Projeto Portinari –
    debate-aula dia 8 de fevereiro as 19h00:

    “GUERRA E PAZ – UMA OBRA-PRIMA
    BRASILEIRA PARA A ONU”
    Com João Cândido Portinari.
    Participe…

    Para acessar clique no link abaixo:
    https://youtu.be/X0-W0pdFEYo
  • + LEON HIRSZMAN (LIVRO DE REINALDO CARDENUTO – “Por Um Cinema Popular: Leon Hiszman, Política e Resistência, Ateliê Editorial): Na noite da última terça-feira, Cardenuto recebeu Carlos Augusto Calil, Lauro Escorel, Eduardo Morettin, Eduardo Escorel e Maria Hirszman (nessa ordem) em “live” de lançamento do livro que acabou de publicar sobre a obra de Leon Hirszman, com foco em “Que País é Este?”, feito para TV europeia, no documentário “ABC da Greve” e na ficção “Eles Não usam Black-Tie”.
  • + “LIVES” (FALHAS
  • QUE CANSAM):
  • Um amigo fez a seguinte crítica a práticas que ele vê se repetirem em “lives”. Reproduzo as observações dele, pois são pedagógicas: “Não consegui assistir à ‘live’ até o final… estava cansado e não conseguia me concentrar… Outra coisa: sugiro que nos próximos encontros os convidados parem de se balançar de trás pra frente (em frente à câmera) porque, além do incômodo da cara (rosto) aumentando e diminuindo, o som/áudio segue o mesmo ritmo… Isso é uma das coisas que mais me cansam em transmissões ao vivo na internet”.*****As observações de meu amigo são mais que pertinentes. Como as “lives” tornam-se a cada dia mais longas (60 minutos transformaram-se em quimera, todas beiram (ou passam das) duas horas. Como o “zoom, meeting, etc” são ainda precários do ponto de vista técnico, roupas ou fundos claros, enquadramentos muito próximos (super-closes) e movimentação gerando efeito-chicote são mesmo muito incômodas….

******GLOBO DE OURO (categoria “Filme estrangeiro” – Jairo Bustamante)

+ EM BUSCA DE DOIS TEXTOS DE ANTONIO CALLADO + ENDEREÇO DE ACESSO

À “LIVE” QUE DEBATEU
O FILME “CALLADO” (DE EMILIA SILVEIRA, COM MONTAGEM DE VINÍCIUS NASCIMENTO). Promoção do Cineclubes CASAS CASADAS, em parceria com a ABC :

https://youtu.be/EsqrE56gHFQ

*******GLOBO DE OURO 2021
Foram divulgados os finalistas aos prêmios dos Correspondentes Estrangeiros. Destaco aqui a categoria filme em língua não-inglesa: Os pré-candidatos brasileiros estão ausentes. A América Latina marca presença com LA LLORONA, de Jairo “Ixcanul” Bustamante (Guatemala). Vimos o filme na Mostra SP e Jairo — que fotografei (imagem abaixo) num passeio durante os PRÊMIOS PLATINO, na Espanha (Marbella/Málaga) — é um talento! Merece. Entre os outros escolhidos está MINARI, de Lee Isaac Ching, filmado nos EUA (espero que falado em coreano). Da Europa, TRÊS candidatos: o dinamarquês ANOTHER ROUND (ou DRUNK), de Thomas Vinterberg, com o magnífico Mads Mikkelsen (convidado de encerramento da Mostra SP, ano passado), o francês “TWO of Us” e o italiano ROSA E MOMÔ, com Sophia Loren, baseado em livro do francês Roman Gary. O dinamarquês, o francês e o guatemalteco estão pré-indicados ao Oscar de melhor filme internacional.

***CALLADO EM BUSCA

DE DOIS TEXTOS “CALLADIANOS”

******EM BUSCA DE DUAS CRÔNICAS DE ANTÔNIO CALLADO — Há mais de 15 anos busco, sofregamente, dois textos jornalísticos de Antônio Callado: um sobre a Seleção Brasileira de 1970 (pura luz em tempo de trevas medicianas) e outro sobre CARLOTA JOAQUINA (teria o sucesso do filme relação com suas legendas, já que narrado por um escocês????). Na “live” promovida pelo Cineclube Casas Casadas e ABC, no momento final, pedi a quem nos via-ouvia que, caso localizassem esses textos, me avisassem. A cineasta Emilia Silveira brincou: “acho que esses textos são seus, pois ninguém os encontra”. Na hora, o montador VINICIUS NASCIMENTO (de CALLADO e codiretor de NA ILHA) me surpreendeu com texto do escritor publicado na Folha, em fevereiro de 1995, quando da estreia de CARLOTA JOAQUINA, a Princesa do Brazil”. Fiquei eufórica. Terminada a LIVE li o magnífico texto “calladiano”. Mas não era o que eu procurava…. O que sigo buscando tem as legendas do filme brasileiro (narrado em inglês) como um de seus temas. Deve ter sido publicado na mesma Folha, semanas depois, quando o filme estourou nas bilheterias. Aguarde testemunho do exibidor Adhemar Oliveira (*). Já o texto sobre a arrebatadora Seleção de 1970 deve ter saído na revista Istoé!!!! Entre 1976 e 1978… ***********P.S. – Adhemar Oliveira é um dos principais responsáveis pelo sucesso comercial de “Carlota Joaquina, Princesa do Brazil” (1.500.000 de ingressos vendidos, num tempo em que o cinema brasileiro vivia crise terrível e “divórcio” com seu público). Eis o testemunho de ADHEMAR: “O filme de Carla Camurati estreou uma semana antes do Carnaval, em quatro salas paulistanas (Augusta, Olido, Vitrine, e uma quarta, da qual não me ocorre o nome nesse momento). Nos dias de Carnaval, que para o circuito exibidor são cinco, só no Espaço Augusta, foram vendidos 7.200 ingressos (a oferta era de 8.400 ingressos). Então, a lotação foi espantosa: só potenciais 1.200 lugares não foram ocupados em sessões vespertinas, pois à noite, lotava). No nosso cinema da Rua Augusta, o filme permaneceu em cartaz por 6 (seis!) meses. De fevereiro a agosto de 1995. ****** (**) Por isto intuo que, frente ao sucesso comercial do filme, Antonio Callado tenha retomado o assunto em novo texto. Como Emília Silveira, Luiz Zanin, meu companheiro, intui que fiz uma “montagem” mental de textos. Li outros colunistas e atribuí a Callado a reflexão sobre as legendas, uma possível (e irônica) razão (entre muitas) para o sucesso do filme “Carlota Joaquina”… Pode ser, já que ninguém encontra esse segundo texto.Mas guardei por décadas a “certeza” (sei que nossa mente é traiçoeira!) de que o autor de Quarup escreveu as duas crônicas que busco sem descanso: esta dedicada ao filme de Camurati e a outra, na Istoé, pois li em meus tempos de estudante na UnB, sobre a Seleção comandada por Pelé-Tostão-Jairzinho- Rivelino-Caju e outros craques…..

****** GRANDE CALLADO