MELHORES FILMES BRASILEIROS E ESTRANGEIROS (LANÇADOS EM CINEMAS E STREAMING)

****MELHORES
FILMES DO ANO de 2020

Como era previsível, cometi falhas em minha lista de melhores do ano.

* Primeiro, não sabia que “Sertânia”, de Geraldo Sarno, havia sido lançado no circuito comercial (que, com a pandemia, virou uma verdadeira nebulosa)…Tomara que o CineSesc dê ao filme um relançamento digno, promovendo um CINEMA DA VELA com o octogenário Sarno, baiano-carioca, cheio de gás e energia criativa nesse belo filme.

  • Segundo, omiti da lista de melhores filmes brasileiros (longa-metragem), o filme “Breve Miragem de Sol”, de Eryk Rocha. Por tê-lo assistido na Mostra SP de 2019, me confundi.
  • Terceiro: na sintética lista de Destaques do Curta-Metragem, omiti “O Que Há em Ti” (“Haiti”), de Carlos Adriano, e ““Filhas de Lavadeiras”, um emocionante filme de Edileuza Souza, vencedor do Festival É Tudo Verdade.
  • Segue, pois, a minha lista, só com filmes (caso dos longas-metragens) vistos em salas de cinema ou no streaming. Filmes vistos em dezenas de festivais não entraram. Ficam para o ano que vem.
  • ******Difícil estabelecer lista de melhores filmes do ano, num 2020 marcado pela pandemia, pelo fechamento das salas exibidoras, etc. As muitas listas às quais tive acesso estão misturando além de filmes lançados em (raros) cinemas e no streaming, longas-metragens mostrados só em festivais.
  • MELHORES FILMES BRASILEIROS:
  • . Sertânia, de Geraldo Sarno (CE/BA)
  • Pacarrete, de Allan Deberton (CE)
  • Fico te Devendo Uma Carta do Brasil, de Carol Benjamim (RJ)
  • Todos os Mortos, de Caetano Gotardo e Marco Dutra
  • . Babenco: Alguém Tem Que Ouvir o Coração e Dizer: Parou”, de Bárbara Paz (SP)
  • . A Febre, Maya Da-Rin (RJ)

    . AmarElo, É Tudo Prá Ontem – Fred Ouro Preto (SP)

  • . Partida, de Caco Ciocler (SP)
  • . Breve Miragem de Sol, de Eryk Rocha (RJ)
  • . Casa de Antiguidades, João Paulo Miranda Maria (SP)
  • . Cidade Pássaro, Matias Mariani (SP)
  • . Fim de Festa, Hilton Lacerda (PE-SP)
  • . Aos Olhos de Ernesto, Ana Luíza Azevedo (RS)
  • . Três Verões, Sandra Kogut (RJ)
  • . Meio Irmão, de Eliane Koster (SP)
  • . Dentro da Minha Pele, Toni Venturi e Val Gomes (SP)
  • (….)
  • *AGUARDANDO (os ótimos filmes, só mostrados em festivais – cito os dois que mais impacto me causaram, esse ano):
  • . Segredos do Putumayo, Aurélio Michiles (SP)
  • . King Kong en Asunción, de Camilo Cavalcanti (PE/Brasil- Paraguai, Bolívia e Colômbia)
  • . (***)
  • MELHORES FILMES ESTRANGEIROS:
  • . Os Miseráveis, Ladj Ly (França)
  • . O Conto das Três Irmãs, de Emre Erkmer (Turquia)
  • Nunca, Raramente, às Vezes, Sempre, de Eliza Hittman (EUA)
  • . Você Não Estava Aqui, de Ken Loach (Inglaterra)
  • . Atlantique, de Mati Diop (França, Senegal)
  • . Martin Eden, de Pietro Marcello (Itália)
  • . Transtorno Explosivo, de Nora Fingscheidt (Alemanha)
  • . High Life, de Claire Denis (França-EUA)
  • . O Oficial e o Espião, de Roman Polanski (França)
  • . Belle Époque, de Nicolas Bedo (França)
  • . Os Sete de Chicago, de Aron Sorkin (EUA)
  • . Wasp Network, de Olivier Assayas (França-Brasil)
  • (….)
  • CURTAS BRASILEIROS (DESTAQUES):
  • . A Morte Branca do Feiticeiro Negro, de Rodrigo Ribeiro (SC)
  • Inabitável, de Matheus Faria e Enock Carvalho (PE)
  • . O Que Há em Ti (Haiti), de Carlos Adriano (SP)
  • O Barco e o Rio, de Bernardo Ale Abinader (Amazonas)
  • . República, de Grace Passô (SP)
  • . “Filhas de Lavadeiras”, de Edileusa Souza (DF)
  • A Tradicional Família KATU, de Rodrigo Senna (RN)
  • . Vitória, de Ricardo Alves Jr (MG)
  • (…)