MOSTRA SP 2020 (ANO 44) E “ARANHA”

+ LIVRO “WALTER DA SILVEIRA” + TV STYCER (CALÚNIA E INDENIZAÇÃO IRRISÓRIA)


+ TV STYCER + MOSTRA SP (ARANHA) NA REVISTA DE CINEMA + WALTER

DA SILVEIRA: Lançamento livro organizado por Cyntia Nogueira

+ COLUNA DE MAURICIO STYCER (TV)
Hoje, quinta-feira, na Folha de S. Paulo, matéria
obrigatória de Maurício Stycer, crítico
de TV (ver nessa remessa)

+ MOSTRA SP 2020 – ANO 44:
(ARANHA) NA REVISTA DE CINEMA

+ WALTER DA SILVEIRA:
Lançamento de livro
organizado por Cyntia Nogueira

+ Inscrições para o Fest Brasília Ano 53
abertas até 10 de novembro (o mais antigo
festival do país acontece de 15 a 20 de dezembro)

+ GLAUBER, CLARO,
de Cesar Meneghetti:
Um belo documentário produzido por
Renato Ciasca e Beto Brant. Na Mostra SP.

+ WALTER DA SILVEIRA:
Lançamento de livro organizado por
Cyntia Nogueira (ver detalhes abaixo)

+ MOSTRA SP (ARANHA)
NA REVISTA DE CINEMA

http://revistadecinema.com.br/2020/10/mostra-sp-registra-crescimento-de-parceria-entre-cinema-brasileiro-e-hispano-americano/

Já é mais que chegada a hora de uma mostra retrospectiva de Andrés Wood no Brasil, não?
Assistam, na Mostra SP ao filme “Aranha”, sobre a extrema-direita no Chile. O diretor de “Machuca” e “Violeta Subiu aos Céus”, este sobre Violeta Parra, volta os olhos a um trio de militantes do “Pátria y Libertad”, cujo símbolo era uma aranha estilizada. Três dias depois da queda de Allende, o movimento foi dissolvido. Coprodução brasileira (Paula Cosenza), com Caio Blat no elenco, emq ue a argentina Mercedes Morán traz o brilho costumeiro.

***JIA ZHANGKE
Ontem, ao começar a ver o novo filme do chinês Jia Zhangke, me perguntei: aonde ele quer chegar? Como sou admiradora juramentada do cineasta, origem de um belo documentário de Walter Salles e tenho “Still Life” como obra-prima, respirei fundo em meio à maratona da Mostra SP e segui em frente. Afinal, o que mais nos pede o material gráfico “mostreano” que o tem como fonte? Que respiremos fundo e saíamos dessa loucura cotidiana… Pois “Nadando Até o Mar Ficar Azul” é um belíssimo documentário. Eduardo Coutinho ia adorar, pois Jia encontrou grandes oradores, pessoas que sabem (e têm) o que dizer. O que é aquele escritor que mudou o final feliz do conto dele? Dá vontade de passar horas escutando o que ele tem para contar. Ele sabe contar. Por isto batizou o filme… P.S. – Que delicioso o clip-anúncio do Canal CURTA!, que está entre os promotores da Mostra. Começa com Angela Davis e termina com… Eduardo Coutinho. Curto todo dia!!! Com imenso prazer!!!

***CELSO SABADIN
comenta o filme “Nossa Bandeira Jamais
Será Vermelha” (no final dessa remessa)

**Lançamento livro Walter da
Silveira e o cinema moderno no Brasil

POR CYNTIA NOGUEIRA
Organizadora do livro “Walter da
Silveira e o Cinema Moderno no Brasil”

Segue link dos materiais de imprensa referente ao lançamento do livro Walter da Silveira e o cinema moderno no Brasil: críticas, artigos, cartas, documentos (Edufba), que ocorrerá no dia 3 de novembro, como parte da programação dos Webnários Diálogos Audiovisuais: o legado de Walter da Silveira, de 3 a 5 de novembro, realizados em parceria com a Cinemateca da Bahia, em homenagem aos 50 anos de sua morte.

https://drive.google.com/drive/folders/13RGIItPnqhgGPuwhhglKqRflNeGBtnxp?usp=sharing

Cyntia Nogueira – Curso de Cinema e Audiovisual da UFRB

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RECÔNCAVO DA BAHIA

+ MOSTRA SP registra crescimento de parceria
entre Brasil e AMERICA HISPANICA

+ BELAS ARTES A LA CARTE
lança novos (e ótimos) títulos. Entre eles,
“O Homem e a Câmera”, de
Dziga Vertov, o pião que roda

+ Festival Internacional
Cinema & Transcendência (ver abaixo)

+ NESTE FINAL DE
SEMANA TEM FILME DE GRAÇA
no YouTube do CPC-UMES FILMES
Confiram a lista de 50 lançamentos em DVD
desse grupo cultural. Assistam a seus podcasts.
E aguardem a Mostra de Cinema Russo e Soviético.

+ MOSTRA CINE BH
Em BH-Minas Gerais.

+ FEST INDIE:
100% DIGITAL

+ CD HOMENAGEIA
BADEN POWELL
Editora 34 relança biografia
ampliada do grande violonista brasileiro

+ COLUNA DE MAURICIO STYCER (TV)
Hoje, quinta-feira, na Folha de S. Paulo, matéria obrigatória de Maurício Stycer, crítico de TV, sobre calúnia do telejornal sensacionalista “Cidade Alerta”, da Record, que acusou um
homem de ter estuprado e matado a enteada de 2 anos. A
menina morreu de doença grave e os machucados eram fruto de uma convulsão. A emissora do Bispo pagará 50 mil ao caluniado. Como valor tão módico, a Record continuará CALUNIANDO gente pobre. 50 mil para ela é troco. Enquanto as indenizações
não forem realmente volumosas, continuaremos com essa
mídia faroeste caboclo. Não???