“PARTIDA” PREMIADO NA ESPANHA + KINOFORUM DIVULGA PREMIADOS + SESQUICENTENÁRIO DA MORTE DE ALEXANDRE DUMAS

+ PARTIDA, DE CIOCLER,
PREMIADO NA ESPANHA

+ KINOFORUM DIVULGA CURTAS
PREMIADOS EM
SEU FESTIVAL DE NÚMERO 31

+ SESQUICENTENARIO
DA MORTE DE
ALEXANDRE DUMAS

+ “PARTIDA”, DE
CACO CIOCLER,

PREMIADO NA ESPANHA:

O docfic (um híbrido, na verdade) “Partida”, de Caco Ciocler, foi eleito o melhor documentário do Festival de Málaga (terra de Picasso e Banderas), na Espanha.

https://festivaldemalaga.com/noticias/ver/1610/palmares-23-festival-de-malaga

***NA REVISTA DE CINEMA (Junho 2020):

http://revistadecinema.com.br/2020/06/partida/
+ SESQUICENTENARIO
DA MORTE DE ALEXANDRE DUMAS:
Quem quiser relembrar o autor de livros como “Os Três Mosqueteiros” e “Rainha Margot”, levados aos cinemas em 200 versões, pode fazê-lo no SUPER LIBRIS, programa de Torero no SescTV. E assistir, na Festa do Cinema Italiano ao filme “Os Mosqueteiros do Rei”, blockbuster peninsular, com Pierfrancesco “O Traidor” Favino no elenco. E também Sérgio Rubini. *** Descobri, com décadas de atraso, que Dumas (dimás) era afro-francês. E que, em 2002 (ou 2005), os restos mortais dele foram levados para o Pantheon parisiense, para ficar ao lado de Balzac, Zola e outros grandes da literatura francesa. Matéria da BBC questiona (ver na internet) se ele foi enterrado fora do “panteão” por ser “popular demais” (seus livros alucinavam os leitores) ou se por ser neto de uma escrava de Santo Domingo. Quem sabe pelas duas razões ***Zanin me contou que há uma série sobre a vida dele. E que Dumas, um afro-francês, de cabelos crespos, foi intrepretado por… Gérard Depardieu. A escolha gerou muitos protestos. Vou atrás dessa série.

***CRITICA CINEMATOGRAFICA: série de Luiz Alberto Cassol, produzida no Rio Grande do Sul, estreia dia 2 de setembro no Canal Box Prime Brasil. Em oito episódios, com média de 25 a 35 minutos de duração cada. Informações detalhadas no Blog Almanakito.