O ADEUS DE AURORA DUARTE + SAÍDA PARA O SOL (MOSTRA EGIPCIA) + “A
COPA” DOS MONGES TIBETANOS

+AURORA DUARTE + A COPA (ASIATICA) + OLHAR DE

CINEMA 2020 + MOSTRA EGITO + “LIVE” CINEMA
BRASILEIRO (TATA, JOEL ZITO, ZANIN)

+ OLHAR DE CINEMA 2020: NOVO FORMATO +
MOSTRA EGITO (SAÍDA PARA O SOL) + “LIVE”
CINE BRASILEIRO (TATA, JOEL ZITO, ZANIN)

+ AURORA DUARTE (1933-2020),
ALBERTO CAVALCANTI (O CANTO DO
MAR, 1953)… E O NORDESTERN
Estou estarrecida. Só hoje,
três ou quatro dias depois, soube, por um
“post” de Antônio Leão, o dos DICIONARIOS,
que a atriz e produtora (pernambucano-paulista)
Aurora Duarte morreu.
Lembro aqui uma história. Rubens Ewald Filho me sugeriu que escrevesse o perfil dela para a “Coleção Aplauso”, da Imprensa Oficial de SP. Afinal, eu tinha organizado o livro “Cangaço, o Nordestern no Cinema Brasileiro”. Marcamos um encontro no Café Fellini, no Anexo do Espaço Itaú Augusta e conversamos longamente. No final, concluimos, juntas, que a parceria seria impossível. Ela era irredutível em suas decisões… Ela mesma — quebrando o padrão da coleção (jornalistas e pesquisadores escrevendo depoimentos em primeira pessoa de gente do mundo artístico – cinema, teatro, tv, etc) –organizou o livro, que saiu com o sugestivo título “AURORA DUARTE: FACA DE PONTA”. Pena que está esgotado. Tivemos, depois, encontros esporádicos, sempre simpáticos. E ela estava sempre anunciando novos planos, novos projetos. E, vale lembrar, ela coproduziu e atuou no único lo0nga-metragem de ALOYSIO RAULINO, “Noites Paraguaias”….

+ CINEMA BRASILEIRO (“LIVE”):
ver endereço abaixo

+ CINEMA EGIPCIO:
Não percam (reprise, hoje, 22h00) o belo “Saída para o Sol”, até agora o melhor filme da Mostra de Cinema Egípcio Contemporâneo. Digido por uma mulher (são 4 diretoras entre quase vinte varões assinalados! – risos), o filme esteve em Berlim e venceu um Festival de Cinema Africano na Itália. O começo é sofrido e nos induz a pensar em um filme miserabilista. Não é nada disso. Trata-se de delicado registro da vida de duas mulheres (mãe e filha). E prestem atenção ao diálogo entre a filha e uma passageira, dentro de uma van (sobre ser solteirona e feitiço: de antologia!!!). Grande momento do cinema feminino afro-árabe.

+ BELAS ARTES À LA CARTE
traz 4 cults com grandes nomes do cinema

CINEMA BRASILEIRO (LIVE”)
COM TATA AMARAL – JOEL
ZITO ARAUJO – LUIZ ZANIN:
QUINTA-FEIRA, 16h00

link para o público — Abaixo segue o link para o público

interessado em assistir à “live” desta quinta-feira.

https://youtu.be/mMMwK6o4uf0

***BELAS ARTES À LA CARTE
traz 4 cults com grandes nomes do cinema:
Perto Dela, O Amigo
Americano, Perdas e Danos e “A Copa” (do Tibet???)… Tenho uma história hilária com este filme. Meus filhos (brasilienses) estavam passando férias comigo e com Zanin. Era uma quarta-feira, último dia em que ele, o filme asiático (sobre futebol e monges), estaria disponível num cinema de shopping no fim do mundo. Enfiamo-nos todos no carro e fomos para multiplex. Ingressos, pipoca e estacionamento caros. Pagamos e entramos. Só nós 4 dentro da sala. Assistimos ao filme. Eu gostei muito. Meus filhos não se entusiasmaram muito. No dia seguinte, a distribuidora do filme (A COPA), que ia lançá-lo em DVD (ou VHS?) mandou uma cópia para Zanin. Eu queria morrer de raiva, mas… ri do inusitado da situação…