ALMANAKITO (27-05-20) + SALAS DE CINEMA + LEOPOLDO NUNES + WASP NETWORK + ISMAIL XAVIER + CINE RUSSO E SOVIÉTICO + MEMÓRIAS DE GRAMADO + DVDsCPC-UMES (50 TÍTULOS SOVIÉTICOS E RUSSOS)

ALMANAKITO (27-05-20) + SALAS DE CINEMA + LEOPOLDO NUNES + WASP NETWORK + ISMAIL XAVIER + CINE RUSSO E SOVIÉTICO + MEMÓRIAS DE GRAMADO + ENTREVISTA DE JORGE PEREGRINO (foto) AO FILME B (PRÊMIO GRANDE OTELO E OUTROS ASSUNTOS

SALAS DE CINEMA + LEOPOLDO
NUNES + WASP NETWORK + ISMAIL

XAVIER + CINE RUSSO E SOVIETICO + MEMORIAS DO FEST GRAMADO

+ WASP NETWORK –
PRISIONEIROS DA GUERRA FRIA (*):
Estreia prevista para a Netflix, dia 19 de junho. O filme, coprodução França-Brasil, dirigido por Olivier Assayas, com Wagner Moura, Penélope Cruz, Edgard “Carlos” Ramirez,
Ana de Armas e Leonardo Sbaraglia, vai direto para o streaming??? Se for, tal decisão (de Rodrigo Teixeira e parceiros) comprova o imenso prestígio de Wagner Moura, o Pablo Escobar de duas vitoriosas temporada de NARCOS (no streaming netflixiano). Ele deve ter intermediado exclente negociação para os produtores não esperarem a volta do funcionamento da salas… Aliás, por falar em SALAS, ótima matéria de Elaine Guerini no caderno EU-Valor Econômico da última sexta-feira. Ela pergunta a
vários produtores quando o público retornará — se
retornar — a salas fechadas e sem janelas??? As respostas
não são muito animadoras. Muitos acham que as situações se normalizarão, se se normalizarem, quando houver VACINA
segura e capaz de impedir a difusão do coronavirus. (*) Baseado
no livro “Os Últimos Soldados da Guerra Fria”, de Fernando Morais (Cia das Letras).

* DRIVE IN NO MEMORIL DA AL
O Memorial da América Latina deve sediar drive-in programado pelo Cine Belas Artes, de André Sturm (hoje, matéria no Uol).

+ LEOPOLDO NUNES + ONDE A TERRA ACABA + ISMAIL XAVIER + CINE RUSSO E SOVIETICO + MEMÓRIAS DE GRAMADO + A LEI E O MEDO + CINECLUBISMO + CARLÃO REICHENBACH + O TUMULO DE ALEXANDRE ….

+ HOJE TEM
“Onde a Terra Acaba”, de Sérgio Machado, sobre “Limite e Mário Peixoto” no Canal CURTA! (creio que às 21h00: mas não tenho certeza)

****NOTAS BREVES:

+ LEOPOLDO NUNES
morreu, ontem, aos 54 anos, em Cuiabá. Enterro acontecerá em sua cidade natal, Santa Cruz do Sul, interior de SP: ele foi cineasta e gestor cultural, presidente do Conselho Nacional das ABDs, titular da SAv-MinC, um dos integrantes da equipe que elaborou o plano da EBC (Empresa Brasileira de Comunicação), secretário de Cultura de S. Bernardo do Campo, etc. Um ponto controverso em sua trajetória como gestor cultural foi a “intervenção desestruturante” na Cinema Brasileira (Gestão Marta Suplicy no MinC). ***Leiam no facebook de ALFREDO MANEVY, ótimo artigo sobre o colega Leo Nunes.

+ Ótima entrevista de Jorge
Peregrino ao BOLETIM FILME B

+ JUCA KFOURI ENTREVISTA
MARCOS COIMBRA: nesta
quinta-feira, na TVT (22h00).

+ Crítica de Inácio Araújo à série de Eugenio Puppo sobre Alimentação, a partir de estudos
de Luiz da Câmara Cascudo (Folha, 26-05-20)

+ CHÃO DE FABRICA,
de Renato Tapajós, na TVT

+ ISMAIL XAVIER (PROJETO CEBRAP 50)

+ CINECLUBES (PODCAST ABRACCINE)

+ ” A LEI E O MEDO”: NOVO
FILME DE HERMES LEAL (MEDO)

+ MEMÓRIAS DO
FESTIVAL DE GRAMADO

+ LIVRO (E DEPOIS PODCAST)
SOBRE CINEMA RUSSO E
SOVIÉTICO (JOÃO LANARI)

+ SEMANA DA
HISTÓRIA DO CINEMA

+ “SALVADOS DIGITAIS”
Livro de José Inácio Melo Souza:
matéria na Revista de Cinema
*** O que seria de “Limite” sem Edgard Brazil?

***Todo filme brasileiro merece ser analisado?

****Qual é o papel da guerrilha, do foquismo e do desbunde em filmes como “A Ilha dos Prazeres Proibidos”, de Carlão Reichenbach, “Fome de Amor”, de Nélson Pereira dos Santos, e “Prata Palomares”, de André Faria?

*****O que há em comum entre livros de Renato Tapajós (“Em Câmara Lenta”), Ignácio de Loyola Brandão (“Depois do Sol”), Márcio Souza (“Operação Silêncio”), Renato Pompeu (“Quatro Olhos”), Carlos Heitor Cony (“Pessach”) e Antonio Callado (“Quarup”)?

*****O Cine Belas Artes, localizado na Avenida Consolação paulistana, foi salvo graças à manipulação cinéfila de memória construída artificialmente?

****NA REVISTA DE CINEMA:
“SALVADOS DIGITAIS”
LIVRO DE JOSÉ INACIO DE MELO SOUZA
— Pesquisador analisa cinema subversivo de
Carlão Reichenbach e Nelson Pereira dos Santos

http://revistadecinema.com.br/2020/05/pesquisador-analisa-cinema-subversivo-de-carlao-reichenbach-e-nelson-pereira-dos-santos/

***UM FILME, TRÊS TITULOS:
Me preparando para rever “Elegia para Medvedkin”
(em francês, traduzido, “O Túmulo de Alexandre” e, nos EUA, “O Último Bolchevique”), que Chris Marker dedicou a seu grande amigo soviético, Alexander Medviedkin (cada hora eu escrevo de um jeito!!!!)…..

+ COMÉDIA DE EDUARDO
COUTINHO COM DEBATE
Amanhã, quinta-feira

O Cineclube Vila das Artes, em seu mais novo formato “Sessões de Quarentena”, chega à segunda edição nesta quinta-feira (28/05) e exibe o filme “O homem que comprou o mundo” (1968), de Eduardo Coutinho. Com curadoria de Kamilla Medeiros, idealizadora do Cineclube Ancora, a sessão tem início às 17h e é seguida por debate mediado por Kamilla e também transmitido ao vivo, com os convidados Carlos Alberto Mattos, crítico, pesquisador de cinema, cocurador da Ocupação Eduardo Coutinho e autor do livro “Sete Faces de Eduardo Coutinho”; e o realizador audiovisual e bacharel em Ciências Sociais Cesar Mota.
.
Ação da Escola Pública de Audiovisual da Vila das Artes, “Sessões de Quarentena” convida semanalmente cineclubes para a realização de curadoria e mediação de sessões temáticas, sempre transmitidas ao vivo no canal da Vila das Artes no Youtube. Acompanhe!
.
A Vila das Artes é um complexo cultural da Prefeitura de Fortaleza, coordenado pela Secretaria Municipal da Cultura de Fortaleza (Secultfor) em parceria com o Instituto Cultural Iracema (ICI).

***********AMIGOS:
Lhes recomendo esta matéria (endereço abaixo) sobre uma de minhas causas missionárias: a difusão do cinema de outras georgrafia. No caso, o russo. O livro físico saiu ano passado.
O e-book agora no começo de JUNHO….
Lhes recomendo, também, três filmes:
1. O Quadragésimo-Primeiro, 2. A Comissária
3. CIRCUS — creio que estão todos (ou pelo menos
2 deles, no Selo CPC-UMES)

+ NA REVISTA DE CINEMA:
Matéria sobre livro de
JOÃO LANARI BO, PROFESSOR DA UnB,
“CINEMA PARA RUSSOS
CINEMA PARA SOVIETICOS”

http://revistadecinema.com.br/2020/05/professor-da-unb-constroi-poderosa-analise-critica-do-cinema-russo-e-sovietico/

. ISMAIL XAVIER:
Notável palestra no projeto “Sesc-Cebrap
50 anos”. Disponível no espaço digital:
Zanin e eu nos dedicamos neste final de semana — (nos momentos que me sobraram de mergulho no livro sobre cinema russo-soviético do Lanari, na re-visão de filmes como A Comissária, O Quadragésimo-Primeiro e Circus e na preparação do podcast CPC-UMES) — a assistir a gravações internéticas de palestras de Ismail Xavier (no Itau Cultural e Sesc-Cebrap: recomendação do baiano Euclides Santos Mendes).
A palestra do CEBRAP 50 é notável e obrigatória: Ismail analisa o RESSENTIMENTO em três filmes brasileiros realizados com a intenção de dialogar com o grande público (já, portanto, distantes do projeto cinemanovista de cinema de autor): “Cidade de Deus”, de Meirelles, “O Homem Que Copiava”, de Furtado, e “Redentor”, de Claudio Torres. Em seu complexo e iluminador raciocínio, aparecem (depois de prólogo, “Eles Não usam Black-Tie”, de Hirszman) filmes como “Cronicamente Inviável” (Bianchi), “Notícias de Uma Guerra Particular (J. Salles & K. Lund), “Árido movie” (Lírio), “O Som ao Redor” (Kleber)… No debate, “Tropa de Elite 1” e “2” (Padilha), “Bacurau” (Mendonça e Juliano), que Ismail analisa pelo “final catártico”. E também citações a “Um Dia de Cão” e “Corações e Mentes” (ambos estadunidenses), “Cinco Vezes Favela, Agora por Nós Mesmos” (5 autores) e “Sonhos Roubados” (Sandra Werneck). E, claro, como obra sem personagens ressentidos e favela em guerra, o cinema documental de Eduardo Coutinho. Uma palestra obrigatória. Um detalhe final: Ismail lembra que Kleber sempre busca diálogo com o público e vem conseguindo:
O Som ao Redor (100 mil espectadores), Aquarius (quase 500 mil), Bacurau (mais de 800 mil).

+ “A LEI E O MEDO”:
Hermes Leal lança filme inédito
sobre o medo do governo Bolsonaro
Mais informações na
Revista de Cinema:
http://revistadecinema.com.br/2020/05/hermes-leal-lanca-filme-inedito-sobre-o-medo-do-governo-bolsonaro/

+ PODCAST ABRACCINE:
sobre Cineclubismo no Brasil.
Com Fatimarlei Lunardeli e André Dib.
Moderação de Amanda Aoud e Renato Silveira
https://anchor.fm/abraccine/episodes/Podcast-Abraccine-9-Cineclubismo-eehjch

+ GRAMADO
MEMÓRIAS AFETIVAS:

******FEST GRAMADO 2020 (ANO 48) – Já estão no ar, no site do festival gaúcho, os primeiros depoimentos com MEMÓRIAS AFETIVAS do evento. Zanin relembra a conturbada exibição do curta-manifesto “Pornografia”, de Murilo Salles e Sandra Werneck, cuja trilha sonora — o Hino Nacional — foi interditada. Ocasião em que Barretão cunhou a notável frase: Era SOM o que faltava”. Eu, que sou desmedida (e cubro o FEST GRAMADO há 40 anos) conto quatro histórias: do filme nicaraguense LA YUMA (o nome da protagonista homenageia a pantaneira JUMA Marruá), do Kikito de chocolate do argentino Jean-Pierre Noher (Um Amor de Borges), da nudez da “soldadera” mexicana Claudette Maillé (Como Água para Chocolate) e da descoberta de Roberto COBO, o JAIBO do buñuelino “Los Olvidados”.

+ TERÇAS CRESPAS:
Toda terça-feira, no espaço
digital do CCSP Vergueiro,
com Sidney Santigo, Lázaro Ramos e um time feminino da pesada. O poder simbólico da arte
e dos artistas black.

+ AGUARDE PODCAST CPC-UMES:
sobre o livro “Cinema para Russos, Cinema para Soviéticos”, de João Lanari Bo, mais ações do selo (de DVDs) CPC-UMES (50 títulos lançados), Mostra de Cinema Russo e Soviético, mais “Cinema Italiano” + Cinema Com Partido.
(Estou aqui, torcendo para que o selo lance
“20 Anos de Cinema Soviético”, de Pudvkin
& Esther Shub/1940)

+ REVISTA DE CINEMA (20 ANOS)

+ LIVRO TRAZ TRAJETORIA DO CRITICO
potiguar-carioca Salvyano Cavalcanti de Paiva, autor de uma dezenas de publicações editoriais (uma delas em inusitada “parceria” com Pudovkin). Lançamento da Editora Tábua de Maré. Autor: o jovem Wandyr Villar, formado em Biblioteconomia e editor por profissão. Ele tem 36 anos e é um apaixonado convicto por nossa memória cinematográfica. Pedidos pelo endereço: tabuademareeditora@gmail.com

+ FESTIVAL OLHAR DE CINEMA:
Curso sobre “História
do Cinema” (ver no site

www.olhardecinema.com.br)

+ O “PRAZER” DE MAUPASSANT + TERÇAS CRESPAS + CARLÃO NO LIVRO “SALVADOS DIGITAIS” + SALVYANO CAVALCANTI DE PAIVA + PODCAST SOBRE CINE RUSSO

+ TERÇAS CRESPAS

+ CARLÃO REICHENBACH NO LIVRO DE ZÉ INACIO:
“SALVADOS DIGITAIS” (REVISTA DE CINEMA)

+ PODCAST CPC-UMES SOBRE CINEMA RUSSO

***MAUPASSANT NO CINEMA
DEPOIS DO “BOLA DE SEBO” SOVIÉTICO,
a descoberta de outro grande filme
baseado no genial Guy de Maupassant

Não somos, Zanin e eu, saudositas de jeito nenhum. Estamos sempre atentos ao presente, acompanhando filmes das novas gerações jovens, etc (sem, claro, esquecer o passado!). Desde que assistimos ao MINHA VIAGEM AO CINEMA FRANCÊS, documentário de mais de três horas de Bertrand Tavernier, resolvemos ver filmes de realizadores franceses dos anos 1940 e 50, a quem ele revaloriza com muito entusiasmo. Começamos com dois Becker (Casque d’Or e Amantes de Montaparnasse), entramos por alguns filmes do alemão Max Ophuls, um cidadão do mundo, que filmou em vários lugares, incluindo a França, etc… E, por causa do “Guerra e Paz”, resolvemos ver também alguns filmes antigos do King Vidor (claro, também, o primeiro longa — “O Destino de Um Homem” do Sergei Bondarchuk, além do épico dos épicos soviéticos/Tolstoi). Tudo para homenagear o centenário do ator-diretor soviético…. **** Resumindo: fuçando nos filmes do Ophuls, vi lá: PRAZER, baseado em Maupassant. Fiquei eufórica….
Assistimos. Que maravilha, que surpresa, que filme lindo (o que é aquele passeio das prostitutas ao campo para assistir a uma celebração de primeira comunhão???!!!!). O filme soma três narrativas (contos ou novelas) do maior contista do OCIDENTE (todo mundo sabe que BOLA DE SEBO é meu cult dos cults):
A Máscara, a Casa de Tellier e A Modelo. E o faz com tamanha engenhosidade, que Zanin e eu terminamos a sessão em estado de graça. Maupassant, Ophuls e Jean Gabin (encarnado em personagem que interpreta com fairplay encantador) juntos são o que de melhor podemos querer da vida…. bjs rô

**** CINEMA NO FEMININO:
Não se esqueçam do livro “Mulheres Atrás das
Câmeras – As Cineastas Brasileiras de 1930 a 2018),
editado pela Estação Liberdade, em árecria com Abraccine (Associação Brasileira de Críticos de Cinema). Além de artigos/ensaios sobre diversas realizadoras, o livro traz
mais de 200 verbetes/perfis de cineastAs que dirigiram
longas-metragens.

**** ASSISTI, hoje, na TVT, a ótima
entrevista do ator Sidney Santiago Kuanza, sobre evento (“TERÇAS CRESPAS”), que acontecerá nesta terça-feira (26 de maio), 19h30, no espaço digital do CCSP Vergueiro. Com Sidney, Lázaro Ramos, Gal Martins, Leda Maria Martins, Milton Cobra e Lucélia Sérgio. Tema em debate: O Desparelhamento da Cultura no Brasil e o Impacto nas Artes Negras, Como Disputar Imaginários Numa Perspectiva Pós-Isolamento”.

+ LIVRO SOBRE O CRITICO SALVYANO CAVALCANTI DE PAIVA
O potiguar-carioca SALVYANO CAVALCANTI
DE PAIVA criou o neologismo “nordestern”
(o western do cangaço). Autor do livro:
WANDYR VILLAR (creio que ele é professor da Universidade Federal do Rio Grande do Norte

+ AGUARDE PODCAST CPC-UMES
SOBRE CINEMA SOVIÉTICO E RUSSO

+ MICHEL PICCOLI ESTEVE NO
BRASIL EM 1995 (TUNA DWEK)

+ OTIMO EDITORIAL DA FOLHA DE S. PAULO
SOBRE O “PRESENTE” A REGINA DUARTE

+ GUY DE MAUPASSANT :
BOLA DE SEBO, DE ROMM,
e PRAZER, DE OPHULS

+ GUERRA E PAZ, ÉPICO
SOVIÉTICO DE GRAÇA NO STREAMING

+ CENTENÁRIO DE SERGEI BONDARCHUK

***MAUPASSANT NO CINEMA + REGINA DUARTE HIGIENIZADA + LIVRO SOBRE A TRAJETORIA DO CRITICO SALVYANO CAVALCANTI DE PAIVA

***CINEMATECA BAIANA:
Filmes de realizadores da Bahia serão exibidos no programa “Cinemateca Baiana”, na TVT (TV dos Trabalhadores), aos sábados, 21h00. O primeiro programa reúne documentários sobre candomblé e outros cultos afro-brasileiros, em nome da tolerância religiosa e cultural.

***REGINA DUARTE
Li, dia destes, um artigo inacreditável “de” Regina Duarte no Estadão. Claro que foi escrito por uma “assessoria de imagem/pensamentos higienizados/genéricos”………
***Segue a vida. O que quero, aqui, é relembrar a modesta carreira dela no cinema e mesmo na TV. Ela fez poucos filmes: Lance Maior, A Compadecida, Chão Bruto, Daniel Capanga de Deus, Parada 88, O Homem do Pau Brasil (papel pequeno), Cangaceiro Trapalhão, Além da Paixão. O primeiro em 1968, o último (desta lista) em 1985. Em tempos recentes fez um filme Gata Velha Ainda Mia (2013, creio)… Na TV, ela dominou os anos 1970 e 1980. Nos 90 os papeis começaram a diminuir. Nos 2000, mais ainda. Para alguém que, na TV, esteve no centro das atenções, a diminuição de espaço (e ter que contentar-se com papéis de menor relevo) deve ter sido um baque. Um baque apavorante/aterrador para quem foi famoso demais. Talvez isto explique a ânsia por cargo público que a coloque de novo no centro das atenções. Mesmo que seja servindo a um governo de extrema-direita. No asséptico artigo publicado, hoje, no Estadão, ela diz que detesta os extremos e abomina a tortura. Então por que serve a um governo que festeja e cultiva um torturador (Brilhante Ustra) como herói??? Vai entender!!!!

**ARTIGO DE MARIA
Cristina Fernandes (Valor Econômico de quinta-feira): enorme repercussão. Também me recomendaram artigo de Fernando Barros e Silva, na Piaui, cujo título, se compreendi bem é “DENTRO DO PESADELO” (vou procurar)