JOÃO ANTONIO E O JOGO DA VIDA + ALDIR BLANC + SIMAS + MIGLIACCIO + MODIGLIANI

+ JOÃO ANTONIO (JOGO DA VIDA):

Excelente matéria no “Aliás-Estadão” sobre a obra do escritor João Antônio, publicada no último domingo (03-05-19). A obra completa dele vem sendo reeditada pela Editora 34. Alô turma da revista “451”, o autor do artigo (Bruno Zeni, doutor pela USP), merece um podcast como o que vocês dedicaram ao livro de poemas de Brecht. Dito isso, faço um comentário, para variar, cinematográfico: João Antônio renegou a versão de Maurice Capovilla (“O Jogo da Vida”, 1977) para “Malagueta, Perus e Bacanaço”. Quando terminei de ler o texto do Aliás, pensei ter encontrado a razão: os personagens-protagonistas da texto literário eram (são) um velho, um malandro lustroso de meia idade e um aprendiz (de sinuca e outras bossas) mais jovem. Para o filme, Capô escalou Maurício do Vale, nascido em 1928, Lima Duarte, em 1930, e Guarnieri, em 1934. Portanto, podemos dizer, três malungos. Praticamente todos já homens maduros naquele final dos anos 1970. Mas, aí, fui buscar fotos na internet, e vi João Antônio, garboso e alegre, se confraternizando, no set de filmagem, com os três atores. Sinal que não desaprovou a opção de elenco do cineasta… Bem, continuo sem saber quais foram as razões reais do desgosto de João com o filme de Capô.
Alguém sabe???

+ FOI UM DISCO QUE
PASSOU EM MINHA VIDA:
Excelente matéria de capa do caderno cultural
de O Globo (03-05-20) sobre discos históricos da música popular
brasileira que estão sendo muito revisitados nestes dias de quarentena. Alguns deles:
. Chega de saudade (João)
. Acabou Chorare (dos filhos de João)
. A Tábua de Esmeraldas (Jorge Ben)
. Elis e Tom (idem)
. Clube da Esquina (trupe de Milton)
. Um Banda Um (Drão, Gil)
***Hora de acrescentar joias como “Briga de Galo” e “Caça à Raposa” (de João Bosco……… & Aldir), Construção (Chico Buarque), Aracá Azul (entre outros de Caetano), “Não Sou eu Que Me Navego” (Paulinho), pelo menos dois Badens, Pérola Negra (Melodia), etc, etc….

+ MODIGLIANI, o MODI:
Assistindo, com Zanin, ao filme “Amores de Montparnasse”, de Jacques Becker, sobre o pintor francês, de origem italiana, Amadeo Clemente Modigliani (1884-1920),
comentei sobre a participação de Pâquerette, fonte de inspiração de nossa Pacarrete (Marcélia Cartaxo, em filme de Allan Deberton), que faz a concièrge de prédio humilde onde o pintor morou… Depois reclamei que o filme centrava-se em excesso no amor de MODI (o deus Gérard Philipe) por Jeanne (Anouk Aimée) e que Becker estava fazendo muito drama com a vida do pintor. Que estava, enfim, exagerando. Pois, creiam, a vida do pintor que morreu aos 35 anos, alcóolatra e pobre — fui descobrir depois — é uma tragédia capaz de deixar a trama de Becker no escaninho dos “filmes contidos”. (Interessei-me pelo filme por causa de “Minha Viagem ao Cinema Francês”, de Bertrand Tavernier).

+ ALDIR BLANC NA CAPA DO ESTADO DE MINAS
E EM POEMA DE CORDEL DE GUSTAVO DOURADO

Excelentes artigos sobre o compositor
nos jornais brasiuleiros, hoje. Bom material, também,
sobre a perda de Flávio Migliaccio. Em termos de capa,
o Estado de Minas deu mais um show (em anexo)

+ PODCAST COM
MILTON HATOUM
(Conversa do escritor
com Luiz Schwarcz)

+ Na REVISTA DE CINEMA on line:
5 filmes com participação
de Aldir Blanc: um DocTV,
“Praça Saenz Peña”,
“Vlado – 30 Anos Depois”,
“Santa de Casa”
e, em pós-produção,
“Ourives do Palavreado”.
http://revistadecinema.com.br/

+ ESTADO DE MINAS:
Homenagens a Aldir Blanc
e Flavio Migliaccio (em anexo)

+ LUIZ ANTONIO
SIMAS E O BRASIL

+ PODCAST ABRACCINE:
No mais novo programa (o oitavo),
já disponível nas redes, Carol Almeida e Pedro
Butcher discutem os desafios impostos às
salas cinematográficas em tempo de
complexos de cinema fechados pela pandemia do coronavírus e avanço avassalador do streaming. Moderação de Amanda
Aoud e Renato Silveira.

*A FERA NA SELVA:
De Betti, Giardini e Escorel
Hoje, no Canal Brasil, adaptação que esta trinca
fez do romance homônimo de Henry James.
Com Eliane Giardini & Paulo Betti.

+ TERRA DE ESPANHA:
JORIS IVENS (PETRA BELAS
ARTES À LA CARTE)

+ MINHA VIAGEM
AO CINEMA FRANCÊS:
Longa documental de
Bertrand Tavernier (confiram)

**De Luiz Antônio Simas (no Twitter):
“O presidente é um genocida, comunicida e epistemicida; exterminador de grupos, comunidades e saberes. Ele tem a boçalidade do bandeirante, o desejo de sangue do capataz, o fanatismo do inquisidor, a sordidez do oligarca, a violência do torturador e a obtusidade do imbecil”.

*Na Revista de Cinema on line:
CINCO FILMES PARA
LEMBRARMOS ALDIR BLANC

http://revistadecinema.com.br/

*DVDs DO CPC-UMES
e acesso fraqueado a filmes no Sputnik Brasil:
Hora de assistir ao filme “A Ascensão”, de
Larisa Sheptiko (URSS, 1977, vencedor
do Urso de Ouro em Belim).

**NO ESTADO DE MINAS:
Homenagens a Aldir Blanc
e Flavio Migliaccio
Capa digna de Prêmio Esso e Prêmio Herzog

+ GREG NEWS URGENTE
Mais que obrigatório o programa
“Greg News Subnotificações”.
Um show de inteligência e humor.
E, o que é raríssimo, uma voz progressista!!!
Na HBO. Assista e difunda!!!!!

+ SPUTNIK BRASIL:
LARISA SHEPTIKO
(CINEASTA SOVIETICA):
“A Ascensão”

Link da matéria sobre o filme “A Ascensão”,
de Larisa Sheptiko, premiado em Berlim:

https://br.sputniknews.com/75-victory/2020050115524429-traicao-e-vontade-de-viver-filme-a-ascencao-debate-colaboracionismo-na-2-guerra-mundial/
Obrigado. Abs, Igor Oliveira (CPC-UMES)

*FAM 2020:
FAM FLORIPA
Festival de Cinema do
MercoSul abre inscrições
até o dia 10 de junho, pelo site
www.famdetodos.com.br
Abertas as inscrições para a 24ª edição do Festival
de cinema Florianópolis Audiovisual Mercosul – FAM 2020.