NEVILLE D’ ALMEIDA E SONIA BRAGA + VENCEDORES DO IV SANTOS FILM FESTIVAL: GALEANO + CORINGA DO CINEMA

VENCEDORES DO IV SANTOS FILM FESTIVAL: GALEANO

+ CORINGA DO CINEMA + NEVILLE E SONIA BRAGA

+++ IV SANTOS FILM FESTIVAL

NOITE DOS PREMIADOS

+ NEVILLE D’ALMEIDA:

Hoje, em mais uma curiosa e provocadora entrevista (a propósito do lançamento de documentário de Mário Abbade, que revê a trajetória do autor de “Jardim de Guerra” e “Dama do Lotação”)… Ano passado, na Mostra CineOP, em Ouro Preto, Neville D’Almeida participou de coletiva com a homenageada do festival mineiro, a atriz Maria Gladys. Foi uma festa, uma farra. Ele dividiu o palco com a amiga e atriz de muitos de seus filmes e falou mais que ela. Que deixou rolar, numa boa. Fora do palco, o performático Neville continuava “atuando”. Certa noite, estávamos José Geraldo Couto, Luiz Zanin e eu jantando num restaurante da rua principal, aquela que leva ao Cine Vila Rica, e ele entrou. Ao nos ver fez um de seus discursos provocantes. Aí eu puxei o assunto: “por que Sonia Braga não dera depoimento ao filme, enquanto Denise Dummont o fizera com entrega total e absoluta?”. Ele rasgou elogios à coragem e ousadia da filha de Humberto Teixeira (“O Homem Que Engarrafava Nuvens”) e lamentou a ausência de Sonia, sua “Dama do Lotação”, vista por mais de seis milhões (6.509.000) de espectadores (um blockbuster brasileiro). Protestou, disse que ela não devia ter feito isto com ele…mas, ao fim, depois de mais uma performance, ele registrou o talento de sua “dama de vermelho” rodriguiana. Vera Fischer, que será homenageada pelo Fest Vitória, em setembro, também não quis falar (ou estou enganada?? Vi o filme no Festival É Tudo Verdade 2018, portanto há 14 meses). Ela trabalhou com Neville em “Navalha na Carne”.

++++ ENTREVISTA DE DANIELA

THOMAS AO PORTAL TUTAMEIA:

a luta pela libertação de Preta Ferreira e outros militantes presos por lutarem por moradia para brasileiros Sem-Teto. Sessão especial do filme “Era o Hotel Cambridge” (mais informações na coluna de Monica Bergamo)

++++ TEXTO DE ASCÂNIO SALEME,

EM O GLOBO, sobre série “Guerras

do Brasil.Doc”, de Luiz Bolognesi

+ MOSTRA “CINEMAS DA

AFRICA” (NO CINESESC: FILMES E CURSO)

******OLHOS QUE CONDENAM

(QUE ABERRAÇÃO a do Senhor Trump nesta série Netflix!!) — Interessante enfoque, hoje,

na Folha de S. Paulo, sobre como afro-brasileiros

estão vendo (ou deixando de ver), a série “Olhos Que Condenam”, de Ava DuVernay – Com depoimento de Lázaro Ramos. Em pauta, a perpetuação da imagem do negro como corpo marcado (só) pelo sofrimento.

+ IV SANTOS FILM FESTIVAL

NOITE DOS PREMIADOS

GALEANO VAGAMUNDO”

E “CORINGA DO CINEMA”

VENCEM FESTIVAL SANTISTA

Veja a lista de filmes premiados por júri oficial e popular. E também menções honrosas a filmes de mostras paralelas.

. “O Coringa do Cinema”(SP), de Sérgio Kieling: e melhor longa pelo júri oficial (ex aqueo) + melhor filme pelo júri popular

. “Galeano Viramundo”, de Felipe Nepomuceno (RJ): ex aqueo de melhor longa pelo júri oficial


. “Nossa Terra”
(Itajaí, SC), de Samuel Moreira – melhor curta-metragem pelo júri oficial

. “Primavera de Fernanda(Curitiba, PR), de Débora Zanatta, Estevan de la Fuente – melhor curta-metragem do voto popular.

MENÇÕES HONROSAS:

. Menção honrosa melhor filme Baixada Santista: Pink Panther Boite”(Santos, SP), de Kauê Nunes Melo.

. Menção honrosa Filme Humanitário: “Lembro Mais dos Corvos”(São Paulo), de Gustavo Vinagre.

INFOMAÇÕES SOBRE

OS FILMES PREMIADOS:

. Eduardo Galeano Vagamundo

(Documentário, 70 minutos, Brasil, 2018)
De Felipe Nepomuceno.
Um filme dos abraços, para o maior

contador de histórias da América Latina.
Trailer: https://www.youtube.com/watch?v=lvFXxsHnXxQ

. O Coringa do Cinema

(Documentário, 77 minutos, Brasil – 2019)

De Sérgio Kieling. —- Virgílio Roveda é um homem que dedicou sua vida ao cinema. Filmes comédias, dramas, faroestes, filmes de terror, fitas sertanejas, policiais, pornochanchadas. É difícil encontrar algum gênero no qual Virgílio não tenha se aventurado em seus mais de 50 anos de carreira, seja como diretor de fotografia, câmera, assistente, diretor de produção e até produtor. Enfim, um verdadeiro coringa. Inspirado no livro de Matheus Trunk, O Coringa do Cinema conta a história deste profissional e da produção cinematográfica Paulista nos últimos 50 anos. Confira a classificação indicativa.

. Primavera de Fernanda

(Drama, 19 minutos, Brasil, 2018)

De Débora Zanatta, Estevan de la Fuente.
Abre-se, na vida de Fernanda, uma possibilidade de reconstrução da sua própria imagem. E isso acontece a partir de uma oferta de emprego que reativa nela toda a relação de afeto que havia sido construída com sua mãe, durante a infância. Mas Fernanda, que está sempre precisando negociar sua identidade com o mundo externo, irá passar por mais um teste.
Trailer: https://vimeo.com/beijaflorfilmes/fernandatrailer

. Nossa Terra

(Documentário, 20 minutos, Brasil, 2018)
De Samuel Moreira.
Mostra o fortalecimento dos índios Xokleng por meio do resgate cultural, educação qualificada e o ensino da língua materna dentro do currículo escolar.
Trailer: https://www.youtube.com/watch?v=wT-STZwyXYU

. The Pink Panther Boite

(Documentário, 23 minutos, Brasil, 2019)

De Kauê Nunes Melo
Nunca houve uma boate como a The Pink Panther.
Primeiro, porque era a única localizada em frente à praia, ao contrário de todos os clubes noturnos da cidade de Santos que se concentravam no centro da cidade. Segundo, por ser a joia da coroa do entretenimento adulto na cidade, um ambiente em que casais de família iam jantar e assistir espetáculos musicais, stripteases e shows eróticos, além de ter sido o palco para o surgimento de várias estrelas trans da época como Gretta Star e Roberta Close. The Pink Panther Boite era a verdadeira divisa moral da cidade.

. Lembro Mais dos Corvos

(híbrido, 80 minutos, Brasil, 2019)
De Gustavo Vinagre. Com Julia Katharine.
Júlia conta histórias para atravessar uma noite de insônia.

Trailer: https://www.youtube.com/watch?v=BgyU52RO2yY