ALMANAKITO:

BILHETERIAS BRASILEIRAS + PRÊMIOS PLATINO + CLUBE DO CHORO E AVENA DE CASTRO + VLADIMIR CARVALHO + CONCERTOS CABEÇA + “VARDA POR AGNES” ESTREIA DIA 9 DE MAIO

ALMANAKITO – TERÇA-FEIRA

+ BILHETERIAS BRASILEIRAS

+ A NOITE DE AGNÈS VARDÁ

+ PREMIOS PLATINO, NO DIA 12 de MAIO,
DOMINGO, na RIVIERA MAYA, NO MÉXICO.
“Roma” e “Uma Noite de 12 Anos”

+ VLADIMIR CARVALHO FALA DE SEUS
DOIS NOVOS LONGAS À REVISTA DE CINEMA

e de seus tempos como repórter, quando entrevistou
Pixinguinha e João da Baiana e participou da última
coletiva de DONGA, Pelo Telefone (a coletiva foi ao vivo!!! – risos)

+ NO JORNAL O POVO (CEARÁ): MATERIA
SOBRE BADEN, EGBERTO, CARIRY, LUIZ GONZAGA,
SHOW OPINIÃO: “O CEGO ADERALDO” + PLAYLIST NO SPOTIFY

+ TVT (TV DOS TRABALHADORES):
TELA CHEIA, COM ZANIN): NESTA
QUINTA-FEIRA (ENTRE 15hOO E 16hOO)

+ TV 247: ESTIVE EM BRASILIA E MEU CÍRCULO MAIS
PRÓXIMO DE AMIGOS SÓ FALAVA DESTA TV (VIA YOUTUBE)

+ QUARTO LONGA DE EMILIA
SILVEIRA: PRE-ESTREIA NO RIO

+ BILHETERIAS BRASILEIRAS
. Estreias:

. Organismo……………………….838

. Continuações:

. De Pernas Pro Ar 3……………………………….1.299.494
. Cinderela Pop…………………………………………467.259
. Los Silencios………………………………………………7.131
. Mussum, um Filme do Cacildis…………………1.622
. Chuva é Cantoria Na Aldeia dos Mortos……..960
. Márcia Haydée………………………………………………953
. Horácio………………………………………………………….758
**** Esta semana nem há o que comentar. Um só filme ocupou 3.100 de nossas 3.300 salas (dados do Boletim FILME B) e ficou com 93,8% dos ingressos vendidos. Servidão voluntária, país colônia audiovisual. Em O Globo, excelente matéria de Alessandro Giannini e Fabiano Ristow mostrou porque isto aconteceu: não há mais cota de tela, não há mais limites para um só filme num mesmo complexo cinematográfico, etc, etc. Ou seja, vale a lei do mais forte……

+ EM NOVEMBRO:
Festival de Arte (e Cinema) em Ilhabela, no litoral paulista.
Mais informações no jornal VALOR Econômico (coluna de João Bernardo Caldeira, filho do cineasta e professor da UFRJ, oswaldo “Passe Livre” Caldeira)

+ REPRISES da entrevista de BERNARDET
a Mário Sérgio Conti (GloboNews)

+ MOSTRA MILOS FORMAN
No CineSesc, a partir desta quinta-feira, dia 2 de maio,
com debate e Cinema da Vela. Neste feriado de primeiro de maio, quarta-feira, último dia do festival Sesc Melhores do Ano.

+ CLUBE DO CHORO, CONCERTOS
CABEÇA E ROCK BRASÍLIA:
Passei três dias em Brasília, participando de debate sobre a volta do Cineclube Gavião, no Cruzeiro, região administrativa do DF, revendo “Rock Brasília”, longa de Vladimir Carvalho premiado no Festival de Paulínia, e assistindo a outra “volta”: a dos Concertos Gavião (tudo na quadra da ARUC – Associação Recreativa Unidos do Cruzeiro). Os Concertos Gavião multiplicaram nos espaços públicos do Cruzeiro, a experiência (muito bem-sucedida) de Néio Lúcio nas superquadras do Plano Piloto e no imenso Teatro do Parque da Cidade. Na entrevista que fiz com Vladimir, para a Revista de Cinema, ele explica porque sentinu-se na obrigação de realizar um filme sobre o rock brasiliense, sendo ele um homem ligado ao samba e à cultura popular (ver a resposta dele em www.revistadecinema.com.br). ****Antes da sessão do longa documental do paraibano-brasiliense, na quadra da ARUC, conversei muito com Néio Lúcio. Perguntei por que ainda não havia sido feito um documentário sobre os CONCERTOS CABEÇA. Ele disse que guarda com ele rico material sobre os concertos ao ar livre, mas que a iniciativa do filme deve partir de realizadores e produtores, não dele. No meio da conversa, falamos do EICHO (Encontro Internacional de Choro), que acontecia em Brasília, naquele exato momento. Néio me contou que Beth Ernest Dias, flautista da Orquestra Sinfônica Claudio Santoro, do Teatro Nacional de Brasília, publicara livro sobre Avena de Castro, virtuose da cítara chorona (1919-1981). Estamos pois no centenário de nascimento dele. Nome do livro, que inclui dois CDs: “Sábado à Tarde – Avena de Castro e as Vida Musical em Brasília nos anos 1960”. Néio me contou, também, que o pianista e compositor Renato Vasconcelos — (ele e Beth são pais de Lorenzo Vasconcelos, jovem músico, que vem tocando até com Egberto Gismonti) —

é, hoje diretor do Departamento de Música da UnB. Só para completar (mesmo que parcialmente) a história da família da flautista Odete Ernest Dias (mãe de Beth, Jaime e Andrea, todos músicos) registro que esta última, Andréa, é autora de livro obrigatório obre o mestre pernambucano-cidadão do mundo, MOACIR SANTOS…. Tudo isto para dizer que sugeri a Vladimir que faça um filme sobre a importância do Clube do Choro na história de Brasília, dos anos 1960/1970 (com Avena, Waldir Azevedo, Bide, Pernambuco do Pandeiro e Odete Ernest Dias, até os dias de hoje, com o Choro Livre, de Reco do Bandolim, e com Hamiltinho Holanda, que formou dupla na pré-adolescência, com o irmão mais novo. Tocavam choro na dupla infanto-juvenil DOIS DE OURO. Hoje Hamiltinho é um astro, também cidadão do mundo). Ao cineasta e músico JIMI FIGUEIREDo, sugeri um filme sobre o CONCERTO CABEÇAS. Vou cobrar!!!!

+ FOLHA SEM ANDRÉ SINGER:

Gostei da criação, pela Folha, da Editoria de DIVERSIDADE,

que será comandada por Paula Cesarino. Mas desgostei do fim da coluna de Singer, da diminuição do espaço de Janio de Freitas e Zé Simão. Torço para que o jornal areje suas páginas, saindo do circuito classe média dos Jardins e vá mesmo para nossas periferias, que saia das futricas do Planalto e do Congresso e aposte em pautas substantivas e variadas… que faça reportagens INESPERADAS como aquela da TABELA PERIÓDICA (adorei)….. depois volto ao assunto…

+ O “CEGO ADERALDO”
DE BADEN POWELL
NO CADERNO VidaEArte,
DE O POVO NO JORNAL “O POVO”, DO CEARÁ:

https://www.opovo.com.br/jornal/vidaearte/

Reportagem de maria do rosário caetano sobre o “Cego Aderaldo” de Baden Powell, Rosemberg Cariry, Egberto Gismonti, Naná Vasconcelos, Ravi Shankar, Luiz Gonzaga,
Téo Azevedo, de Nara-Ketti-Vale (Show Opinião), entre outros. Com depoimentos de Zuza Homem de Mello, Tárik de Souza, Egberto Gismonti (e Rachel de Queiroz, retirados do livro “Cego Aderaldo – O Homem, o Poeta e o Mito”, de Rosemberg Cariry, que prepara longa ficcional sobre um dos maiores cantadores do Brasil. ********Acessem no SPOTIFY, playlist organizada por Luiz Zanin Oricchio com Baden e seu “Cego Aderaldo”, mais seis ou sete interpretações do “Cego Aderaldo” de Gismonti (por artistas de várias partes do mundo) + composição de Luiz Gonzaga em homenagem ao Cego, em seu centenário de nascimento, e pelo mineiro Téo Azevedo.

https://www.opovo.com.br/jornal/vidaearte/

+ “TENTE ENTENDER
O QUE TENTO DIZER”
Novo filme de Emília Silveira será lançado
dia 4 de maio, em sessão gratuita, no Odeon
Neste 4 de maio, sábado, será realizada no Cine Odeon, no Rio de Janeiro, às 10h30, a primeira sessão pública do novo documentário da Emília Silveira, Tente Entender o que Tento Dizer. A entrada será gratuita e aberta ao público. Produzido por Daniel de Souza, Luciana Boal Marinho e Alberto Graça, e com roteiro de Miguel Paiva em parceria com a diretora, o filme mostra a força do coletivo e da militância na transformação de pessoas e realidades marcadas pelas barreiras impostas pelo HIV. Tente Entender o que Tento Dizer acompanha a rotina de seis pessoas soropositivas das mais variadas classes sociais, profissões, orientações sexuais e religiosas em seu cotidiano. “Eu quis mostrar no filme que o HiV não é uma questão de nicho, ele pode atingir a todos nós”, diz Emília Silveira. “Como a letalidade da doença diminuiu nos últimos anos, essa questão estava meio abafada, as pessoas estão falando menos sobre o assunto. Mas essa ainda é uma temática urgente”, afirma a diretora.

****************************************