BRASILEIROS NOS PRÊMIOS FENIX 2018 + TARRAFA LITERÁRIA EM SANTOS + ZUZA E O SAMBA CANÇÃO + OSMAR PRADO NA REVISTA CONTINENTE (foto rô caetano)

+ BRASILEIROS NOS PREMIOS FENIX 2018

+ TARRAFA LITERÁRIA EM SANTOS

+ ZUZA HOMEM DE MELLO E O SAMBA CANÇÃO

+ MANOEL HERZOG, MILTON HATOUM, DJAMILA RIBEIRO,
ELIANE BRUM, SÉRGIO AUGUSTO, PAULO ROBERTO PIRES,
CHRISTIAN DUNKER, ENTRE OUTROS

****NA REVISTA DE CINEMA/Uol:

BRASILEIROS FINALISTAS AOS
PREMIOS FENIX (MELHORES DO
CINEMA IBERO-AMERICANO):

NOSSA PRODUÇÃO SE DESTACA NO
DOCUMENTARIO: 4 DOS 7 FINALISTAS

http://revistadecinema.com.br/2018/09/filmes-brasileiros-estao-na-disputa-dos-premios-fenix/

****** TARRAFA LITERÁRIA (ANO 10) – SANTOS
A décima edição da Tarrafa Literária, que acontece em Santos até este domingo, está bombando. Tudo começou na última quinta-feira, com show inspirado no livro “Copacabana” (Samba-Canção, Editora 34), de Zuza Homem de Mello. O pesquisador e engenheiro de som atuou como mestre-de-cerimônia, com cantora, cantor e quarteto musical, para apresentar histórias deliciosas dos compositores e amantes da fossa (ou dor de corno) e alguns dos grandes momentos musicais do sub-gênero. O público quase lotou os mil lugares do imenso Teatro do Sesc Santos. E comoveu-se com a homenagem a Tito Madi, justo no dia de sua passagem. Zuza autografou quase 100 exemplares de seu livro. Ontem quinta-feira, a festa literária migrou para o Teatro Guarany, no centro histórico de Santos. E nem a chuva segurou os caiçaras em casa. Auditório cheio assistiu a deliciosa conversa com os escritores MANOEL HERZOG (que eu desconhecia até ver no SUPER LIBRIS, Chico Buarque falar dele) e DIOGENES MOURA (pernambucano-baiano-paulista), dono de língua ferina e pessimismo infinito. O auditório ficou ainda mais cheio para ver Lilia Schwarcz e Elias Thomé Saliba, ambos da USP, falar sobre o tema “O Brasil Não é Para Principiantes”. Mas Lilia não pôde comparecer. Foi substuida pelo escritor Ademir Demarchi. E ele e a verve de Saliba seguraram o tcham. Ninguém arredou pé e o professor da USP, autor de livros como “Raízes do Riso” e “Crocodilo” (ou algo assemelhado), arrasou com seus estudos acadêmicos ilustrados por saborosas piadas oriundas de todos os povos. A TARRAFA 10 prossegue hoje com entre outros, MILTON HATOUM. Amanhã, dia nobre, tem debate com DJAMILA RIBERO E ELIANE BRUM, tem SERGIO AUGUSTO E PAULO ROBERTO PIRES, tem CHRISTIAN DUNKER. O Guarany vai ferver. Domingo, mais atividades e sessão de encerramento.
***O HOMENAGEADO DA TARRAFA,

este ano, é o escritor sergipano-santista

RANULFO PRATA, AUTOR

do romance proletário

“NAVIOS ILUMINADOS”.

Pena que a coordenação da feira literária de Santos não tenha organizado uma

mesa-redonda sobre a importância literária deste médico que escreveu um belo romance,

lançado em edição primorosa pela EdUSP. Para compensar a falha, a cada encontro-debate da Tarrafa, ouvimos leitura gravada de trecho de “Navios Iluminados”. Melhor que nada, mas pouco para o HOMENAGEADO DO ANO (a Flip brinda o homenageado do ano com muitas atividades reflexivas, cinematográficas, etc). Para agravar, o livro da EdUSP, em capa dura (edição linda mesmo) custa R$70,00. Vi santistas devolvendo o livro, por causa do preço. Não seria o caso da Secretaria de Cultura de Santos produzir uma edição barata deste livro ambientado… em Santos????

*****MANOEL HERZOG,
SANTISTA CRIADO
EM CUBATÃO, RECOMENDADO
POR CHICO BUARQUE NO “SUPER-LIBRIS”
DE JOSÉ ROBERTO TORERO E SESCTV

**** NA TARRAFA LITERARIA SANTOS (ANO 10) – Vou, finalmente, conhecer

o escritor MANOEL HERZOG, nascido em SANTOS e criado em CUBATÃO. Ainda não conheço a obra dele, mas quem o recomendou aos leitores foi ninguém mais ninguém menos que CHICO BUARQUE, no programa SUPER LIBRIS, de José Roberto Torero, no CANAL SESCTV. Depois de MANOEL, outro encontro imperdível: LÍLIAN SCHWARTZ e ELIAS THOMÊ SALIBA, história e humor. Tudo na TARRAFA LITERÁRIA, aberta ontem por shows de SAMBA CANÇÃO, com ZUZA de mestre-sala e de cerimônia!!!! E tributo a TITO MADI

******* Ah, a foto do MANOEL HERZOG (com um pinico) é de

A TRIBUNA, O MAIOR JORNAL DA Baixada Santista (ver na internet)

*** O homenageado da TARRAFA, este ano, é o sergipano-santista

RANULFO PRATA, do romance proletário “NAVIOS ILUMINADOS”

******NA ABERTURA DA TARRAFA LITERÁRIA,
EM SANTOS, SHOW COM ZUZA HOMEM DE
MELLO REVÊ A HISTÓRIA DO SAMBA-CANÇÃO
COM MUSICAS E DELICIOSAS HISTÓRIAS.
E LOUVA O BAIRRO DE COPACABANA

“COPACABANA, A TRAJETÓRIA DO SAMBA CANÇÃO (1929-1958)” – O LIVRO DE ZUZA HOMEM DE MELLO em show musical-narrativo dedicado a TITO MADI, no dia de sua passagem. ZUZA atua como mestre-de-cerimônia e conta deliciosas histórias retiradas de seu livro (Editora 34), enquanto quatro músicos (piano, violão, baixo e bateria) acompanham os cantores Luciana Alves e Zé Luiz Mazzotti. No repertório, uma viagem

de “Copacabana” a “Sábado em Copacabana”, passando por “Linda Flor/Yayá”, “Xis do Problema”, de Noel, “Risque”, de Ary Barroso, “O Mundo é um Moinho”, de Cartola, “Vingança”, de Lupe, “Negue”, “ Bar da Noite”, “ Ponto Final” até chegar a “Cansei de Ilusões”, esta, do repertório de Tito MADI. Com a perda de TITO, lembrou ZUZA, só dois personagens de seu livro estão vivos, ou melhor vivas: Ângela Maria e Dóris Monteiro. A fila para os autógrafos do pesquisador era imensa, após o show inaugural da Tarrafa Literária. O imenso hall do SESC SANTOS estava, como o teatro, lotado. Todos queriam prorrogar o prazer das histórias contadas por Zuza.

****ERRATA: escrevi, numa breve nota sobre
UMA NOITE DE 12 ANOS, que Pepe Mujica foi, por duas vezes,
presidente do Uruguai. Errei. Ele foi presidente apenas por um mandato.

****10 SEGUNDOS PARA VENCER:
Quem gosta de ver show
de atores em filmes, não pode perder
10′ PARA VENCER: Osmar Prado (sublime! — Cássio Starling, crítico de quem sou leitora fiel, diz que o personagem de Kid Jofre, que rendeu o Prado o Kikito de melhor ator em Gramado, usa excessivamente o cigarro como muleta ao compor seu matizado personagem. Talvez, se Cássio soubesse que Kid Jofre morreu de câncer no pulmão, não tivesse feito tal restrição, mas fora isto, a crítica dele é excelente). Estou angustiada em saber o que
UGO “Qubrando a Cara” Giorgetti achou do filme de José Alvarenga. Ugo é louco por BOXE e pelo Clã ZUMBANO JOFRE.
Ah, o melhor coadjuvante de Gramado foi Ricardo Gelli (acertei o nome?), que interpreta um dos integrantes do referido clã atua como se estivesse numa deliciosa comédia de Dino Risi ou Mario Monicelli. A atriz Tuna Duek diz que o cara é foda!!! Um puta ator. Confesso que não o conhecia, mas agora vou seguir a trajetória dele com ateção rdobrada. Daniel Oliveira está ótimo na cinebiografia de Eder (e Kid Jofre). Mas quem rouba a cena é o grande, grandíssimo (ô Globo, põe a fera em sua dramaturgia!) OSMAR PRADO.