NOITE DOS OTELOS, O GRANDE PREMIO DO CINEMA BRASILEIRO + LUIZ BOLOGNESI + HOTEL CAMBRIDGE + GABRIEL E A MONTANHA

+ NA REVISTA DE CINEMA/Uol:meu breve comentário sobre a NOITE DOS OTELOS (Grande Prêmio do Cinema Brasileiro 2018). Nada disse sobre a festa transmitida pelo Canal Brasil – 20 Anos (tenho fama de ombudsman de festa de premiação, pois as nossas são de lascar: as do FEST Brasília, a cada ano, um novo tormento, com milhares de prêmios, erros, falta de projeções na tela como o nome do premiado, duração excessiva: este ano, 3h15, sem falar nos atrasos!!!*… Nada disse pois, mergulhada na maratona do Festival de Brasília, não tinha como assistir à Noite dos OTELOS. Me contaram que o resultado da transmissão, na TV, foi bom (mas nas fotos, ninguém vê o minúsculo trofeu OTELO: reparem no volume do GOYA espanhol!!!). Só comentei os prêmios, pois conhecia todos os candidatos. Espantei-me com a ausência do roteirista LUIZ BOLOGNESI, que assina o guión dos dois melhores filmes (no julgamento dos Acadêmicos): “Bingo” e “Como Nossos Pais”. Só que ele não ganhou nada. E o autor do péssimo “Real” foi DUPLAMENTE premiado (roteiro original com “A Glória e a Graça” e roteiro adaptado). Quem é este “artista genial” que segue um ilustre desconhecido??? Alguns dos criadores do Plano Real definiram o roteiro como um rasa fantasia, pois um dos artífices do plano econômico é transformado em herói e os demais em coadjuvantes algo tolos!!!! Isto (o espantoso esquecimento de Bolognesi) eu já disse no comentário da Revista de Cinema. O que faltou dizer, na correria, é que dois PUTA FILMES — filmaços!!! — saíram de mão abanando: ERA O HOTEL CAMBRIDGE, de Eliane Caffé, e GABRIEL E A MONTANHA, de Fellipe Barbosa. O roteiro destes dois filmes é um trilhão de vezes melhor que o do Plano Real!!! Mas decerto a onda que varre o país… deixa prá lá!!!!!!!!!!!!!!