PAMELA YATES, CINEASTA NORTE-AMERICANA HOMENAGEADA POELO FEST É TUDO VERDADE, EM MOSTRA RETROSPECTIVA E MASTER CLASS

PAMELA YATES, CINEASTA NORTE-AMERICANA
HOMENAGEADA PELO FEST É TUDO VERDADE,
EM MOSTRA RETROSPECTIVA E MASTER CLASS

A cineasta norte-americana Pamela Yates (vista nesta foto com seu produtor e companheiro, Paco de Onís, que fala português perfeito, pois morou em Santos, no litoral paulista) é a homenageada do ano pelo
XXIII É Tudo Verdade – Festival Internacional de Documentários, de São Paulo (e Rio). Para marcar a homenagem, o festival está exibindo sua Trilogia Guatemalteca, formada com “Quando as Montanhas Tremem” (1983, o filme que revelou Rigoberta Menchú, a futura Prêmio Nobel), “Grãozinho de Areia” (Granito de Arena, 2011) e “500 Anos” (2017). Nesta quarta-feira, ela vai participar de debate, no Sesc 24 de Maio (15h00). Antes serão exibidos “Grãozinho de Areia” (11h00) e “500 Anos” (13h00). Haverá, um dia antes, sessões de “Quando as Montanhas Tremem” (terça-feira, 11h00, no Sesc 24 de Maio) e “500 Anos” (terça, 17h00, no IMS). Apaixonada pela América Latina e pelo povo Maya, o debate com Pamela Yates, que contará com a participação de Carolina Cooper e mediação de Beatriz Peres, deve render muito. Trata-se de parceria do Festival ETV com o Human Rights Watch do Brasil.