+ KEN LOACH EM RETROSPECTIVA (RIO DE JANEIRO) + EDUARDO ESCOREL, DANIEL AARÃO REIS, EDSON LUIZ E MARIELLE FRANCO + RODA VIVA PLURALISTA???? + CINEMARK E O ALCAIDE

+ EDUARDO ESCOREL, DANIEL
AARÃO REIS, EDSON LUIZ E
MARIELLE FRANCO:

Leiam, hoje, em O Globo, magnífica coluna do historiador Daniel Aarão Reis sobre os 50 anos do assassinato do estudante
Edson Luiz (em 28-03-1968), pelo qual ninguém foi punido. E sobre o risco de que o mesmo aconteça em relação à vereadora Marielle Franco. ****Nesta quarta-feira, passeata no Rio em memória de Edson Luiz e Marielle. ****Lembremos que Eduardo Escorel filmou o enterro de Edson Luiz. Na coluna de Ancelmo Gois, 04-03-2018, ele, o cineasta-montador, relembrou as circunstâncias da filmagem. O documento fílmico ficou “perdido”, por falta de identificação adequada — lembremos que Cosme Alves Netto*, da Cinemateca do MAM, temendo a repressão, escondia filmes como “Cabra Marcado para Morrer” sob nomes falsos. Os registros de Escorel foram encontrados (identificados) em meados dos anos 1970, e utilizados por CRIS MARKER em “O Fundo do Ar é Vermelho” (1977). E utilizados, de forma comovente, em NO INTENSO AGORA, de João Moreira Salles. Escorel dispunha de um rolo de 20 minutos. Filmou ONZE (minutos). Leiam o depoimento dele a Daniel Brunet, na coluna de Ancelmo Gois. Por falar em NO INTENSO AGORA,
o filme está na seleção de melhores do ano (2017), no
Festival CineSesc, que começa no próximo dia 4 de abril.
*************E “Imagens do Estado Novo 1937-1945” segue
em cartaz em Rio, SP e Brasília. Amigos meus, aqui de
Santos, perguntam se o filme chegará a estas terras caiçaras!!!!!!!!

**REPESCAGEM VISCONTI NO CINESESC:
O sucesso da mostra VISCONTI foi tamanho,
que está havendo (haverá??) uma repescagem!!!!

***Gente, o que Lázaro Ramos,
afeto puro, chorou, ontem, na conversa com Dona Diva
Guimarães, a professora que comoveu a Flip, foi muitooo.
Programa lindo, terno, generoso. Assistam às reprises no Canal Brasil.

+ PREMIO EAST-WEST GOLDEN
ARC – FINALISTAS – PREMIO SERÁ
ENTREGUE EM MOSCOU DIA 14
DE ABRIL

+ PREMIOS PLATINO 2018 (QUEM RECEBERÁ O PLATINO DE HONOR??????)

+ VENCEDORES DO DAVID DE DONATELLO

+ DOMINGOS OLIVEIRA NO EU-VALOR

+ FEST CINESESC MELHORES DO ANO – EDIÇÃO 44 (ABRIL)

+ PREMIADOS NO FEST GUADALAJARA

+ PREMIOS DAVID DE DONATELLO (doc sobre

Marco Ferreri, prêmio para ator de Gianni Amelio e de

ator coadjuvante para o diretor Giuliano Montaldo)!!!!!!

+ CARTA MAIOR + CARTA CAPITAL

+ REVISTA DE CINEMA/Uol

***PREMIOS PLATINO 2018: Dia 29 de abril
Na Riviera Maya (México)
Apresentador: Eugenio “Não se Aceitam Devoluções” Derbet
Com transmissão pelo Canal Brasil e mais 60
emissoras, pelo mundo.

******PREMIO “PLATINO DE HONOR”
QUEM SERÁ O HOMENEGEADO
pelo “conjunto da obra” este ano??????
Fará discurso tão arrebatador
quanto o feito pelo malaguenho
ANTONIO BANDERAS, em Marbella,
na Andaluzia espanhola???
* Primeiro Platino (2014): Sonia Braga (Brasil) — No Panamá
* Segundo Platino (2015): Antonio Banderas (Espanha) – Na Andaluzia
* Terceiro Platino (2016): Ricardo Darín (Argentina), no Uruguai
* Quarto Platino (2017): Edward James Olmos (EUA) — em Madri
* Quinto Platino (2018)………………………na Riviera Maya (MEX)
Será Ofélia Medina??? Salma Hayek??? Torço por um nome feminino!!!! A cerimônia de entrega dos Prêmios
Platino será transmitida pelo CANAL BRASIL.

+ CARTA CAPITAL:
Na revista editada por Mino Carta, texto de leitura
obrigatória, de Jotabê Medeiros, sobre a Lei Rouanet

+ PIRIPKURA, UM DOC PREMIADO

++++++++++ CINEMARK E DÓRIA:

Vi/ouvi duas matérias, hoje, uma na CBN, outra no
“Estúdio I”, de Maria Beltrão (GloboNews), sobre a “estranha” parceria de João Dória com a Rede Cinemark. Parceria questionada pelo Ministério Público. Não sei se vocês se lembram, mas meses atrás, circulou pelos jornais a notícia de que a Rede Cinemark ia colocar durante 1 ano e 4 meses, propaganda de graça (de ação/ações da Prefeitura) em suas telas (trata-se da maior rede de exibição cinematográfica instalada no país). Hoje, nos dois programas, fiquei sabendo que o alcaide deve explicações por tal projeto. E que ele “teria feito consulta” a outras redes para saber se também queriam dar a ele e à sua gestão o mesmo “presente”. Se elas dissessem que não, ele ficaria “só” com a Cinemark, para a qual produziria o tal “reclame” de 2 minutos de duração. O descolado prefeito assumiu — esta é a verdade — pensando que um organismo público, como uma Prefeitura, é um similar de sua empresa (da firma particular dele). Saiu pedindo ajuda a todas as empresas (dizem que algumas até doaram remédios vencidos, livrando-se assim, do custo do descarte). À CBN, a Cinemark não forneceu sua versão do caso. Mas à GloboNews, sim: afirmou que não tem partido político, que não apoia este ou aquele político, etc, etc. O Ministério Público quer saber que tipo de
anúncio a Rede Cinemark, atendendo ao pedido do alcaide
(até dia 7), vai colocar no ar.

+ “RODA VIVA”: NOVO
APRESENTADOR POR
RECOMENDAÇÃO DO
CONSELHO CONSULTIVO
DA TV CULTURA.
Augusto Nunes, que hoje apresenta a última edição do “Roda Viva”, disse que estava saindo da emissora cultural porque “completara um ciclo”. Faltou com a VERDADE. Ele está saindo porque venceu o contrato dele e o CONSELHO CONSULTIVO (ou Deliberativo?) da Fundação Padre Anchieta/TV Cultura recomendou a não-renovação. Ou seja, a saída dele, por sua explícita FALTA DE PLURALISMO.
O outrora arejado “Roda Viva” virou um programa de um lado só. Chico Buarque pediu que retirassem sua canção da histórica abertura. Dezenas de amigos meus (eu inclusive) pararam de assistir ao tradicional programa, pois lá, no centro da roda viva, só se senta(va)m representantes de um lado do espectro político. E quase sempre para serem inquiridos pelos MESMOS entrevistadores (colunistas de grandes jornais e posição também pouco pluralista). Lembro-me muito bem dos grandes momentos da emissora. Inclusive daquele que rendeu mais ibope: a entrevista de Olivieri Toscani, fotógrafo e publicitário, criador da campanha que colocou a Bennetton italiana no centro da moda pret-à-porter mundial.
Foi um estouro: 4 ou 5 pontos no ibope, um espanto para um programa de entrevistas numa emissora cultural-educativa. As entrevistas com grandes nomes das artes eram frequentes. Eu mesma estive entre os entrevistadores de Nélson Pereira dos Santos, do português Manoel de Oliveira e do mexicano Paul Leduc. Nos últimos tempos, o programa ganhou um tom
de chapa branca terrível. Tomara que o novo apresentador seja mesmo democrático e pluralista como anunciou, ontem, em declarações a Nélson
de Sá (matéria na Ilustrada).

*******INTERNET EM DOC
“THE CLEANERS”:
A INTERNET
E SUAS “LIMPEZAS” NUM
FILME DA COMPETIÇÃO DO
FEST É TUDO VERDADE 2018
Fiquei impressionada com a sinopse deste longa-metragem alemão (parceria com o Brasil) que está na competição internacional do ETV 23: “Quando você posta alguma coisa na internet, você tem certeza que seu post continuará lá? Este filme adentra uma nebulosa e escondida indústria de ‘zeladores’ digitais na qual a internet se livra do que não gosta”.

****QUEM SABE ME DIZER
quando estreia “A Palavra”, novo
filme de Guilherme de Almeida Prado,
com Tuca Andrada??

+ NO EU-VALOR: CINEMA DE TEMAS URGENTES
duas ótimas matérias de Elaine Guerini: uma com Lucrécia Martel, que lança ZAMA, no Brasil, nesta quinta-feira, e outra sobre filmes de temas urgentes (com depoimentos, entre muitos outros, de Renato Tapajós)

*****IMAGENS DO
ESTADO NOVO – 1937-1945
Ontem, domingo, ótimo artigo de Otavinho Frias sobre o filme de Eduardo Escorel. Hoje (25-03-17), amplo materal no Caderno 2, do Estadão. Torço para que as telas que exibem o filme me esperem regressar a São Paulo, neste começo de outono, para que possa revê-lo (o vi no Festival É Tudo Verdade 2016, em sessão lotada). Quero ver, também, PIRIPKURA, que me disseram ser comovente.

*****A FILHA DE HELENA SALÉM:
A escritora e ensaísta Tatiana Levy, carioca que vive em Portugal, encheria de orgulho o coração de sua mãe, Helena Salém, se ela não tivesse partido tão cedo. A coluna que Tatiana mantém, quinzenalmente, no Eu-Valor, é de leitura obrigatória. A última, sobre romance de Bernardo Kucinsky e de Thiago Ferro tem uma abertura de tirar o fôlego.

******LAZARO RAMOS ESTREIA
NOVA TEMPORADA (a 14a. ou 15a.???)
DE ESPELHO no Canal Brasil, 21h30. A entrevistada é a professora Diva Guimarães, que a todos emocionou na Flip, com seu contundente depoimento. O programa agora traz a assinatura de Juliana Vicente, creio que a primeira mulher a comandar a direção do duradouro ESPELHO.

*****GREGORIO DUVIVIER:
Que maravilha a coluna de Duvivier na Folha de S. Paulo (26-03-17). Que delicioso “caminhar” pelas grandezas do Brasil (sim, este país tem muita coisa boa, apesar da hegemonia dos que querem fazê-lo rastejar para continuarem exercendo seus mandos). Grandezas deste Brasil, hoje transformado em um país vira-lata por ação dos “desmontadores” de plantão.

*********DOMIGOS OLIVEIRA
NO EU-VALOR (SEXTA-FEIRA):
Deliciosa a conversa do Eu-Valor com Domingos Oliveira, ator, diretor, escritor, dramatugo e amante da vida. Ser gregário, “casadoiro” (creio que ele não conseguiu, ao longo da vida, passar uma semana sem uma companheira, daí os seis casamentos e o amor maduro pela atriz Patricia Rozembaum, sua mulher desde 1981). Zanin e eu tivemos a alegria de passar uma tarde com Domingos e Priscila, na casa deles, no Leblon. Que leveza, que astral. Assim, do nada, quando ele recebeu o Trofeu Eduardo Abelim, por sua trajetória como diretor cinematográfico, ele não pôde ir, por razões de saúde. Pediu que Zanin e eu subíssemos ao palco para representá-lo. O fizemos, claro, com muito prazer, embora sem entender porque ele, com um milhão de amigos, escolheu dois jornalistas que haviam passado apenas uma tarde com ele (!!!!). A cabeça de Domingos é uma usina. Aos 81 anos, ele tem uma ideia emendada na outra.
O momento mais emocionante da conversa no Valor é aquele em que Domingos conta que viu se repetirem no amigo (e alterego) Paulo José (Todas Mulheres do Mundo, Edu, Coração de Ouro, Juventude, etc) os mesmos sintomas qua sentira três anos antes: os sintomas do Mal de Parkinson, que hoje perturba a vitalidade dos dois… Grande Domingos… Estamos todos no aguardo de Os 8 Magníficos, o mais recente longa-metragem dele. De custo quase zero, pois atores da grandeza de Wagner Moura (e muitos outros) aceitaram participar para estarem com ele,
serem dirigidos por ele.

*******CARLOS ALBERTO MATTOS NA CARTA MAIOR.
E MEUS ULTIMOS TEXTOS NA REVISTA DE CINEMA/Uol:*
TEMAS:
. XXIII Festival É Tudo Verdade (selecionados)
. A ODISSEIA de JYC (JACQUES COUSTEAU)
. Documentários de Petrônio Lorena e Boca Migotto

********VENCEDORES DO
DONATELLO/CINEMA ITALIANO

+ FESTIVAL CINESESC –
MELHORES DO ANO 2018:
O Festival mais antigo de São Paulo (e o terceiro do país, atrás de Brasília, com 51 edições, e de Gramado, com 45) chega à sua 44a. edição. Neste mês de abril, o charmoso cinema da Rua Augusta apresentará, mais uma vez, os melhores filmes estrangeiros e brasileiros de 2017, promovendo também debates, Cinema da Vela e mantendo um núcleo com a memória do cinema (clássicos que marcaram época). Na noite de entrega dos prêmios — dia 4, uma quarta-feira — exibição de um filme inédito no circuito comercial. Aguardemos, pois, a programação.

***PARAIBANOS: SAÍRAM
MATÉRIAS E OU CRITICAS
SOBRE OS DOIS CONCERTOS
DO VANDRÉ COM A
PIANISTA E A SINFÔNICA
nos jornais de Jampa?????????

+ REPRISE DO
PROGRAMA
DO ZÉ (TRAJANO)
No Canal Brasil. Nesta
quinta: 12h30
No sábado (salvo falha
de minha memória
sobrecarregada: 19h00)

****DE NOVO, PARA OS PARAIBANOS
… sobre concerto de geraldo
vandré & sinfônica: ele foi
gravado??? Se transformará num DVD?
Ou num programa de TV???

*********PIRIPKURA,
UM DOC ELOGIADO
Vencedor do Festival do Rio
Ganhou, também, algum prêmio no Amsterdã DOC???

**********VENCEDORES DO
DONATELLO/CINEMA ITALIANO

. Ammore e Malavita – melhor filme, atriz coadjuvante (Claudia Gerini), música, canção origial (4)
. Ciganos de Ciambra (que será lançado no Brasil dia 4 de maio): melhor direção (Jonas Carpignano), montagem (o brasileiro Affonso Gonçalves)
. La Tenerezza (de Gianni Amelio)– melhor ator (Renato Carpentieri)
. Fortunata – melhor atriz (Jasmine Trinca)
. Nico, 1988 – roteiro original (Susanna Nicchiarelli), melhor som
. Fantasma da Sicília (já lançado no Brasil) – melhor roteiro adaptado (de Grassadonia & Pizza)
. La Ragazza nella Nebbia, melhor filme de diretor estreante (Donato Carrisi)
. La Lucida Follia de Marco Ferreri – melhor documentário
. Gatta Cenerentola (Gata Borralheira) – produtor, efeitos digitais
. Napoli Velata – melhor fotografia, melhor cenografia
. Tutto Quello Che Vuoi: ator coadj. (Giuliano Montaldo)
. Bismillah: melhor curta
. The Square (Suécia) – melhor filme europeu
. Dunkirk (EUA) – melhor filme estrangeiro

*****************A Mostra KEN LOACH

Virá a São Paulo e Brasília?? Quem sabe????bjs rô

MOSTRA KEN LOACH NA

CAIXA CULTURAL RIO DE JANEIRO

Grande retrospectiva da obra de Loach inclui a exibição de 22

longas-metragens, além de um debate e sessão comentada

A CAIXA Cultural Rio de Janeiro recebe, de 3 a 15 de abril de 2018 (terça-feira a domingo), a mostra O Cinema Político de Ken Loach, que exibirá uma seleção de 22 longas-metragens realizados para o cinema, entre documentários e filmes de ficção, desde Kes (1969), considerado um dos melhores filmes já realizados no Reino Unido, até Eu, Daniel Blake (2016), ganhador da Palma de Ouro em Cannes. A curadoria é de Claudia Oliveira e Fernanda Bastos e o projeto tem patrocínio da Caixa Econômica Federal e do Governo Federal.

A retrospectiva é uma homenagem ao cineasta britânico que, após inúmeros prêmios e diversas obras-primas, desistiu da aposentadoria, em 2014, aos 79 anos, pois não conseguiu permanecer quieto com o rumo que o mundo está seguindo.

A programação inclui filmes do início da carreira de Ken Loach no cinema, como os inéditos Looks and Smiles (1981), vencedor do prêmio Young Cinema no Festival de Cannes; e Hidden Agenda (1990), estrelado por Frances McDormand e prêmio do Júri no Festival de Cannes. Serão exibidas, ainda, produções marcantes como Terra e Liberdade (1995) sobre a Guerra Civil Espanhola e ganhador de diversos prêmios como o César e o European Film; Ventos da Liberdade (2006), sobre a rebelião irlandesa de 1920 e ganhador da Palma de Ouro no Festival de Cannes; e seu mais recente documentário O Espírito de 45 (2013).

Com uma obra inteiramente ligada a questões político-sociais, Loach é uma voz dissonante no discurso sobre a realidade dos países que compõem o Reino Unido. Ele retrata a classe trabalhadora e todas as dificuldades que ela enfrenta no cotidiano de países ricos, mas ainda assim desiguais. Abordando temas como imigração ilegal e exploração de trabalhadores com a crueza que esses assuntos demandam, Loach nunca perde a ternura e o humor.

“Se você faz filmes sobre a vida das pessoas, a política é essencial. É a essência do drama, a essência do conflito”, comenta Paul Laverty, parceiro de Ken Loach desde o início de sua carreira, no documentário Versus: the life and films of Ken Loach (2016). “Ken quer fazer filmes sobre como o mundo funciona. Ele é o diretor mais esquerdista e subversivo que a Inglaterra já teve. E um perfeito cavalheiro”, declara.

Atividades extras: A mostra promoverá, no dia 7 de abril (sábado), às 19h, um debate sobre a obra do cineasta, com participação da curadora Fernanda Bastos e do jornalista e crítico de cinema Rodrigo Fonseca, que cobre há muitos anos o Festival de Cannes e já entrevistou Loach diversas vezes. O debate tem entrada franca, com senhas distribuídas uma hora antes. E no dia 13 de abril (sexta-feira), Sérgio Veloso, professor de Relações Internacionais da PUC-RJ, conversa com o público logo após a exibição do documentário O Espírito de 45, em uma sessão comentada.

Sobre o cineasta: Ken Loach (17/06/1936, Nuneaton, Reino Unido) começou sua carreira atrás das câmeras após um breve período como ator de teatro quando, em 1963, foi convidado pela BBC para trabalhar como diretor de televisão. Sua obra foi intensamente influenciada pelo Free Cinema, movimento que teve um papel importante na formação de muitos cineastas nos anos 60 e abriu caminho para o cinema político-social britânico. Com uma longa trajetória na direção de filmes para televisão e cinema – é realizador de mais de 50 produções, entre ficções, documentários e séries de TV – Loach foi premiado diversas vezes nos mais importantes festivais do mundo. É recordista de participação na mostra competitiva de Cannes (13 vezes), onde ganhou 11 prêmios, incluindo duas Palmas de Ouro: uma em 2006, por Ventos de Liberdade, e outra em 2016, por Eu, Daniel Blake. Em Berlim, recebeu um Urso de Ouro honorário por sua carreira, além de outros oito prêmios.

Em 2014, Ken Loach anunciou sua aposentadoria, após 50 anos de carreira. No ano seguinte, diante da volta do Partido Conservador ao poder na Grã-Bretanha, Ken se “desaposentou”, realizou Eu, Daniel Blake e, exatamente agora, está começando um novo projeto.

“O filme, como a literatura, pintura e teatro, pode ser muitas coisas ao mesmo tempo: amor, paixão, drama e entretenimento. Ele não tem de ser sinônimo de banalidade, mas pode fazer-nos vibrar e até mesmo mudar nossa vida. O cinema deve permitir saber mais sobre a condição humana, deve fazer-nos crescer e acordar, porque é um meio que tem muita força”, afirma o cineasta.

*******Outras informações sobre a mostra

podem ser acessadas no endereço

www.facebook.com/pg/khoraproducao.

******************************
ALMANAKITO
SEXTA-FEIRA (23-03-2018)

BOA NOTICIA:
Maxwell
NASCIMENTO, DE QUERÔ,
volta a atuar. Pode ser visto
na série Rotas do Ódio!!!!!

Tammy Weis, das Oficinas
Querô, de Santos,
nos manda a boa notícia:

Maxwell Nascimento
na série Rotas do Ódio

+ CINEBIOGRAFIA DE JACQUES COUSTEAU (REVISTA DE CINEMA/Uol) + PREMIOS PLATINO 2018 + MEXICO, RIVIERA
MAYA +++ GUATEMALA

+ COMO SÃO INTELIGENTES AS COLUNAS DE RENATO
TERRA NA FOLHA! + COLUNA DE CONRADO
HÜBNER MENDES NA “ÉPOCA” + MESTRE VERISSIMO + AGUARDEMOS O FILME “ZAMA”, DE LUCRECIA MARTEL

+ DOMINGO, NO CANAL BRASIL,
PROGRAMA DO ZÉ (TRAJANO) COM XICO SÁ (OU JUCA KFOURI??????): assisti ao primeiro, com o jogador Zico, e foi leve, divertido, musical. Uma ótima conversa. O programa ganhou
nota dez de Patrícia Kogut.

****** MEXICO, CAPITAL E
RIVIERA MAYA + GUATEMALA

******VENCEDORES DO
FEST GUADALAJARA 2018:
* Premio Mescal – Melhor filme mexicano: “Restos de Viento”, de Jimena Montemayor Loyo (mais nome feminino nas cabeças)
* Prêmio Maguey (filme de temática LGBT): “Tinta Bruta, de Matzembacher & Reolon (Rio Grande do Sul – Brasil)
*Melhor longa ibero-americano: “Matar à Jesus”, de Laura Mora Ortega – Colômbia) —-(outro nome feminino)

*** PREMIOS
ARIEL ANO 60
Dia 5 de maio
Na Cidade do México

**** NO COMEÇO DE ABRIL,
E AO LONGO DE TODO O MÊS:
Festival CineSesc
Melhores do Ano 44.
O mais antigo de São Paulo
Melhores filmes estrangeiros e brasileiros
Debates, seminários e
Cinema da Vela + Catálogo
Abertura: dia 4 de abril
Aguardem detalhes

***QUEM NÃO SE LEMBRA-SE DE
JACQUES COUSTEAU E DO BOTO
COR-DE-ROSA????
Os jovens, claro, lembram-se do comandante do boné vermelho
como fonte de inspiração de Wes Creaven em “Zissou” (como é mesmo o nome do filme, que tem Seu Jorge no elenco???)

++++++ CINEBIOGRAFIA
DE JACQUES COUSTEAU
NO CINEMAS BRASILEIROS
REVISTA DE CINEMA/Uol
http://revistadecinema.com.br/2018/03/a-odisseia/
Quem, entre os brasileiros de mais de 50 anos, não se
lembra-se, e muito, deste oceanógrafo e cineasta
francês (premiado com a Palma de Ouro, em Cannes/1956,
com “O Mundo do Silêncio”, dele e de Louis Malle)????. E por que?
Por que ele se tornou o “descobridor” (na verdade o divulgador)
do Boto Cor-de-Rosa. A Rede Globo colocou em horário nobre documentários que ele realizou na Amazônia (primeira metade
dos anos 1980) e sonhávamos todos em ir para a bacia hidrográfica amazônica abraçar os “golfinhos” rosáceos. (Tempos de “Amaral Neto”,
o Imoral Nato, que JABOR satirizou no ótimo “TUDO BEM”.

***POR FALAR EM GLOBO,
lhes recomendo a leitura da ótima crítica de Patrícia Kogut à novela “O Outro Lado do Paraíso”. Ela e Maurício Stycer têm escrito textos muitos substantivos sobre a telenovela das 21h00. Tenho visto pouquíssimo deste folhetim. Mas o que vejo me parece muito raso…. A parte que envolve o núcleo de Ana Lúcia Torre (atriz maravilhosa!!!!!) é inacreditável de tão ruim. E pensar que Glória Perez, que muitos tinham como nossa Glória Magadan, tratou com seriedade e profundidade a transformação de uma jovem em um jovem (na novela anterior).
************FILME DE PUTA — Vi, recentemente,
um ótimo filme de puta: o argentino ALANIS, cuja protagonista (Sofia Gala) concorre ao PLATINO de melhor atriz. Quanta delicadeza na abordagem de tema tão difícil. Que coisa mais linda o menininho, filho da puta, pedindo “teta, teta!!!!” (Dante, na vida real, é filho da atriz e estava mesmo em fase de amamentação: chupava, pois o peito, a teta, e o leite da mãe!!!!). ** Ah, Sofia foi eleita melhor atriz no Fest Guadalajara
****Ana Luiza Beraba, da Esfera, este filme é a
cara de sua distribuídora!!! Confira!!!!! bjs rô

****FEST É TUDO
VERDADE ANO 23
De 11 a 22 DE ABRIL.
Abertura paulista: com ADONIRAN,
no Auditório do Ibirapuera, dia 11. No dia
seguinte abertura carioca, com CARVANA.
Na Cinemateca do MAM
Cinco competições:
Longas brasileiros, longas latino-americanos, longas
internacionais + Curtas brasileiros, Curtas internacionais.
Homenagem a Pamela Yates, discípula de Haskel Wexler.
Ambos loucos pela América Latina. Ele filmou no Chile, fez um longa ficcional chamado “Latino”. Conheci-o quando ele apresentou este filme no Fest Havana. Deu uma coletiva concorridíssima e dedicou um belo espaço ao trabalho como diretor de fotografia (dividiu esta função com o espanhol-cubano Nestor Almendros em “Cinzas no Paraíso”, do Terrence Malick). Fico sabendo que Pamela Yates mostrará, no ETV 23, sua TRILOGIA GUATEMALTECA (sobre a cultura Maya, que ela acompanhou por 35 anos).
*******MEXICO – RIVIERA MAYA – PRÊMIOS PLATINO 2018: Como voltaremos ao México em maio e sonho conhecer pirâmides e vulcões, vou assistir aos filmes dela para ver se damos uma esticada até a Guatemala!!!!). Alguém conhece??? Tem dicas para me dar????. (Cidade Guatemala, a capital, é rica em templos e construções Mayas???).. De todo jeito veremos os dois vulcões de CUERNAVACA, que inspiraram “À Sombra do Vulcão” (livro e filme). Claro que vou levar o livro VIVA!, do Patrick Deville, na mão!!!! (***) Conversando com um vizinho,
professor de Educação Física, aqui em Santos,
ele me peguntou se eu já me convencera
a ir a Cancun, já que gosto tanto do México. Respondi que vamos, sim, à Riviera Maya, cujo centro nevrálgico é o famoso balneário mexicano, mas que eu quero mesmo é ir