****COLEÇÃO PATMOS EM HQ (SIVUCA, NA IMAGEM ABAIXO,COM MIRIAM MAKEBA + CAMARA CASCUDO) + FUNK SEM NOÇÃO + SIMAS E O MARACANÃ + FRIDA NO CURTA! (CASA AZUL) + FEMININO PLURAL (LIVRO)

+ COLEÇÃO PATMOS EM

HQ (SIVUCA & CASCUDO)

+ LUIZ ANTONIO SIMAS + CONTARDO/EVA/PANDORA + O FUNK DO MACHO SEM NOÇÃO NO PAÍS DA DELICADEZA PERDIDA

+ FILME DO LUCA GUADAGNINO + BILHETERIAS BRASILEIRAS + HAVERÁ REPRISE DE “A CASA AZUL DE FRIDA” NO CURTA! ???

+ “FEMININO E PLURAL – MULHERES NO CINEMA BRASILEIRO” (LIVRO) + BABU SANTANA (HOMENAGEM EM TIRADENTES)

+ COLEÇÃO (QUADRINHOS)
DA EDITORA PATMOS
. Trouxe da Paraíba, mais 4 volumes da Coleção
PRIMEIRA LEITURA, de alcance infanto-juvenil, em formato
quadrinhos. Da Editora Patmos. Cada volume custa R$42,00.
Ganhei os primeiros (incluindo AUGUSTO DOS ANJOS), gostei tanto, que resolvi comprar diversos outros. No início, a Coleção era de escritores, artistas e grande nomes da história paraibana (José Lins do Rego, Ariano Suassuna, etc, etc). Agora a coleção cresceu para outros estados do Nordeste: Pernambuco (com Joaquim Nabuco), Rio Grande do Norte (com Luiz da Câmara Cascudo), etc. Dos paraibanos, acabo de ler SIVUCA. Muito bom. A pesquisa é séria e mostra como o sanfoneiro e multinstrumentista albino (nego-aço, como dizíamos
em MG) foi (continua sendo) grande, como tocou com os maiores músicos do mundo, o rico acervo que nos deixou. Com destaque para a parceria dele com a sul-africana Mirian Makeba (ele é autor do arranjo de PASTA PATA, sucesso planetário). Cita, inclusive, a razão do afastamento da estrela black. Ela se casou com um ativista da Causa Negra (creio que com um Pantera Negra, não?) e passou a ser perseguida pelo Governo dos EUA. Sivuca só queria sequenciar sua carreira.***Dos potiguares,
li o volume dedicado a LUIZ DA CAMARA CASCUDO,
a quem o cineasta EUGENIO PUPPO dedicou excelente série de
TV (sobre a “Comida Brasileira”, que “Cascudinho” tanto estudou) apresentada pelo Canal CinemaBrasil (segue a produção de novos episódios e mais: o amplo material colhido no Brasil, Portugal e África pode gerar um longa-metragem). O texto sobre Cascudo conta do anti-comunismo dele, de sua opção (mesmo que temporária) pelo Integralismo de Plínio Salgado, etc. E dos que reconheceram a importância das pesquisas do “folclorista” (termo que ele detestava), incluindo Drummond e Gilberto Amado. Ou seja, trata o leitor, mesmo infanto-juvenil, como pessoa inteligente, capaz de tirar suas próprias conclusões sobre as trajetórias de mulheres (minoria absoluta na Coleção, por enquanto) e homens. Trajetórias que somam contradições.

****************** “PELA JANELA”
De Caroline Leone. Estreia de hoje:
UMA DELICADA JOIA RECOMENDADA A QUEM QUER DEPARAR-SE COM UM ROAD MOVIE FEMININO, QUE PASSA PELAS CATARATAS DO IGUAÇU, CHEGA À ARGENTINA E CONSTROI
UM DELICADO RETRATO DE OPERÁRIA EM LUTO PELA PERDA
DE SEU POSTO DE TRABALHO (EM FABRICA PAULISTANA).

+ DEPARDON NO BRASIL: NO RIO E EM
SÃO PAULO (MASTER CLASS)

+ MOSTRA ENNIO
MORRICONE, NO CCBB-SP

+ ALGUÉM SABE ME DIZER
POR QUE BERNARDO MELLO
FRANCO ESTÁ DEIXANDO A
COLUNA DELE NA PÁGINA
DOIS DA FOLHA DE S. PAULO?????

***O MARACANÃ
(PERDIDO) DE SIMAS:
Leiam, hoje,
1. Em O Globo, a coluna de Luiz Antônio Simas,
amigo do Nei Lopes, sobre o Maracanã: parece
que foi escrita para os críticos (agora cineasta) Zé
José (Eduardo Souza Lima)+ Zé Geraldo Couto, Luiz
Zanin e Ugo Giorgetti. E para Juca Kfouri………..
2. Leiam também a coluna do Contado
Calligaris, na Folha. Não concordo muito
com as explicações psico-analíticas dele, mas a frase
“NOSSA CULTURA É FUNDADA NO ÓDIO À MULHER, COMO ENCARNAÇÃO DO MAL E VOZ TENTADORA DO DEMÔNIO”
(desde os “mitos” de Eva e Pandora) é de um poder de síntese e de
uma coragem FORMIDÁVEIS.
3. O FUNK DO MACHO SEM NOÇÃO:
Não sofro de DEMOFOBIA. Nunca sofri. Mas este FUNK de um tal de MC DIGUINHO é aviltante. Leram?? Ouviram??? Nunca ouvi, mas li matéria, hoje, em O Globo: O país de Cartola, homem do povo, da favela (“as rosas não falam, simplesmente exalam o perfume que roubam de ti”), Cavaquinho-Brito (“Tire o teu sorriso do caminho, que eu quero passar com a minha dor) NÃO PODE SE CONFORMAR COM “VERSOS”
capazes de tamanha baixeza:
“Só surubinha de leve (bis)
Com essas filhas da puta
Taca a bebida,
Depois taca pica
E abandona na rua
**********ME CHAME PELO SEU NOME:
Vi o filme “Me Chame pelo Seu Nome” ainda sob o impacto de
120 BATIMENTOS por Minuto. Este sim, um filmaço. Para mim, o filme do italiano foi feito/talhado para o OSCAR. Personagens judeus (representados em correntinha
com a estrela de Davi), gente chique, culta, que aprecia a arte helênica, atores lindos, paisagens idem, etc, etc. Sexualidade (homoafetividade) contida, enfim, nada que afronte as boas famílias. Tudo é lindo demais, todos são progressistas demais.. E os conflitos são mínimos. Li a crítica do INACIO ARAUJO, ótima, pois lembra que o EXCESSO DE FELICIDADE joga o filme num impasse. Li a do DANIEL SCHENKER, no Globo, e ele gostou muito do filme (espero que tenha gostado ainda mais dos 120 BATIMENTOS). Hoje, com atraso, li a crítica do Zanin, bem mais longa que as duas citadas, na qual ele reconhece valores no filme —- (como impedir Zanin de se interessar por um longa que mostre as belezas da Itália? RISOS)

Anúncios