ALMANAKITO (25-07-17)
+ BILHETERIAS BRASILEIRAS
+ SONIA BRAGA + BIOGRAFIA
DE RUY GUERRA

**********ALMANAKITO
TERÇA-FEIRA (25-07-2017)

+ BILHETERIAS BRASILEIRAS + ERA O HOTEL CAMBRIDGE + SELTON MELLO + SONIA BRAGA + LIVRO “NA MINHA PELE” + BIOGRAFIA DE RUY GUERRA + FEST LATINO SP ANO XII + CINECEARÁ ANO 27 + FEST GRAMADO ANO 45 + FEST BRASILIA ANO
50 + REVISTAS DE CINEMA + ANIMAÇÃO BRASILEIRA ANO 100 + GUY DE MAUPASSANT

+ BILHETERIAS
BRASILEIRAS:

+ ERA O HOTEL
CAMBRIDGE
Hoje, no Canal Brasil

+ BIOGRAFIA
DE RUY GUERRA:
Lançamentos em SP e RJ de
“Ruy Guerra: Paixão Escancarada”,
de Vavy Pacheco Borges, professora
da Unicamp (Boitempo Editorial).
Detalhes abaixo

+ CARTAZ DO SALÃO
DO HUMOR DE PIRACICABA,
QUE COMEÇA AMANHÃ,
26 DE JULHO, traz a assinatura
do craque Luiz Gê. Já a do Salãozinho
piracicabano, traz a assinatura
de Maurício de Souza.

**TRINCA ESPORTIVA (Entrevista)
Excelente a repercussão da entrevista de José Trajano,
Juca Kfouri e Antero Greco com o ex-presidente Lula.
Mais de um milhão de acessos. Está no
“Ultrajano” (imagens e som)
www.com/ultrajano

***LEIA, NO FACEBOOK:
Belo depoimento do dramaturgo e
escritor W.J. Solha sobre espetáculo
solo (e auto-biográfico) de Paulo Betti,
que tem corrido o país.

***BILHETERIAS
BRASILEIRAS:
Fonte: Boletim Filme B
Data: 25-07-2017
Editor: Paulo Sérgio Almeida
Assinaturas: filmeb

*ESTREIA:

.Os Detetives do Prédio Azul…………………….513.144

CONTINUAÇÕES:
Meus 15 Anos……………………………………………720.715
Um Tio Quase Perfeito………………………………547.858
Real, Um Plano Atrás da História……………….46.557
DIVINAS DIVAS………………………………………..28.904
Jardim das Aflições………………………………………14.186
Soundtrack……………………………………………………12.489
Fala Comigo……………………………………………………7.318
MULHER DO PAI…………………………………………..6.379
ANIMAL POLITICO……………………………………….3.995
OS POBRES DIABOS………………………………………3.442
Sepultura Endurance…………………………………………2.587
DANADO DE BOM…………………………………………..1.187

+ SONIA BRAGA:
Vou dizer algo que queria dizer desde sábado à noite, quando foram entregues em Madri, os Prêmios Platino (Ano 4): “Aquarius” deixou Sonia Braga em estado de graça. A felicidade que ela e Pedro Alomódovar (eleito melhor diretor por “Julieta”) emanavam era contagiante. Sonia participou do primeiro Platino, em 2014, em Ciudad Panamá. Mas nos desapontou a todos nós, jornalistas, pois não quis dar entrevista a ninguém. Nem aos hispano-americanos, nem aos brasileiros. Enquanto Javier Cámara, ator almodovariano, a todos encantava (com declarações, brincadeiras, tocando piano e mandando lembranças para seu colega de elenco em “Fale com Ela”, Caetano Veloso), Sonia não deu as caras no espaço de imprensa. A língua portuguesa, que luta por seu espaço no mundo ibérico (somos só dois países, Portugal e Brasil, contra uns 15 de fala castelhana), continou sem se fazer ouvir no centro de imprensa dos Prêmios PLATINO. À noite, ao agradecer o Platino de Honor, Sonia evocou o amigo José Wilker (seu parceiro em “Dona Flor” e “O Casal”), que acabara de falecer. ******Depois da bem-sucedida carreira de “Aquarius”, a felicidade tomou conta de Sonia. Foi lindo o agradecimento dela, o amor pela personagem (Doña Clara) e pela história que interpretou, o quanto é grata a Kleber Mendonça, etc, etc. Como é bom ver uma atriz madura interpretando um grande papel, colecionando prêmios e exalando felicidade. E ajudando o cinema brasileiro a conquistar espaço entre nossos vizinhos.

*******NAS BANCAS:
novo número da revista Preview
Brasil, que resiste aos tempos difíceis.

* GUY DE MAUPASSANT:
Nos cinemas (“Une Vie – A Vida de Uma Mulher”,
de Brizé, já foi visto por 10.021 espectadores (até domingo passado). Nas livrarias, BOLA DE SEBO E OUTRAS
HISTORIAS (Editora Expressão Popular).
Ver nota baixo sobre o livro “Bola de Sebo e Outras Histórias”, de Maupassant apresentado com raro gosto por Walnice Nogueira Galvão e colegas.

**************REVISTA “CONTINENTE”
(RECIFE-PERNAMBUCO): BERNARDET
**** Um adendo à nota a seguir:
a CONTINENTE traz excelente entrevista de Jean-Claude Bernardet sobre documentário e ficção. As ideias dele, neste terreno, já são conhecidas. Mas ele traz exemplos dos mais significativos, a partir de reflexões a partir de Jean Vigo e Jean Rouch. Mas o que mais impressiona na entrevista são as
reflexões dele sobre a GloboNews.
Leiam, que vale a pena. ******Já está nas melhores livrarias a edição 199 da publicação pernambucana. Na capa, o Centenário de Hermilo Borba Filho, encenador e escritor nordestino, que tem sua obra completa reeditada. Complementando a CONTINENTE, um encarte que propõe o seguinte: “Cidade de Deus – Vinte anos
após o livro de Paulo LINS, fomos ver as narrativas críticas e iniciativas artísticas na favela cujo nome rodou o mundo”

+ O FILME DA MINHA VIDA:

Trailer:

https://www.youtube.com/watch?v=TDVegL5nfYs&t=6

**LAZARO RAMOS & CHICO CESAR
Ontem fui à Livraria Cultura, no Conjunto Nacional, comprar dois exemplares do livro do Lázaro Ramos (“Na Minha Pele”, Editora Objetiva), que está em primeiro lugar na lista de não-ficção e mais dois CDs de Chico César (“Estado de Poesia”), que estava devendo a amigos. O CD de Chico, eu procurei primeiro na Livraria Siciliano, no Shopping Santa Cruz, onde
fora ver o simpático “DPA – Detetives do Prédio Azul”. O gentil atendente me avisou que o CD chegaria dentro de três dias e me mostrou a capa. Ponderei que não era aquela a capa que eu conhecia. E descobrimos que a que ele me mostrara era do show ao vivo do artista, que rodara o país. Na Cultura, o atendente me disse que conseguiria os CDs em três dias. Fiz a encomenda e parti para o pedido “Na Minha Pele”. Esgotado!!!!!. O rapaz pegou o que estava na vitrine, com um selo colado bem em cima da (meia)foto do Lázaro que o encapa. Retirou-o com cuidado e me entregou. E encomendou o outro exemplar. O livro está mesmo bombando. E a preço promocional: R$26,00. Aproveitem. Fiz, então, meu terceiro pedido: o romance “Última Hora”, que acaba de vencer o Prêmio Sesc de Literatura. Creio que ainda não virou livro, pois não havia dele nenhum registro no espaço digital da Cultura….. que disseram que estava em crise, mas acaba de comprar a FNAC brasileira!!!!!.

*****SELTON, LAMPIÃO,
FALA COMIGO
Aliás, o número 114 da Revista da Cultura está muito bom. Entrevista imensa com Selton Mello, que fala de sua carreira e do “Filme da Minha Vida”, excelente matéria sobre novas abordagens que apresentam um Lampião (Virgulino Ferreira) longe da imagem de “Robin Hood dos pobres”, matéria sobre FALA COMIGO, o filme, e críticas (cinematográfiucas) de Tuna Dwek e Alfredo Sternheim. Confiram. Só não gostei da capa da revista.

********* CINEMA
IBERO-AMERICANO
No Festival de Cinema
Latino-Americano de SP
e no CineCeará 2017

+ FESTIVAL BRICS (Brasil, Rússia,
Índia, China e África do Sul)

*** RUY GUERRA: TRAJETORIA
Lançamento da biografia

“Ruy Guerra:

Paixão Escancarada”

A Boitempo, a autora da obra

Vavy Pacheco Borges e o biografado convidam para os eventos de lançamento com sessão de autógrafos de Ruy Guerra: paixão escancarada, que acontecerão em São Paulo e no Rio de Janeiro.

São Paulo

08 de agosto | 18h30 horas

Livraria da Vila

Alameda Lorena, 1731 | Jardim Paulista

São Paulo – SP

Rio de Janeiro

21 de agosto | 19 horas
Livraria Travessa, Shopping Leblon
Av. Afrânio de Melo Franco, 290 – loja 205 A
Rio de Janeiro

*****ALMANAKITO
QUARTA-FEIRA (19-07-17)

+ BERNARDET + MARIA RITA GALVÃO + SKÁRMETA + MAUPASSANT + CONVIDADOS DO FEST
LATINO-AMERICANO DE SP + BILHETERIAS BRASILEIRAS
+ REVISTA DE CINEMA DIGITAL + TEOREMA 27

+ “O FILME DA MINHA VIDA” (UM PAI DE CINEMA)
+ ADEUS A MARIA RITA GALVÃO + LIVRO DA VERA
CRUZ (BURGUESIA E CINEMA) + ESCOLA DE CINEMA

******A PERDA DE MARIA RITA

GALVÃO (06-05-1939 – 18-07-2017)

Professora da USP e pesquisadora de grande importância para o cinema brasileiro (vide o texto que Antonio Candido escreveu sobre ela, na Revista da USP), Maria Rita deixa pelo menos dois livros obrigatórios — “Burguesia e Cinema: O Caso Vera Cruz”, fruto de suas pesquisas de mestrado (“Crônica do Cinema Paulistano”, 1975), e doutorado (“Vera Cruz, a Fábrica de Sonhos”, 1976) e “O Nacional e o Popular na Cultura Brasileira: Cinema”, parceria com Jean-Claude Bernardet (1983). Atuou, também, como pesquisadora (e assistente de direção) em dois filmes de João Batista de Andrade & Jean-Claude Bernardet (“Pauliceia Fantástica”, 1970, e “Eterna Esperança”, 1971). E como pesquisadora em “Cinema Brasileiro, Mercado Ocupado”, de Leon Hirszman, e “Vera Cruz, a Fábrica de Ilusões”, Globo Repórter de Sérgio Muniz (1976). E, ao lado de Rudá de Andrade, de “Sonho Sem Fim”, longa ficcional de Lauro Escorel, que narra a trajetória o pioneiro do cinema gaúcho, Eduardo Abelim (que batiza prêmio do FEST Gramado, que este ano será entregue a OTTO GUERRA).
***** Tive a alegria de conviver com ela em muitos momentos. No melhor deles, na volta de Cuba (Fest Havana 1985), via Lima, quando nos hospedamos num delicioso hostal no bairro de Miraflores. Viagem maravilhosa, com Joaquim Pedro de Andrade, Helena Salém e outros brasileiros, visitamos o Pacífico e fomos a uma cevicheria popular, imensa e maravilhosa, e depois a um imenso mercado de artesanto. Tenho a foto que registra este momento feliz de nossas andanças latino-americanas. Maria Rita Galvão aparece bem no filme (um longa documental) “Escola de Cinema”, que teve sua estreia, semanas atrás, na Mostra de Cinema de Ouro Preto (XII CineOP). Deixa muitas saudades e pesquisas

+ O FILME DA

MINHA VIDA:

Trailer:

https://www.youtube.com/watch?v=TDVegL5nfYs&t=6

Baseado no livro “Um Pai de Cinema”,

do chileno Antonio Skármeta, “O FILME DA MINHA VIDA”

é uma produção de Vania Catani, da Bananeira Filmes,

e tem distribuição da Vitrine Filmes. Estreia nos cinemas

no dia 3 de agosto. O elenco traz Vincent Cassel, Selton Mello, Johnny Massaro, Bruna Linzmeyer, Rolando Boldrin, Ondina Clais, Beatriz Arantes, João Prates, Erika Januza, Martha Nowill e Antonio Skármeta, em participação especial.

ELENCO (ATOR-PERSONAGEM)

Johnny Massaro – Tony Terranova —Vincent Cassel – Nicolas Terranova — Bruna Linzmeyer – Luna Madeira —Selton Mello – Paco –Ondina Clais – Sofia Terranova —Bia Arantes – Petra Madeira — Martha Nowill – Camélia — Erika Januza – Tita

Miwa Yanagizawa – Brigite

Participações especiais: Rolando Boldrin e Antonio Skármeta Apresentando: João Pedro Prates e Gabriel Reginato

+ INSCRIÇÕES ABERTAS:
Para Cinefoot 2017
Para Fest Aruanda (Jampa – PB)

LIVRO DE MAUPASSANT

(ver crítica de Bruno Ghetti)

+ NA REVISTA DE CINEMA (DIGITAL):
MATERIAS SOBRE “CINE CEARÁ-MOSTRA
CHILE” + “MOSTRA SESC DE CINEMA
PAULISTA: “LIMPAM COM FOGO”)

+ CONVIDADOS DO FEST AMERICA LATINA -SP

+ BILHETERIAS BRASILEIRAS

+ FEST GRAMADO 2017

* CONVIDADOS DO FESTIVAL
LATINO-AMERICANO DE SP (ANO XII)
A 12a. edição do FEST AL SP acontece em 26 espaços paulistanos (incluindo Memorial da América Latina e CineSesc)
a partir desta quarta-feira, 26 de julho, até dois de agosto.
Lista de convidados hispano-americanos que virão ao Brasil, para participar da festa latino-americana, organizada por Jurandy Muller e nosso Francisco César Filho, o Xikinho.
Chamo atenção para dois nomes, em especial e listo os demais: María Novaro, diretora mexicana, que vem mostrar seu último longa, o infanto-juvenil “O Tesouro”, e o ator chileno Alejandro Goic, de “El Club” (Larraín), que vem representar um dos filmes da mostra FOCO CHILE, o inédito “Jesus”, junto com o diretor Fernando Guzzoni.
Além de María Novaro, grande cineasta e ex-companheira e sempre amiga do produtor Jorge Sanchez (parceiro de Gabriel García Márquez, na Amaranta Filmes, ex-cônsul do México no Rio, ex-diretor do Festival de Guadalajara e atual presidente do ImCine-Instituto Mexicano de Cinema) e de Goic, estarão em Sampa
os seguintes convidados:
. Emiliano Torres (O Inverno, Argentina)
. Christián Jure (Alta Cumbia, Argentina)
. Eden Villavicencio (A Região Selvagem, México)
. Lucero Sanchez Novaro (O Tesouro, México)
. Diego de Paula (O Candidato, Uruguai)
. Mariana Murillo Quesada (O Som das Coisas, Costa Rica)
. Juan Sebastián Mesa (Os Ninguém, Colômbia)
. Pablo Paniagua (Viejo Cavalera, Bolívia)
. Rodrigo Moreno del Valle (Wik, Peru)
. Ariel Mateluna (Más Companhias, Chile)
. Blanca Lewin (Vida em Família, Chile)
. Rodrigo Lisboa (Rei, Chile)

****LIVRO “BOLA DE SEBO
E OUTRAS HISTORIAS”:
DE GUY DE MAUPASSANT :
Acabo de receber de Walnice Nogueira Galvão, escritora, professora da USP, ensaista e colaboradora próxima do saudoso Antonio Candido, o livro “BOLA DE SEBO E OUTRAS HISTORIAS”, de Guy de Maupassant (1850-1893). Trata-se de lançamento da Editora EXPRESSÃO POPULAR, que reúne quatro contos do ficcionista francês, que encantou até o exigentissíssimo Flaubert. O livro tem tradução de Enid Yatsuda Frederico. E contou com os cuidados de Walnice Nogueira Galvão, Zenir Campos Reis, Claudia de Arruda Campos e da própria Enid. Ou seja, um terceto FEMININO unido a um VARÃO para produzir uma delicada e dedicada edição dos contos BOLA DE SEBO, obra-prima da literatura universal, “Rosalie Prudent”, “Luar” e “A Confissão
de Théodule Sabot”. Walnice assina a orelha do livro
e destaca que “o leitor tem em mãos um mostruário dos
talentos de grande escritor” (…) E mais: “O conto do título,
‘Bola de Sebo’, é também o mais famoso dentre todos,
joia de um gênero que impõe suas próprias normas quanto à concentração do entrecho e criação de atmosfera”. Enid Yatsuda Frederico assina um dos artigos introdutórios da pequena coletânea: “O Mestre do Conto e a Obra Prima” e nos dá em substantiva nota de pé de página um sintético perfil de Henri René Albert Guy de Maupassant, filho da aristocracia decadente francesa. Em outro texto, Claudia de Arruda Campos reflete sobre “Ler-Compartilhar”. Todo este rico material está contido
em 132 páginas, formatadas em livro de bolso, daqueles que você, nestes dias gelados, carrega no bolso do casaco para ler, sem conseguir parar. *** Deixo
aqui — por fim — uma indicação
nobre, que me foi apresentada por
Luiz Fernando Zanin Oricchio:
o filme “Une Vie”, de Alexandre
Astruc (1923-2016), o grande ensaísta/teórico (da “caméra-stylo”)
e cineasta de algumas obras notáveis. Depois de assistirmos, no Festival Varilux, ao “Une Vie – A Vida de Uma Mulher”,
Zanin me recomendou que visse o
“Une Vie” astruquiano. Totalmente diferente do filme de BRIZÉ,
o sintético longa de ASTRUC, realizado em 1957, com Maria
Schell de protagonista, só pega metade da “vie” da sofrida jovem francesa, que teve a desgraça de casar-se com um nobre arruinado e imprestável e de ter um filho estroina, que mudou-se para Londres e só lembrava da mãe para pedir dinheiro, mais dinheiro, sempre dinheiro… (Estou aguardando uma crítica do filme de Brizé

Anúncios