CINEOP 2017 — ANO XII — ” Ē UM CASO DE POLÍCIA!”,
MARIO, CARLA E PATRICIA CIVELLI + POLA VARTUCK,
UMA FAMÍLIA CINEMATOGRÁFICA

*******CINEOP 2017 — ANO XII — A produtora Patrícia Civelli, herdeira da Multifilmes, empresa produtora criada por seu pai, o ítalo-brasileiro Mario Civelli (1923-1993), apresentou, na Mostra de Cinema de Ouro Preto, cópia restaurada de Ē UM CASO DE POLÍCIA!, comédia escrita por Dias Gomes e dirigida por sua tia, a cineasta CARLA CIVELLI (1921-1977). O filme, protagonizado por Glauce Rocha e Sebastião Vasconcelos, e com mais dois grandes atores no elenco (Renato Consorte e Claudio Corrêa e Castro), foi realizado em 1959 e não conseguiu espaço no circuito exibidor. A presença feminina no comando de um filme, naquela época, não era tão bem vista (e desejada) quanto hoje. O passar do tempo (em breve o filme fará 60 anos) foi arruinando negativos e cópias de É UM CASO DE POLICIA!. Incansável, Patrícia conseguiu restaurar os precários materiais que encontrou, mas não com a qualidade desejada. Agora, com apoio da Oi e do saudoso restaurador Francisco Moreira, ela conseguiu chegar a excelente cópia. Retrabalhou o som e as imagens desta comédia ingênua, mas sedutora. O público que assistiu ao quase sexagenário longa civelliano no centenário Cine Vila Rica divertiu-se muito com a trama engendrada por Dias Gomes e transformada em filme pela pioneira do cinema de batom. Patrícia, que é filha da saudosa crítica de cinema POLA VARTUCK (que por anos trabalhou no Estadão), está, agora, empenhada no restauro de A SOGRA, outra produção da Multifilmes. E cuida, ainda, da produção do novo longa-metragem de Joel Pizzini, que vai registrar o encontro do Marechal Rondon com o ex-presidente dos EUA, Theodore Roosevelt, quando este visitou a Amazônia brasileira. A Família Civelli é detentora dos direitos de imagem de Rondon. Na colagem abaixo, Patrícia Civelli (em cores) e de sua tia, Carla. ***UM PEDIDO: quem tiver foto de POLA VARTUCK e quiser mandar cópia para o Blog Almanakito, agradeço. Afinal, não encontramos uma imagem que fosse da crítica paulistana no espaço digital. Detalhe: Pola foi roteirista de duas produções da Multifilmes e atriz em “A Casa das Tentações” (Rubem Biáfora, 1975). E há, em sua carreira jornalística, fato que a colocou em destaque, nos anos 1970: foi em entrevista a ela, no Estadão, que Cacá Diegues difundiu a expressão “patrulhas ideológicas”.