AINDA SOBRE O MEXICO AMADO — SÓ ontem, lendo OFELIA MEDINA, UM RETRATO, recém-lançado no Festival de Guadalajara — livro-álbum que ganhei de presente de Jorge Sanchez, presidente do ImCine azteca — descobri que PEDRO ARMENDARIZ JR, companheiro da

atriz (a Frida de PAUL LEDUC), morreu em 2011. Não vi uma linha que fosse na nossa imprensa. E sou de ler necrológios no Globo, na Folha, no Estadão…. PEDRO, que vimos em filmes como

O CRIME DO PADRE AMARO e A LEI DE HERODES (“ou te chingas o te jodes”), era um astro no México, assim como seu pai, o galã dos melodramas da Pelmex, par de MARIA FELIX em alguns deles. PEDRO JR morreu com setenta e poucos anos. O pai, PEDRO ARMENDÁRIZ, com sessenta e poucos (deu um tiro no ouvido, pois um câncer irreversível o destroçava. Até um dublê fora convocado para substitui-lo nas filmagens derradeiras do segundo 007). ******OUTRA ESTRELA MEXICANA

que se foi sem nenhum registro no BRASIL foi a cantora CHAVELA VARGAS. Ela partiu há poucos anos, em 2012, aos 93. NO livro de OFELIA MEDINA, escrito por Avelino Sordo Vilchis,

A ATRIZ CONTA QUE INTERPRETOU CHAVELA no espetáculo teatral CHAVELA Y SUS MUJERES. Chavela era homossexual assumida. Ela, a cantora, participa do filme FRIDA, o protagonizado por Salma Hayek, não?? E agora, no FEST GUADALAJARA, foi apresentado um longa documental sobre Chavela. Quem o trará ao Brasil? A Mostra SP, de Renata ALmeida????? QUE VIVA MEXICO!!!

Estou escrevendo uma serie de flashes sobre nossa viagem (de Zanin e minha) ao país azteca. Aguardem.

Bjs rô

Enviado do Ipad de Rosário

Anúncios