O PROTAGONISMO DA MULHER NEGRA (SEMINÁRIO)

+ JOÃO GILBERTO NOLL NO SUPER LIBRIS (PROGRAMA DE TORERO NO SESCTV) . Na foto, o escritor e cena do filme NUNCA FOMOS TÃO FELIZES, DE MURILO SALLES + LAZARO “ESPELHO” RAMOS, NOVA TEMPORADA NO CANAL BRASIL

ALMANAKITO (29-03-17)

+ SABADO, DIA 8 DE ABRIL,

SEMINÁRIO EM SAO PAULO: A PARTICIPAÇÃO
DAS MULHERES NEGRAS (DÉCADA DOS AFRO-DESCENDENTES)

+ NOLL + LAZARO RAMOS + CINE BRASIL & AFRICA + DINASTIA SILVINO + CINEMA EGIPCIO NO CCBB-SP + ARTIGO “CULTURA CONGELADA” NA ILUSTRADA-FOLHA

Rô Caetano
Maria do Rosário Caetano
Blog: www.almanakito.wordpress.com

ALMANAKITO
QUARTA-FEIRA (29-03-17)

+ JOAO GILBERTO NOLL (PERDA) + ESPELHO DE LÁZARO (LAZ) + “GALERIA F” TEM PRE-ESTREIA NO CCSP, NESTA QUARTA-FEIRA (HOJE, À NOITE) + CINEMA EGIPCIO NO CCBB-SP

+ PAULO SILVINO: COMPOSITOR E HUMORISTA + ARTIGO SOBRE CULTURA CONGELADA” (ILUSTRADA-FSP) + BILHETERIAS BRASILEIRAS + VERMELHO RUSSO

+ FILMES ITALIANOS NO CINECLUBE CPC-UMES (BIXIGA PAULISTANO) + CARLOS ALBERTO SOFFREDINI EM QUATRO LIVROS + MOSTRA CINESESC MELHORES DO ANO (EDIÇÃO 43)

2. JOÃO GILBERTO NOLL —

No “face” do
JOSÉ ROBERTO TORERO,

endereço de acesso ao
programa SUPER

LIBRIS (SescTV) com João Gilberto Noll,
o homem que mais amou GUERRA CONJUGAL, de Joaquim Pedro de Andrade!!!!!

3. BRASIL INACREDITÁVEL:
Leiam, sem falta, a coluna de
CESAR FELICIO
(“AGORA É SAMBA”),
no Valor Econômico de
10-03-17, prá vocês

verem o que virou o
JUDICIARIO brasileiro
em tempos temerários….
No caso, citação de entrevista
de Gilmar Mendes
à REUTERS….

****A PERDA DE JOÃO
GILBERTO NOLL:
Acabo de saber que o escritor João Gilberto Noll partiu (aos 70 anos). Só estive com ele uma vez, no Festival de Gramado. Estávamos em tempo de eleições (salvo engano a de 1989, quando Lula perdeu para Collor). O Jornal de Brasília, no qual eu trabalhava, me encomendou enquete com cineastas, roteiristas e atores, para ver como estava o placar eleitoral neste segmento específico. Claro que deu Lula, pois Collor não falava à alma dos artistas. Além de perguntar em quem o “consultado” votaria, perguntei qual era o filme favorito dele. O de NOLL foi “Guerra Conjugal”, que Joaquim Pedro de Andrade adaptara da soma de contos do vampiro curitibano-recluso, Dalton Trevisan. Um dia quero encontrar o exemplar guardado do jornal, para checar
1. se minha memória não está somando enquetes diversas e, principalmente,
2. para reler a bela justificativa nolliana para sua opção pelo belo e, infelzmente, esquecido filme de Joaquim Pedro-Dalton).
***E, hoje, em sua memória (de Noll)
nada melhor que rever os três
filmes que nasceram de seus livros:
. Nunca Fomos Tão Felizes, de Murilo Salles
. Hotel Atlântico, Suzana Amaral
. Harmada, Maurice Capovilla

*****ESPELHO, DE LAZARO
RAMOS, NOVA TEMPORADA.

POR LAZARO RAMOS:
Rô,
A nova temporada do “Espelho” já estreou e
está liberada pra não-assinantes no
CanalBrasilPlay.
Se puder veja

Tem já José mariano beltrame e liniker.

Nova abertura, novos quadros. Direção de fotografia
de Chico Rufino, direção do cineasta Thiago Gomes e
eu por lá tentando fazer sempre uma entrevista relevante.

http://globosatplay.globo.com/canal-brasil/v/5706248/?utm_source=facebook&utm_medium=facebook+ad&utm_campaign=cbr+espelho+ep02+play&utm_term=remarketing&utm_content=liniker

Bjao
Laz
***********Lázaro, querido
estou mergulhada em livros e
DVDs mexicanos (o México tomou conta de mim!!, risos) e
não estou vendo TV. Mas na
segunda-feira liguei por três breves
minutos no seu ESPELHO e amei o início de sua
conversa FRANCA-SINCERA-CONFESSIONAL com Beltrame.
Aí desliguei pois me esperavam os DVDs de EL DESIERTO, VAMONOS
CON PACHO VILLA, QUE VIVA MEXICO!, MACARIO……… Bjs rô

*******FILME “DO OUTRO LADO DO
ATLÂNTICO” NO RIO, SÃO PAULO
E SALVADOR + DINASTIA SILVINO,
POR TARIK DE SOUZA + CINEMA
EGIPCIO NO CCBB-SP
+ ARTIGO “CULTURA
CONGELADA” (NA FOLHA)

****BRASIL-AFRICA (FILME
& DEBATE): NO CIRCUITO
SPCINE: DO OUTRO LADO
DO ATLÂNTICO, DOCUMENTARIO
SOBRE RELAÇÕES BRASIL-AFRICA

****************HOJE, NA ILUSTRADA
(Folha) artigo (de uma articulista muito inteligente), sobre a Manifestação da “Cultura Congelada”, com suas geladeiras colocadas em praça pública paulistana. Recomendo a leitura.

**DINASTIA SILVINO
Por Tárik de Souza

Rô, querida:
Quem sai aos seus não degenera…
O Paulo Silvino é filho do grande humorista, ator, CANTOR e COMPOSITOR Silvino Neto (1913-1991), famoso na era do rádio pelo personagem Pimpinela, e que também fez muitos filmes.
Como autor de dezenas de composições, foi gravado, entre outros, por Carmem Miranda e o Bando da Lua (“Não te dou a chupeta”) nos EUA, em 1941, Jorge Goulart (“Lágrimas de amor”, 1962), Angela Maria (“Fantasma da felicidade”, 1955) e emplacou grandes sucessos interpretados pelo “cantor das multidões”, Orlando Silva (“Cidade brinquedo”, com Plínio Bretas, 1939, “Uma saudade a mais, uma esperança a menos”, com Carlos Morais, 1938) e “o rei da voz” Francisco Alves (“Valsa dos namorados”, 1939, e “Adeus – cinco letras que choram”, 1947).
Teve a quem puxar!
beijos, Tárik

* PAULO SILVINO:
HUMORISTA E…COMPOSITOR

No livro “SAMBALANÇO, A BOSSA QUE DANÇA”, de
Tárik de Souza, que em breve aparece em sua versão documentário
de longa-metragem, dirigida por Fabiano Maciel, deparei-me com a face
“compositor” de PAULO SILVINO. Ele seria integrante ativo da Turma do
Sambalanço. Dias atrás, assistindo ao filme “JOVEM aos 50” (JOVEM GUARDA),
quem aparece todo faceiro, num dos primeiros dos mais de 50 depoimentos que compõem o filme?? O cômico da Rede Globo. Ele foi compositor e “instrumentista” (“tocava BAIXO acústico tão baixo, que ninguém ouvia”) da Jovem Guarda e, depois,
do Sambalanço (ou simultaneamente??). Figuraça: Paulo Silvino, filho de pai artista,
fará 78 anos em julho próximo (nasceu em 27-07-1939). E segue um piadista infatigável. Em JOVEM AOS 50, ele faz piada o tempo todo.

* DO OUTRO LADO
DO ATLÂNTICO
filme Daniele Ellery e Márcio Câmara

Exibições
DO OUTRO
LADO DO ATLÂNTICO
EM SP, RIO E SALVADOR

Oi, Rô! Tudo bem? Escrevo para pedir divulgação para o nosso
filme, pois vamos fazer várias exibições agora com a
Taturana Filmes fazendo a mobilização social.
Estaremos em São Paulo, dia 30 de março,
Salvador, dia 07 de abril, e Rio de
Janeiro, dia 12 de abril.

Um beijo!!! Ellery & Márcio

Segue programação:

Do Outro Lado do Atlântico,

longa-metragem de Daniele Ellery e Márcio

Câmara, uma produção Deberton Entretenimento

e Euphemia produções, entra em cartaz em várias

cidades do Brasil, com distribuição da

Taturana Mobilização Social.

Chega aos cinemas em 30 de março, com

sessões especiais seguidas de bate-papo com

os diretores e convidados em

SÃO PAULO, SALVADOR e RIO DE JANEIRO.

Fique atento à programação

SÃO PAULO – 30/03, às 19h30
Estreia especial aberta e gratuita

no Centro Cultural São Paulo!
Sessão seguida de bate-papo com os diretores do filme Daniele Ellery e Márcio Câmara, e os convidados Marcio Farias (Nepafro – Núcleo de Pesquisa e Estudos Afro-Americanos)
Fernanda Pascoal (África do Coração) e
Rogério Ba-Senga (jornalista moçambicano radicado no Brasil, e professor universitário).
Confirme presença no evento:

https://www.facebook.com/events/1259426734178559/

SALVADOR – 07/04, às 19h
Estreia especial meia-entrada para

todos na Sala de Arte – Cinema do Museu Geológico da Bahia.
Sessão seguida de bate-papo e coquetel com diretores do filme Daniele Ellery e Márcio Câmara, e Fábio Baqueiro Figueiredo (professor da Unilab) e Delcia Janine Sequeira (professora da Faculdade UNIME e personagem do filme).

RIO DE JANEIRO – 12/04, às 19h
Estreia especial aberta e gratuita no Centro

Afro Carioca de Cinema Zózimo Bulbul
Sessão seguida de bate-papo com os diretores

do filme Daniele Ellery e Márcio Câmara, e convidados.

**
SINOPSE
Estudantes africanos de língua oficial portuguesa que estudam ou estudaram em universidades brasileiras contam histórias de partidas, permanências e regressos, encontros e desencontros de ideias, espaços, desejos e sonhos.

FICHA TÉCNICA
Documentário | Brasil | 90′ | Euphemia Produções | Class. Livre

DIREÇÃO E ROTEIRO – Daniele Ellery e Márcio Câmara
PRODUÇÃO – Allan Deberton
PESQUISA – Daniele Ellery
FOTOGRAFIA – Daniel Donato e Roberto Iuri
SOM DIRETO – Márcio Câmara
MONTAGEM – Joana Collier
MIXAGEM – Alexandre Jardim
COLOR E DCP – Glauco Guigon
IDENTIDADE VISUAL – Simon Fernandes e Miligrama Design

DISTRIBUIÇÃO E MOBILIZAÇÃO – Taturana Mobilização Social

Daniele Ellery

Antropóloga e Realizadora Audiovisual
Pesquisadora DCR
UNILAB – Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-Brasileira
Instituto de Humanidades e Letras
(55 21) 982249677 (55 85) 996035572
ellerymourao@gmail.com
Skype: ellerydani

******CCBB-SP:

1ª Mostra de
Cinema Egípcio
Contemporâneo
Especial Mohamed Khan

O diretor egípcio Mohamed Khan, falecido em julho/2016 aos 73 anos, é praticamente desconhecido por aqui, embora bastante respeitado no Oriente Médio. No ocidente o nome mais conhecido do cinema egípcio é Youssef Chahine (O Destino, 1997), falecido em 2008. Khan formou-se em cinema na Inglaterra, onde atuou como assistente de direção e trabalhou também no Líbano. Seus filmes têm influência do neorrealismo e quase sempre a mulher como protagonista e se caracterizam também pelo uso constante do close-up. Um de seus mais famosos filmes, “El Harrif’ (The Street Player, 1983), não foi incluído na mostra.

A Esposa de um Homem Importante – thriller com Mervat Amin, uma das estrelas do cinema egípcio. Foi incluído pelo festival de Dubai 2013, no livro “Cinema of Passion”, como um dos 100 maiores filmes árabes. Selecionado para o festival de Moscou, ganhou o Prêmio de Prata no Festival de Cinema de Damasco.
Sonhos de Hind e Camilia – drama com Ahmed Zaki, um dos astros do cinema egípcio, que aborda a dificuldade de emancipação feminina na sociedade egípcia. Foi também incluído entre os 100 maiores filmes árabes no livro “Cinema of Passion”,. Ganhou o Prêmio de Bronze no festival de Valência, de melhor filme pelo Centro de Cinema Católico em Cairo,
Dias de Sadat – cinebiografia de Anwar Al Sadat, ex-presidente do Egito (1970-1981), com elogiada atuação de Ahmad Zaki (que já tinha interpretado o também ex-presidente Nasser no cinema) no papel-título, foi grande sucesso de público
Menina da Fábrica – penúltimo filme do diretor, o drama contemporâneo que mostra que, apesar de toda a evolução, a liberdade de escolha é algo difícil para a mulher na sociedade egípcia. Ganhou dois prêmios no Festival de Cairo (melhor diretor e atriz, Yasmin Raeis) e Prêmio da crítica em Dubai.
Cavaleiro da Cidade – exibido no festival de Valência e no festival de cinema árabe em Paris 1992
Saiu e Não Voltou – comédia que segundo li, é agradável de se assistir, ganhou o Prêmio de Prata no Festival de Cartagena
A Volta do Cidadão – drama selecionado para a competição do festival de Cannes
Klifety – o primeiro filme profissional produzido no Egito com tecnologia digital, sobre homem que vive de expedientes como venda ilegal de bebidas e roubos.

1ª Mostra de Cinema Egípcio Contemporâneo
Especial Mohamed Khan (1942 – 2016)
29.03 a 10.04/2017
Ingresso: Inteira R$ 10 | Meia R$ 5
A mostra apresenta ao público um dos maiores cineastas egípcios, aclamado pela crítica cinematográfica mundial. Defensor das causas femininas, combatente dos males sociais e famoso pela direção de filmes polêmicos, Khan expôs ao mundo uma sociedade egípcia pouco conhecida.

Anúncios