OSCAR 2017 — MUITO BOA E POLITIZADA NA MEDIDA CERTA A MATÉRIA DE ANDRÉ MIRANDA, SOBRE O OSCAR, NA CAPA DO SEGUNDO CADERNO, DE O GLOBO. ***NA FOLHA DE SP, TEXTO DE OTAVIO FRIAS, SOBRE “JOAQUIM”, E MEMÓRIAS DO FRANCISCO RAMALHO SOBRE CORAÇÕES ILUMINADOS, DE BABENCO. ****NO ESTADAO, MAGNIFICA CRÔNICA DE UGO GIORGETTI SOBRE O JOGO CENTENÁRIO ENTRE CORINTHIANS E PALMEIRAS. *** INCRÍVEL O FASCÍNIO ATEMPORAL DO LIVRO “MINHA VIDA DE MENINA” DE HELENA MORLEY, QUE VIROU FILME DE HELENA SOLBERG, ANOS ATRÁS: SUA EDICAO DE BOLSO, QUE ACABA DE SAIR, ESTÁ EM TODAS AS LISTAS DE MAIS VENDIDOS. **** DJAMILA RIBEIRO, QUE INTEGROU A EQUIPE DO EX-PREFEITO HADDAD, COMANDA PROGRAMA DE ENTREVISTAS COM FOCO BLACK NO CANAL FUTURA. ÀS SEGUNDAS-FEIRA, 22h15.*****O CINEASTA LUIS OSPINA É UM DOS ENTREVISTADOS DE ERIC NEPOMUCENO
NESTA NOVA TEMPORADA DE “SANGUE LATINO”. ONTEM, “MOONLIGTH” TRIUNFOU NA FESTA DO SPIRIT AWARD, PREMIO DESTINADO A FILMES INDEPENDENTES (sempre com custos abaixo de 20 milhões de dólares////Moonlight custou somente 1,5 milhao). Isabelle Huppert, por ELLE, foi eleita a melhor atriz (ELLE VENCEU O CESAR FRANCÊS). O brasileiro RODRIGO TEIXEIRA subiu ao palco, em Los Angeles, com a equipe de A BRUXA, horror de ēpoca, que ganhou o SPIRIT AWARD de melhor filme de diretor estreante (e melhor roteiro de estreante). O melhor documentário foi o excelente O.J. MADE IN AMERICA, tema de materia, hoje, na editoria de ESPORTE, em O GLOBO. Vi todos os longas documentais que disputam o Oscar. Nenhum tão poderoso quando O.J. ******NO Estadao, SERGIO AUGUSTO escreve sobre EU NAO SOU SEU NEGRO….

Enviado via iPad de Rô Caetano

Anúncios