BILHETERIAS BRASILEIRAS + NELSON PAULISTANO

BILHETERIAS BRASILEIRAS + NELSON PAULISTANO + FEST GUADALAJARA 2017 (FICG): 10 a 17 DE MARÇO

***BILHETERIAS
BRASILEIRAS:
Fonte: Boletim Filme B
Editor: Paulo Sérgio Almeida
Data: 10-01-2017
Assinaturas: filmeb

PRE-ESTREIA:

Eu Fico Loko………………………………………….1.182

CONTINUAÇÕES:

Minha Mãe é Uma Peça 2………………………………5.081.271
O Vendedor de Sonhos…………………………………….665.529
ELIS………………………………………………………………….549.186
AQUARIUS………………………………………………………358.303
Masha e o Urso………………………………………………….345.608
Muleque Té Doido (Maranhão)…………………………..61.000
BR716……………………………………………………………………9.286
O Amor no Divã…………………………………………………..4.629
Teresinha (de Lisieux)………………………………………….1.127

***ESTRANGEIROS:

Invasão Zumbi…………………………………..368.569 (Coreia do Sul)
NERUDA…………………………………………….39.713 (Chile)
EU, DANIEL BLAKE……………………………15.493 (estreia) – Inglaterra
O Que Está por Vir……………………………….14.858 (França)
O APARTAMENTO……………………………..10.147 (Irã)
7 Minutos Depois da Meia-Noite…………..6.609 (EUA-Espanha)

**** DEZ MILHÕES???? — O sucesso de “Minha Mãe é Uma Peça 2” é avassalador. Num rompante de entusiasmo, Márcio Fracaroli, da Paris Filmes, que distribui o longa em parceria com a Downtown de Bruno Wainer, já fala em ……10 milhões de ingressos. E por que? Porque em sua terceira semana em cartaz, o filme teve (ao invés de queda) aumento de 47% de público. Continua em cartaz em 1.065 salas e sua média, que começou na semana natalina com apenas 593 espectadores por cópia, subiu para 953. Fui ver o filme na sua semana de estreia, no Cinemark Praiamar em Santos, sessão vespertina. A sala estava quase cheia. E o público adorou, riu, participou, dialogou com o filme. Percebi, então, que o boca-a-boca seria contagiante. PAULO GUSTAVO, que o Boletim FILME B define como a figura mais poderosa do cinema brasileiro neste momento (pois decide tudo em seus filmes, dá a palavra final), sabe administrar sua carreira. Os mais de 4 milhões de ingressos de “Minha Mãe 1” não o levaram, no afogadilho, a fazer o dois. Ao contrário: ele amadureceu o roteiro, filmou também em São Paulo, o maior mercado do país (são hilárias as sequências no Mercado Municipal e na badala paulistana), educou sua voz (irritante no primeiro filme), convocou mais e bons atores para a empreitada, etc, etc. Este rapaz tem cabeça.
Cerca-se de pessoas inteligentes. Pouco sei dele, pois não assisto a seus programas
na TV (nunca sintonizei o Multishow). Mas pelas bordas, e pelo cinema e
jornais, vou percendo que ele mantém sua equipe direta (ou indireta) colaborardores
(roteiristas, em especial) cultos, poliglotas. Em Gramado, no dia do debate de “Tamo Junto”, de Matheus Souza, fiquei impressionada com as respostas serenas e cultas do ator LEANDRO SOARES, um dos protagonistas do filme. Ele contou que era roteirista do programa “Vai Que Cola” (é este nome?), que traduz Shakespeare e outros clássicos do teatro, que fala 7 línguas, etc… Dia destes, creio que na coluna Gente Boa, em
O Globo, li que o professor FIL BRAZ, de Niterói, formado em Letras (creio que
na UFF) deixou o magistério para dedicar-se a roteiros de cinema e TV. Que
escreveu “Tô Ryca” (uma comédia acima da média brasileira) e ajudou a
roteirizar “Minha Mãe é Uma Peça 2″…

***ELIS, PRE-VENDAS EM DVD — O público de ELIS não chegará ao
sonhado milhão. Está em 550 mil. Subiu, neste começo de ano, 34% (com média de 259 espectadores/cópia), mas está em apenas 20 salas. Então, não deve chegar nem a 600 mil. Mas, convenhamos, foi um bom desempenho. E o filme já está em pre-venda, em DVD.

*******KEN LOACH – A turma da Imovisión, de Bernardiní, está que não se aguenta.
O sucesso de EU, DANIEL BLAKE, de Loach, no circuito de arte, é significativo.
Em quatro dia, o filme vendeu 15.493 ingressos. E a distribuidora colheu
depoimentos entusiasmados do público…

*******MOSTRA DE CINEMA
INDIANO, NO RIO
O cinema do maior país do mundo (sim, passou a China em população)
visto por outros prismas, que não os exuberantes musicais dançantes de BOLLYWOOD, está em cartaz no Rio. Por falar em Bollywood (e já que estou com a Roliúde Nordestina na cabeça), pergunto: como vai a Nollywood (indústria audiovisual da Nigéria)????
O destaque na mostra CINEMA DA INDIA (no Rio) é, segundo os curadores,
NAVIO DE TESEU, de Anad Ghandi, vencedor do Prêmio Indian National Awards

*******EM FEVEREIRO: RETROSPECTIVA
NELSON PEREIRA DOS SANTOS
Em São Paulo, no Cine Caixa Belas Artes.
Dia destes, revendo materiais sobre a obra do cineasta paulistano-carioca (e brasiliense!) e me preparando (para moderar debate com Nelson e para rever “A Música Segundo Tom Jobim”, para mim o maior documentário musical do país e um dos três MAIS+MAIS de nossa cinematografia documental) uma questão me agarrou: por que São Paulo não foi filamda por um de seus filhos mais ilustres? OK, Nelson partiu para o Rio aos 23/24 anos. Mas ele cresceu no Brás, fez primário, ginásio, colegial e universidade em Sampa (na castroalvina Faculdade de Direito do Largo de S. Francisco). Ou seja, chegou ao Rio (e passou por Brasília, como professor da UnB de Paulo Emilio) já homem feito, cabeça feita. Creio que “Estrada da Vida” (com Milionário e Zé Rico) tem a ver com São Paulo (há outros filmes do diretor em que a cidade apareça??????). Na minha lembrança, Nelson filmou o Rio (a trilogia “Rio 40 Graus”, Rio Zona Norte e El Justicero-Rio Zona Sul), a Baixada Fluminense (Amuleto de Ogum), Paraty (a trilogia neo-barroca dos anos loucos), Brasília (Fala Brasília, Terceira Margem do Rio (também em Paracatu), Brasília 18%: confesso, aqui, este é o único filme de NPS de que não gosto de jeito nenhum, ele não me acrescenta nada!!!), o Nordeste claro (no magnífico VIDAS SECAS, junto com A Música Segundo Tom, parceria com Dora Jobim, os dois momentos mais luminosos da carreira de Nelson), a Bahia (Tenda dos Milagres, Jubiabá), etc, etc. Nelson sonhou fazer um grande filme em São Paulo: “Guerra e Liberdade (Castro Alves em São Paulo)”. Consumiu muitos anos em pesquisas, roteiro, estudo de locações, etc, mas não conseguiu apoio do empresariado PAULISTA. Agora, vai filmar DOM PEDRO II (a partir, creio, de biografia escrita por José Murilo de Carvalho). Mais um projeto fluminense. São Paulo, convenhamos, deve um filme a seu ilustre filho criado no Brás, não??? Vamos debater este, entre muitos assuntos, com Nelson, dia 9 de fevereiro, no Cine Caixa Belas Artes. Estão todos convidados.

****”JOAQUIM”, DE MARCELO GOMES,
DISPUTA O URSO DE OURO EM BERLIM.

O novo filme do autor de “Cinema, Aspirinas e Urubus” nasceu de projeto de série sobre herois latino-americanos, da TeleSur, emissora venezuelana, apoiada pela Argentina, Uruguai, etc. Deste projeto fizeram partes vários filmes, um deles, ARTIGAS, LA REDOTA, de Cesar Charlone. O projeto brasileiro (sobre Tiradentes) foi feito já fora da série da TeleSur, como Marcelo explica hoje em matérias nos jornais.

*****NEM SÓ DE
OSCAR VIVE O CINEMA:

Prêmios Goya (Espanha): dia 4 de fevereiro
Prêmios Bafta (Reino Unido): 12 de fevereiro
Prêmios Cesar (França)…………………………………
Prêmios Donatello (Itália)……………………………

******GUADALAJARA
FICG — 10 A 17 DE MARÇO

Festival Internacional de Cine en Guadalajara – FICG32
da a conocer las películas mexicanas de ficción en
Competencia Oficial seleccionadas hasta el momento.
DIA 16 de JANEIRO, LISTA COMPLETA

http://www.ficg.mx/32/index.php/es/noticias/899-ficg32-da-a-conocer-las-peliculas-mexicanas-de-ficcion-en-competencia-oficial-seleccionadas-hasta-el-momento

Anúncios