*******FEST ARUANDA 2016 — HOJE, NOVE DE DEZEMBRO, REALIZAMOS NO XI FESTIVAL ARUANDA DO AUDIOVISUAL BRASILEIRO, debate em homenagem aos 80 anos de WILLS LEAL, pesquisador, escritor, gestor cultural e de turismo (dirigiu a PBTur), celibatário por convicção, cineclubista, documentarista e criador do projeto da ROLIUDE NORDESTINA.

Na mesa de debates, os professores da Universidade Federal da Paraíba, MIRABEAU DIAS, de branco, e FERNANDO TREVAS FALCONE, de salmão. Me coube moderar o debate, que contou com muitas perguntas do público. E respostas hilariantes de Wills. No final, duas surpresas. Depois que WILLS LEAL falou de seu parentesco com o teledramaturgo paraibano, PERICLES LEAL (1930-1999), com carreira longeva na TV Tupi e TV Globo — eles são primos e trabalharam juntos no projeto MISS BRASIL dos Diários Associados, e MISS Paraíba) — Mirabeau registrou que saiu de sua coleção de seis mil gibis e discos com episódios de, entre outros, O FALCAO NEGRO, criação juvenil de PERICLES, todas as imagens que ilustram o material gráfico da edição 2016 do FEST ARUANDA. E ainda colocou um trecho de três minutos do heróico FALCÃO, para que ouvíssemos. E, surpresa final, me presenteou um um exemplar da revista CENA MUDA, de 1936, número 820). Contou que “cortava na própria carne de colecionador”, mas entendia que que a revista ficaria melhor em minhas mãos. E que ele agradecia meu interesse pelo cinema e festival paraibanos. MIRABEAU, que é físico de formação, já realizou dois documentários sobre WILLIS LEAL. O primeiro, um longa-metragem, chama-se MUITO ALÉM DO ATONALISMO E DA IMORTALIDADE — e o segundo, que faz parte da programação deste XI FEST ARUANDA, chama-se WILLS LEAL, MAIS QUE OITENTA – LA DOLCE VITA” e dura 40 minutos.

Enviado do Ipad de Rosário

Anúncios