FEST ARUANDA 2016 — ANO 11 — O cineasta baiano CHICO KERTÉSZ apresentou, na noite de abertura do Festival Aruanda do Audiovisual Brasileiro, em Jampa, na Paraíba, seu documentário

AXE, CANTO DO POVO DE UM LUGAR, que será lançado nos cinemas por Adhemar Oliveira. O filme foi muito bem recebido pelo público, em especial pelos jovens apaixonados pelo carnaval da Bahia. NO final da sessão, muitos dançavam. NA manhã de hoje, o filme seria tema de debate com o realizador. Porém, ele teve que regressar a Salvador, por compromissos já assumidos. Mesmo assim, houve movimentado debate com o crítico musical JAMARRI NOGUEIRA, do Correio da Paraíba. Jamarri confessou não ser admirador de axé music, mas ter gostado do filme, “um documentário muito informativo e com uma pegada didática”. Foram apontados grandes momentos no filme: o depoimento desbocado de Gerônimo, a sequência do Olodum que culmina com as visitas de Paul Simon, depois de Spike Lee e Michael Jackson, os shows de Daniela Mercury no Vão Livre do Masp e no Parque do Ibirapuera… Mas muitos lamentaram o longo e nobre espaço dado a Daniela e a Ivete Sangalo (e até a Claudia Leite) e a pouca atenção dada a MARGARETE MENEZES e outras estrelas negras. E a longa duração do filme: 110 minutos. Também a falta de vozes dissonantes na narrativa, pois até o corrosivo Hagamenon Brito, crítico musical baiano, deu uma de morcego: picou, mas depois abanou.

Enviado do Ipad de Rosário

Anúncios