****PREMIO FENIX 2016 — O grande vencedor da terceira edição do prêmio FENIX, entregue na noite de ontem, 07-12-2016, foi o longa chileno NERUDA, de Pablo Larraín: melhor ficção, edição, figurino e direção de arte. O filme estreia semana que vem no Brasil e tem o chileno Luis Gnecco na pele do poeta, e Prêmio Nobel, e Gael García Bernal como seu antagonista, um policial obcecado em prender NERUDA. ****O BRASIL foi o segundo país mais premiado da noite. Kleber Mendonça foi eleito o melhor diretor por AQUARIUS e Sonia Braga a melhor atriz. Creio que Kleber ganhou também o FENIX de melhor roteiro (vou conferir). Outro filme pernambucano, BOI NEON, de Gabriel Mascaro, ganhou o FENIX de melhor fotografia. O melhor ator foi o argentino Guillermo Francella, por O CLÃ, de Pablo Trapero. O melhor documentário foi o mexicano TEMPESTAT, que conquistou ainda trofeus FENIX de melhor fotografia e de música original. O homenageado do ano foi o cineasta chileno-mexicano Alejandro Jodorowski. *****A delegação brasileira contou com a presença de SONIA BRAGA, Kleber Mendonça, Gabriel Mascaro e ERYK ROCHA (que concorreu ao FENIX de melhor documentário com CINEMA NOVO). O exibidor ADHEMAR OLIVEIRA participou, como palestrante, da SEMANA FENIX, a convite do ImCine, o Instituto Mexicano de Cinema, presidido pelo produtor (Amaranta Filmes) e diplomata (foi cônsul do México no RIo de Janeiro) JORGE SANCHEZ. O tema que mais repercutiu na SEMANA FENIX foi o que debateu SERIES DE TV. Ótima matéria no jornal madrilenho EL PAÍS mostra que a ficção televisiva hispano-mexicana está conseguindo ir além da NARCOFICCIÓN. Ou seja de narrativas sobre narcotraficantes. …. AGUARDEM MAIS FOTOS E NOTAS SOBRE O FENIX III.

Enviado do Ipad de Rosário

Anúncios