FEST GRAMADO, MOSTRA LATINA, MULHER DO PAI, NOHER, TRONCOSO,
PERROTA, LEYNAR GÓMEZ E EMILIO BARRETO

+ FEST GRAMADO LATINO:

JEAN-PIERRE NOHER, CESAR TRONCOSO, KIKITO DE CRISTAL
+ LEYNAR GÓMEZ + VERÓNICA
PERROTA E EMILIO BARRETO.
Assistindo com Zanin, domingo passado, em Santos, a
alguns (só os dois primeiros) capítulos da segunda temporada de NARCOS —- (não sou chegada em séries, mas para ver Wagner Moura, grande ator e grande cidadão, altero minha rotina!!!) —- vi um rapaz com cara bem hispano-americana e com um cabelo assemelhado aos de Chitãozinho & Chororó, décadas atrás. Na hora, falei com Zanin:
mas este rapaz esteve no Festival de Gramado, uns dois anos atrás. Falei com ele e até tirei fotos dele. Ele é costarriquenho e estava num filme ambientado num presídio. *********************Esperei acabar o segundo capítulo para conferir o nome do ator que interpreta o personagem LIMÓN, motorista de Pablo Escobar na série comandada pelo brasileiro José Padilha: o “tico” LEYNAR GÓMEZ (“tico”, se entendi bem, é o jeito carinhoso de se chamar os nascidos na Costa Rica). Aí, abri meu i-pad e localizei as fotos do ator de PRESOS, o representante “tico” na Mostra Latina de Gramado. A semelhança era imensa, apesar da composição do motorista ter lá suas diferenças com a do prisioneiro do thriller social costarriquenho, um estouro de bilheteria em seu país. Um “tanque” (como dizem os argentinos). Fui conferir os nomes dos dois intérpretes: bateu (Leynar Gómez). ********Nas matérias (confiram na internet), ele aparece junto com Wagner Moura e é apresentado como um jovem ator “tico”, que ganharia destaque no decorrer dos capítulos seguintes (que ainda não vi, mas verei), pois estava se saindo muito bem. ***********************EM GRAMADO, LEYNAR disse, já no finalzinho do debate — quando os jornalistas perguntam se o diretor ou o ator tem algum projeto engatilhado — que fora sondado para atuar em NARCOS, mas que nada estava assegurado e ele não poderia, portanto, adiantar nada. Pois deu tudo certo e ele brilhou (junto com Wagner Moura) na segunda temporada. ***************E aproveito a hora para dizer que ando muito feliz com a Mostra Latina de Gramado e com o KIKITO DE CRISTAL. O festival gaúcho, sem deixar de prestigiar o cinema brasileiro (que tem sua mostra própria e em horário nobre) vem envidando todos os esforços para aproximar a América HISPÂNICA de nossa América LUSITANA. Foi Gramado que serviu de plataforma (e vitrine) para o lançamento de dois atores — o argentino JEAN-PIERRE NOHER (Um Amor de Borges) e o uruguaio CESAR TRONCOSO (O Banheiro do Papa) — em nosso mercado. Hoje, os dois são presenças frequentes em nossos filmes e telenovelas. Noher até apresenta o CINE SUR, no Canal BRASIL. Além deles, devemos a Gramado o prazer de ter conhecido dois atores fascinantes: a uruguaia VERÓNICA PERROTA (atriz e co-diretora de “Las Toninas van al Este”) e o paraguaio EMILIO BARRETO. VERONICA foi escolhida a melhor atriz da Mostra Latina por seu trabalho (maravilhoso) em LAS TONINAS… E agora foi eleita a melhor atriz coadjuvante no Festival do Rio, por seu trabalho no filme gaúcho MULHER DO PAI, da estreante, no longa-metragem, Cristiane Oliveira. Só
falta agora um cineasta ou um diretor de TV escalar o maravilhoso EMILIO “Guarany” BARRETO para um filme ou uma telenovela. Ele ganhou o trofeu KIKITO de melhor ator pelo longa paraguaio-argentino GUARANY e a todos encantou com seu talento e poder discursivo. Articulado, politizado, inteligente, agradeceu ao diretor do filme, a
um dramaturgo que o ajudou e, em especial, a AUGUSTO BOAL. Afinal, o dramaturgo brasileiro, com seu TEATRO DO OPRIMIDO, ajudou EMILIO a enfrentar com os recursos da “arte teatral” os anos em que foi encarcerado como preso político. E além de premiar estes grandes atores, Gramado vem prestando tributo a grandes nomes do cinema latino-americano, como — entre outros — Fernando Solanas, Juan José Campanella e, finalmente, a primeira mulher, a almodovarina CECILIA “Tudo Sobre Minha Mãe” ROTH. Longa vida para a MOSTRA LATINA! ******** P.S. — Ao apresentar
seu filme MULHER DO PAI, no FEST DO RIO, Cristiane Oliveira (que, me
disseram, estava rouca) deu a palavra a uma de suas atrizes que leu texto no
qual a cineasta defendia, com paixão, a parceria da ANCINE com países
hispano-americanos. Foi a Parceria BRASIL-URUGUAI que transformou
seu primeiro longa em realidade!!!!

Anúncios