FEST BRASILIA 2016 – ANO 49 — Nesta colagem, a jovem cineasta FLORA EGÉCIA (com estampas sobre fundo amarelo) e equipe. Ela é diretora do curta DAS RAÍZES ÀS PONTAS, sobre cabelos crespos e auto-estima. Não vi o filme, na MOSTRA BRASILIA. Mas quero ver. Em breve farei um resumo de importante debate sobre CINEMA BLACK + CINEMA INDÍGENA, que a Fundação Ford e a Secretaria de Cultura do DF promoveram durante o FEST BRASILIA. Tomara que neste 20 DE NOVEMBRO, São Paulo e várias capitais brasileiras promovam mostra de filmes e debates com estas novas realizadoras (e realizadores) BLACK. Com Jeferson De no comando, pois o diretor de BRODER é um excelente mestre de cerimônia.

Enviado via iPad de Rô Caetano

Anúncios