GERARD DEPARDIEU NA RESERVA CULTURAL DE NITEROI (Foto Rô Caetano) + FEST BRASILIA 2016 + LUA EM SAGITÁRIO (MST) + BREVES RECOMENDAÇÕES DE LEITURA

+ GÉRARD DEPARDIEU NA RESERVA
CULTURAL DE NITEROI – CAMINHO NIEMEYER

+ FEST BRASILIA 2O16
“CINEMA NOVO”, DE ERYK ROCHA, E “IMPROVÁVEL ENCONTRO” – FARKAS & ZÉ MEDEIROS”, DE LAURO ESCOREL, ABREM EDIÇÃO 49

+ FEST IN EDIT PREMIA
FILME DE BETH FORMAGGINI

+ ENTREVISTA DE MARCIO
POCHMANN À CARTA CAPITAL 919

+ MIDIA: VENICIO A. DE LIMA:
Neoliberalismo, Mídia e Democracia

***LEITURA OBRIGATORIA:
COLUNA DE MARCOS NOBRE (VALOR
ECONÔMICO – SEGUNDA-FEIRA: 19-09-16)

+ FEST DO RIO 2016 + AQUARIUS

+ FEST INDIE NO
CINESESC + BIFF + MOSTRA

MULHER NO CCBB

***ATOR GÉRARD
DEPARDIEU
VISITA A RESERVA
CULTURAL DE NITERÓI
PARA APRESENTAR “O VALE DO AMOR”,
UM DE SEUS TRABALHOS MAIS RECENTES
(ELE JÁ ATUOU EM MAIS DE CEM FILMES)

NITEROI-DOMINGO (18-09-2016) – O ator Gérard Depardieu, de 67 anos, chega ao complexo cinematográfico RESERVA CULTURAL, plantado no CAMINHO DE NIEMAYER, em Niterói, para apresentar um de seus 140 filmes, O VALE DO AMOR, de Guillaume Nicloux. Neste filme, ele volta a trabalhar ao lado de Isabelle Huppert. A Reserva niteroiense compõe-se com cinco salas de cinema e um bar (no primeiro andar), complementado com imenso terraço e bela vista. No térreo, amplo pátio e um
conjunto de livraria (Blooks, de Elisa Ventura), bistrô (Bistrô Reserva), restaurantes
e uma loja de brinquedos, que organiza piqueniques para crianças, aos domingos,
no amplo gramado do complexo. A obra é uma criação de Oscar Niemeyer e integra o Caminho de Niemeyer, que compõe-se com o MAC (Museu de Arte Contemporânea), em Icaraí; com o Teatro Popular, o Memorial Roberto da Silveira e outra edificação (nas Barcas, com a Ponte Rio-Niteroi ao fundo) e com os cinemas+livraria+bistrô +loja-brinquedoteca+restaurantes (no bairro São Doningos). As três criações de Niemeyer não ficam juntas, mas espaçadas, ao longo da orla, num percurso de alguns km. De visita obrigatória.
P.S. – Hoje, a Folha de S. Paulo publica tocante obituário de Donald Ranvaud, o produtor italiano & inglês que tanto amava o Brasil e o cinema latino-americano (participou do movimento Buena Onda). E dia destes, a mesma Folha publicou o obituário de Brasília, a primeira criança a nascer na nova cidade/novacap. Ela morreu semana passada, aos 56 anos. Gioconda Caputo tem imagens dela registradas em película.

AMIGOS:
Mal cheguei de Rio-Niteroi e fui ver os filmes “Lua em Sagitário”, da catarinense Márcia Paraíso (um road movie simpático, ambientado no interior de Santa Catarina, com cenas em acampamento do MST, mas com recorte juvenil, tipo comédia romântica), “Desculpe o Transtorno” (uma ótima ideia, com um ator incrível, Gregório Duvivier, que poderia ter rendido mais) e “Viva a França!”, um drama de guerra com uma história impressionante (fuga de populações civis em tempo de guerra), mas contada com excesso de academicismo. Cheguei em casa à noite e fui ver mais um capítulo de JUSTIÇA. Daqui a pouco sigo para Fest Brasília Ano 49. Vida corrida.

**** Festival de Brasília.
Matéria de Luiz Zanin
Portal Estadão

http://cultura.estadao.com.br/noticias/cinema,em-sua-49-edicao-festival-de-cinema-de-brasilia-tenta-novos-rumos,10000076996

**** MOSTRA MULHERES EM
CENA REUNE FILMES (+ SEMINARIOS
E DEBATES) DE REALIZADORAS
LATINO-AMERICANAS, NO CCBB-SP
De 21 de setembro e dez de outubro.
Presenças hispano-americanas confirmadas: Lucrécia Martel, Mariana Rondón, Claudia Llosa, Paz Encina e Marialy Rivas que
se somarão às brasileiras Anna Muylaert, Tata Amaral, Lúcia Murat, Lais Bodanzky, entre outras.
+ FESTIVAL DE BRASILIA
DO CINEMA BRASILEIRO:
DATA: de 20 a 27 de SETEMBRO

LOCAL: no niemárico e
belo Cine Brasília.
Consulte o site:
www.festbrasilia.com.br

*******Na noite inaugural: “Cinema Novo”, de Eryk Rocha,
e curta de Lauro Escorel sobre Farkas e Zé Medeiros (“Improvável Encontro”). No encerramento, “Baile Perfumado” (vinte anos depois do triunfo no Fest Brasília 1996)

*** São esperados muitos protestos da mais politizada plateia
dos festivais brasileiros. Quem não se lembra da vaia a Claudia Raia, a (ex)musa collorida do início dos anos 1990???

**Festival terá competição de curtas, debates, seminários, mostras paralelas e a Mostra Câmara Legislativa do DF, que premiará os melhores filmes de Brasília.

**Nove longas na competição do mais antigo Festival do país (criado em 1965 por Paulo Emilio Salles Gomes e equipe). Ano
que vem festival candango realiza sua edição número 50:

. Vinte Anos, de Alice de Andrade (Brasil-Cuba)
. A Cidade Onde Envelheço, de Marília Rocha (MG)
. Martírio, Vincent Carelli (PE)
. Deserto, de Guilherme Weber (RJ)
. Malícia, de Jimi Figueiredo (DF)
. Rifle, de David Preto (RS)
. O Último Trago, de Luiz Pretti e Pedro Diógenes (CE)
. Antes o Tempo Não Acabava, Sérgio Andrade/Fabio Baldo (AM)
. Elon Não Acredita na Morte, de Ricardo Alves Jr (MG)

**** In-Edit Brasil 2016:

Resultado Júri e Voto Popular

Vence o longa de Beth Formaggini:

“Xingu Cariri Caruaru Carioca”, no qual o músico Carlos Malta empreende viagem musical que passa pelo Xingu, Caruaru e pelo Cariri, chegando ao Rio Carioca.

***GRANDE PREMIO
DO CINEMA BRASILEIRO
Dia 4 de outubro, no Rio
(no Teatro Municipal)
“Que Horas Ela Volta?”, de Anna Muylaert, é
o recordista de indicações: 14 categorias.
Com transmissão ao vivo pelo Canal Brasil

**100 MELHORES FILMES

BRASILEIROS (LIVRO & MOSTRA
NO CANAL BRASIL)
Toda segunda e terça-feira, ao longo de dez semanas.
Horário: Meia-noite e 15. Com apresentação
de cada um dos 20 filmes, por Luiz Zanin Oricchio.

*****AGUARDEM:
A PASSAGEIRA (“Magallanes”),
longa de estreia, como diretor, do ator Salvador del Solar, o Pantaleão de “Pantaleão e as Visitadoras” (Francisco Lombardi, 2000). Filme com Damián Alcázar (grande ator mexicano) e Magaly Solier (de A Teta Assustada). Um ótimo filme, finalista ao Prêmio Platino de “opera prima” (filme de diretor estreante).

********************************

ALMANAQUE DE SETEMBRO
QUARTA-FEIRA (14-09-2016)

+ PREMIO ALMANAQUE

+ FEST BRASILIA COMEÇA NA PRÓXIMA
TERÇA-FEIRA, 20 DE SETEMBRO, COM
“CINEMA NOVO” & FARKAS-ZÉ MEDEIROS

+ “LEITE DERRAMADO”, DE CHICO BUARQUE, NA
MIRADA IBERO-AMERICANA DE ARTES CÊNICAS
(SANTOS/ BAIXADA SANTISTA)

+ ANCELMO GOIS REVELA
EM SUA COLUNA
QUEM VOTOU A FAVOR
E QUEM VOTOU
CONTRA “AQUARIUS”
(NA DISPUTA
DE VAGA PELO OSCAR):
A favor: Adriana Rattes, Carla
Camuratti, Silvia Rabelo e Bruno Barreto
Contra: Diplomata Firmeza (DF), Beto Rodrigues (RS), Sylvia Bahiense (SP), Marcos Petrucelli (SP) e Paulo Menelau (exibidor pernambucano preferiu o longa catarinense)

+ NO CINESESC, A
VERSÃO PAULISTA DO FESTIVAL INDIE.
Filme inaugural: o belíssimo “A Morte de Luís XIV”, protagonizado por Jean-Pierre Léaud. Direção do espanhol Albert Serra. A mostra prossegue até dia 21 (próxima quarta-feira), com retrospectiva do polonês Waleriam Borowczyk (1923-2006), diretor de “A Mulher…et la Bête”, que causou furor no Brasil, décadas atrás + clássicos do cinema (da grandeza de Hiroshima Meu
Amor, de Resnais). www.indiefestival.com.br

*****SELEÇÃO DA
PREMIERE BRASIL:
XVIII FEST DO RIO:
DE 6 A 16 DE OUTUBRO
Dos oito filmes selecionados na categoria ficção,
dois são de realizadoras e seis de realizadores.
Há quatro filmes cariocas, três paulistas e
um gaúcho-uruguaio:

1. Era o Hotel Cambridge, de Eliane Caffé (SP)
2. Mulher do Pai, de Cristiane Oliveira (RS -Uruguai)
3. O Filho Eterno, Paulo Machline (SP)
4. Vermelho Russo, Charly Braun (SP)
5. Redemoinho, José Luiz Villamarim (RJ)
6. Sob Pressão, Andrucha Waddington (RJ)
7. Fala Comigo, Felipe Sholl (RJ)
8. Comeback, Erico Rassi (SP)

***CONSULTE A LISTA
DE DVDs DO CPC UMES
Destaque: Bola de Sebo,
de Mikhail Romm (1934)

*****LEONARDO SBARAGLIA,
O ator argentino de “Plata Quemada”, “Relatos Selvagens”, “O Final do Túnel”, “Sangue na Boca” e do brasileiro “O Silêncio do Céu” passou por São Paulo e participou, no Teatro Nair Bello-Frei Caneca, de ótima conversa com jornalistas e alunos do Teatro Wolf Maia. Ele protagoniza o longa de Marco Dutra, que conquistou o Prêmio da Crítica e o Especial do Juri, em Gramado. O filme, produzido por Rodrigo Teixeira, é uma produção latino-americana, com atores argentinos (Leo Sbaraglia e …Chino Darín, que chega ao Rio para o pré-lançamento do filme), brasileiros (Carolina Dieckman e Paula Cohen) e uruguaios (Mirella Pascual, de “Whisky”, Álvaro Armand Ugón, Roberto Suárez, Dylan Cortes e Priscila Bellora).
A história, que foi filmada — e ambientada — em Montevideo constitui um denso suspense psicológico e é falada em espanhol (mas as brasileiras falam em português entre si, pois fica claro que elas vivem no país platino, mas nasceram no Brasil). O terceiro longa de Marco Dutra baseia-se em romance de Sergio Bizzo, que escreveu o roteiro em parceia com a mulher, a cinesta Lucia “XXY” Puenzo, e com o brasileiro Caetano Gotardo. O encontro no Teatro Nair Bello reuniu também Carolina Dieckman, Paula Cohen, Marco Dutra e Rodrigo Teixeira. Leo e Carol se abraçaram longamente, matando saudades das filmagens uruguaias e cantaram “Corcovado” (como fazem num flashback do filme) para
a plateia paulistana. O filme estreia no próximo dia 22.

Anúncios