************O CINEMA BRASILEIRO E O GOLPE PARLAMENTAR (OU GOLPE INSTITUCIONAL – vejam, hoje, na página três da Folha de S. Paulo, artigo de HEBE MATTOS, HISTORIADORA DA UFF) — Mais três cineastas anunciam filmes sobre o que se passa no Brasil, neste momento: o impedimento de uma presidenta, Dilma Roussef, eleita por 54 milhões de eleitores. São eles: o cineasta gaúcho Boca Migotto (que participa do Fest Gramado com dois curtas e dirigiu um longa sobre o bairro portalegrense do BONFIM), o brasiliense Adirley Queirós, diretor dos longas A CIDADE É UMA SÓ? e BRANCO SAI, PRETO FICA, e o paulista Renato Tapajós, diretor de LINHA DE MONTAGEM, o melhor de todos os documentários dedicados às GREVES DO ABC, no final dos anos 1970. Os três se somam a mais quatro equipes que realizam seus próprios longas-metragens: 1. ANNA MUYLAERT-LÔ POLITI-CESAR CHARLONE, 2. MARIA LUIZA RAMOS, 3. PETRA COSTA, 4. DOUGLAS DUARTE. E há que se lembrar que a MIDIA NINJA deve fazer seu filme, pois vem documentando tudo. ***QUANTOS FILMES estão sendo feitos com o ponto de vista dos GOLPISTAS??? O do JOSÉ PADILHA pode ser enquadrado nesta categoria?????? Quem soube, me avise, por favor. **** VEJAM NA CARTA CAPITAL a matéria O GOLPE CONTRA AQUARIUS.

Enviado do Ipad de Rosário

Anúncios