******FEST GRAMADO 2016 — ANO 44 — UM OSCARITO PARA SONIA BRAGA: (ver foto abaixo) — A estrela brasileira foi a dona absoluta da noite inaugural do FEST Gramado. Para que ela chegasse ao Palácio dos Festival envelopada num preto colado ao corpo (corpo que segue belo e esguio como nos anos de Gabriela e Dona Flor) o público tomou um chá de cadeira de 65 minutos. Mas valeu a espera, pois ela cruzou o imenso tapete vermelho distribuindo simpatia e beijinhos. Enquanto dentro do cinema escutávamos sua biografia brasileira e internacional, ilustrada com imagens de seus filmes e telenovelas — e banhadas em músicas de Caetano Veloso, Chico Buarque e Tom Jobim, todas feitas para ela e suas personagens — ela era recebida, ainda no tapete vermelho, por Rubens Ewald Filho, um dos curadores do festival. Despediu-se dele com um selinho e entrou no cinema, sob aplausos e com a plateia de pé. Antes de receber o OSCAR-ITO, ela viu, num vídeo, depoimentos do amigo Carlos Diegues, que a dirigiu em TIETA, da atriz e comadre Renata Sorrah e de CAETANO VELOSO, amigo-super-amigo, que a homenageou com canção TIGREZA. Aí entrou em cena o diretor Bruno Barreto, responsável por DONA FLOR E SEUS DOIS MARIDOS, maior sucesso da carreira da estrela (quase 11 milhões de ingressos). Coube a ele entregar a ela o OSCAR-ITO. Bruno o fez com brincadeira das mais simpáticas.
PERGUNTOU: Sônia, se Kleber e eu fôssemos seus dois maridos, qual de nós seria VADINHO?”

Anúncios