FEST GRAMADO 2016 NA REVISTA DE CINEMA — COM 13 LONGAS BRASILEIROS E LATINOS, TODOS 100% INÉDITOS, SUPERLIBRIS + PAULO EMILIO

***FEST GRAMADO 2016
NA REVISTA DE CINEMA — COM 13 LONGAS BRASILEIROS
E LATINOS, TODOS 100% INÉDITOS, GRAMADO

+ 100PAULO EMILIO

+ SUPER LIBRIS NA SESC TV

********FEST GRAMADO 2016
http://revistadecinema.uol.com.br/2016/08/festival-de-gramado-se-prepara-para-edicao-de-grande-apelo-popular/

* FESTIVAL GAUCHO APRESENTA 13 LONGAS BRASILEIROS E LATINOS 100% INEDITOS. * E HOMENAGEIA SÔNIA BRAGA, CECÍLIA ROTH, JOSÉ MOJICA
MARINS E TONI RAMOS * ENTRE OS FILMES MAIS AGUARDADOS ESTÁ “ELIS”
CINEBIOGRAFIA DA CANTORA GAÚCHA ** ENTREVISTA COM RUBENS EWALD FILHO, UM DOS CURADORES DAS COMPETIÇÕES DE LONGA-METRAGEM

Link de minha matéria
sobre o Festival de
Gramado no site da
REVISTA DE CINEMA:
http://revistadecinema.uol.com.br/2016/08/festival-de-gramado-se-prepara-para-edicao-de-grande-apelo-popular/

******SUPER LIBRIS

O escritor e cineasta Tabajara
Ruas fala (a José Roberto Torero,
como ele cineasta e escritor)
sobre a literatura regionalista.

Escritor, que é também cineasta, está na origem de
“O Dia Em que Dorival Encarou a Guarda”,
de Jorge Furtado e José Pedro Goulart.

Confira o episódio na íntegra em:

http://superlibris.sesctv.org.br/episodios/o-tiete-nao-e-mais-belo-que-o-rio-que-corre-pela-minha-aldeia
A literatura regionalista é

comentada por Tabajara Ruas no SescTV —

O escritor e cineasta conversa sobre o assunto no dia 22/8, segunda, às 21h

****Seminário 100 Paulo Emílio:
Evento acontece dias 24 e 25 de
agosto no Itaú Cultural, com entrada franca

Seminário 100 Paulo Emílio

Evento acontece dias 24 e 25 de agosto

no Itaú Cultural, com entrada franca

Da Assessoria de Imprensa

Contornando o monumento

Morto precocemente, no auge de seu prestígio intelectual como crítico de cinema e professor, Paulo Emílio ainda viria a obter amplo reconhecimento como escritor de ficção, com as inusitadas novelas de três mulheres de três pppês, publicadas num já remoto 1977.

A sua imagem então cristalizou-se como referência incontornável no campo dos estudos de cinema, do pensamento crítico sobre o país e como escritor original. Foi apropriado pela Universidade, pela política oficial cinematográfica, pela imprensa, pelas instituições; tornou-se um totem.

Sua obra, salvo a ficção, não alcançou público mais amplo; ficou sequestrada pelos especialistas, justo ele que não se considerando um especialista fugia do gueto.

Nos últimos dez anos, uma nova geração de professores e críticos debruçou-se sobre a obra de Paulo Emílio, com empenho em abordar a estátua. Os discípulos que com ele conviveram se preparam para deixar a cena e passar o bastão aos sucessores.

O espírito deste seminário, no ano do centenário de Paulo Emílio Sales Gomes, é promover o encontro do testemunho da ação do homem invulgar com a perspectiva crítica do seu legado, agora depurado pelo tempo implacável. Libertar Paulo Emílio da consagração que estiola.

Carlos Augusto Calil, curador

Anúncios