Yes, já temos o “Oscar” do cinema
ibero-americano – entrevista
de Steve Solot.

Na foto abaixo, os colombianos ANTONIO BOLIVAR E NILBIO TORRES,
DE O ABRAÇO DA SERPENTE, FILME QUE VENCEU EM
SETE DAS OITO CATEGORIAS QUE DISPUTOU.
Foto de Maria do Rosário Caetano, Punta del Este, Uruguai.

POR FALVIO DI COLA.

Amigas e amigos,

Na madrugada de domingo para segunda-feira passada (25/07) foi dado mais um passo para a consolidação daquilo que muitos acreditam ser uma iniciativa necessária à elevação do prestígio do cinema ibero-americano: a 3ª edição dos Prêmios Platino do Cinema Ibero-Americano, que – neste ano – aconteceu em Punta Del Este, no Uruguai.

Nela, o Brasil – infelizmente – não emplacou nenhuma produção entre os indicados para as 14 categorias competitivas. E o grande vencedor da noite foi o belíssimo filme colombiano “O abraço da serpente“, que levou sete das oito estatuetas Platino às quais fora nominado – inclusive a de Melhor Filme. “O abraço da serpente” já foi lançado no Brasil com excelente acolhida por parte da crítica e do público, tendo permanecido em cartaz cinco meses seguidos no Rio de Janeiro.

As causas dessa ausência do Brasil no evento que caminha para se tornar o “Oscar latino” são comentadas por Steve Solot – presidente do Rio Film Commission – em entrevista exclusiva. Acesse:

http://asnamanga.com/brasil-deve-se-integrar-industria-audiovisual-latina-revela-steve-solot-ao-as-apos-celebracao-do-premio-platino-oscar-ibero-americano/

Abraço, Flávio Di Cola.

Anúncios