******NOTICIAS LATINO-AMERICANAS – No caminho entre Montevideo e Punta del Este, Ivan Trujilo, do Festival de Guadalajara, nos contou que PAUL LEDUC recebeu o PREMIO ARIEL DE OURO por sua carreira como diretor, menos de dois meses atrás, em Ciudad de Mexico (ver colagem de fotos). Na internet, vocês encontrarão o discurso que ele proferiu na festa da Academia de Cinema do México. Polêmico (e se não fosse, não viria de LEDUC!). O diretor de REED, MEXICO INSURGENTE, de FRIDA, NATUREZA VIVA e de O COBRADOR, com nosso Lázaro Ramos, merece uma retrospectiva em um de nossos centros culturais, que circule pelo país. Merece também o KIKITO DE CRISTAL, em Gramado. OUTRA BOA NOTÍCIA de Ivan Trujilo: O FESTIVAL DE GUADALAJARA vai homenagear, ano que vem, a atriz OFELIA MEDINA, a FRIDA, de Paul Leduc. ****E APROVEITEM, NO FESTIVAL DE CINEMA LATINO-AMERICANO DE SAO PAULO, AS MOSTRAS “DIVAS MEXICANAS” E “EL CINE NEGRO MEXICANO” (films de genre NOIR). Hoje, no Aeroporto Carrasco, em Montevideo, vimos JULIO BRACHO, de família de grande presença no audiovisual mexicano. Um filme do veterano JULIO BRACHO está na mostra do NOIR mexicano, em São Paulo: OUTRO AMANHECER, DE 1943. Trata-se de realização do avô do JULIO que está aqui, para a cerimonia de entrega dos PRÊMIOS PLATINO, neste domingo (com transmissão do Canal Brasil).

Enviado do Ipad de Rosário

Anúncios