FUTURO JUNHO –
Sessão com debate
+ Estreia nos cinemas do RIO

Nofoco Filmes, Instituto Moreira Salles e Arthouse,

Convidam para a sessão com debate do filme

Futuro Junho, no dia 07/07, às 19h, no IMS-RJ.

Logo após a sessão haverá debate com a diretora

Maria Augusta Ramos e o cineasta

João Moreira Salles.

O filme estreia no Rio de Janeiro no dia 07/07.

Ingressos disponíveis na recepção ou pelo site ingresso.com

(sujeitos a lotação da sala)

FUTURO JUNHO

Um filme de Maria Augusta Ramos

A cineasta Maria Augusta Ramos continua a radiografar a realidade social e política brasileira com uma câmera clínica e direta em Futuro Junho, seu mais novo documentário. André, analista financeiro; Alex, metroviário; Anderson, metalúrgico; outro Alex, motoboy: quatro homens seguidos no dia a dia particular de cada um, semanas antes da abertura da Copa do Mundo de 2014.

Se a realizadora antes construiu novas formas de olhar para os ambientes dos tribunais públicos (Justiça e Juízo), para a relação das comunidades cariocas com a polícia (Morro dos Prazeres) e para uma situação calamitosa de luta pela sobrevivência (Seca), em Futuro Junho ela estrutura uma visão múltipla sobre o dia a dia de algumas pessoas em São Paulo às vésperas do mais aguardado evento esportivo do mundo. São figuras da vida real que, ao longo do filme, expõem utopias e desilusões diante dos desafios que lhes surgem a cada instante. Entre imagens aéreas de prédios infinitos e instantes de intimidade em casa ou no trabalho, o filme se constrói na pluralidade de vivências urbanas e nos paradoxos e contradições da sociedade brasileira.

A fotografia de Camila Freitas e Lucas Barbi e a montagem de Karen Akerman auxiliam na expressividade e na distância necessárias para que Maria Augusta Ramos se aproxime de cada personagem sem, para isso, tomar seus espaços. Futuro Junho se afasta do que registra para então ficar mais perto.

Os espaços também se tornam personagens ao refletirem as personalidades dos trabalhadores em cena. O ambiente frio do mercado financeiro, o barulho ensurdecedor de uma linha de montagem, o risco das andanças de moto pelo trânsito de São Paulo ou a tensão com as forças policiais durante um movimento grevista dão a tônica do filme.

Futuro Junho, sétimo longa-metragem de Maria Augusta Ramos, sedimenta a maneira singular da cineasta de se equilibrar entre a urgência dos temas que aborda e a potência política da forma estética de seus filmes.

(Marcelo Miranda)

Anúncios