*******CINEOP 2016 — ANO XI — O média-metragem RETRATO DE CLASSE, de Gregório BACIC (na foto, o primeiro à esquerda), levado ao ar pela REDE GLOBO, nos tempos áureos do GLOBO REPÓRTER (década de 1970) teve exibição, seguida de debate, na MOSTRA DE CINEMA DE OURO PRETO. O documentário, uma das indicações do cineasta João Moreira Salles no livro ILHA DESERTA – FILMES (Publifolha, 2003), mostra o reencontro, em 1977, de alunos fotografados, em turma do curso primário, numa escola da Vila Mariana paulistana, em 1955. Na casa de um deles, passados mais de 20 anos, eles se reencontram, conversam, falam de suas vidas, sonhos e frustrações. A professora (Dona Eunice) relembra o comportamento e o desempenho escolar das crianças, agora adultas e já inseridas no mercado de trabalho. Entre elas, apenas uma, Climênia, é negra. O filme colhe depoimentos impressionantes sobre a classe média brasileira, com seus sonhos e frustrações. Mas não dá voz à jovem negra, que — pelo poucos que sabemos — deve ter concluído apenas o curso ginasial e deve exercer a função de empregada doméstica. A CINEOP reuniu, para debater o filme, além do diretor GREGÓRIO BACIC, a professora Cláudia Mesquita (UFMG), o professor Reinaldo Cardenuto (FAAP-SP) e o curador Francis Vogner dos Reis (responsável pelo Núcleo Histórico da CINEOP). O debate analisou o tema GLOBO REPORTER ANOS 70 VÊ A MODERNIZAÇÃO CONSERVADORA — RETRATO DE CLASSE, DE GREGORIO BACIC. **** Mais FLASHES sobre a CINEOP no blog ALMANAKITO.

Enviado do Ipad de Rosário

Anúncios