+ OLHAR DE CINEMA 2016: FESTIVAL
CURITIBANO DEBATE FUTURO DA
CULTURA BRASILEIRA NO
NOVO CENÁRIO POLÍTICO

+ BILHETERIAS BRASILEIRAS

+ NESTA QUINTA-FEIRA COMEÇA O

CINE CEARÁ 2016 (COM HOMENAGEM

AO CINEMA MEXICANO) + NO FINAL DO

MÊS: CINEOP (CINEMA E MEMÓRIA:

COM HOMENAGEM A EDUARDO

COUTINHO E CHICO MOREIRA)

+ REVISTA DE CINEMA 129 (EXEMPLARES

PARA NÃO-ASSINANTES NA REDE

MUNICIPAL DE BIBLIOTECAS DA

CIDADE DE SÃO PAULO) E NA

GIBITECA PAULISTANA

+ ARTIGO DE MARCOS NOBRE, NO

VALOR ECONÔMICO DE 14-06-16

+ ARTIGO DE BRESSER

PEREIRA + FAM-FLORIPA

+ OLHAR DE CINEMA 2016:

* CRITICA E CURADORIA:
debate no Olhar de Cinema 2016 reuniu os curadores (e/ou críticos) Cecília Barrionuevo, da Argentina (ela integra a equipe curatorial do Festival de Mar del Plata e co-edita a revista Las Naves Cine), o peruano John Campos Gómez (programador do Transcinema, em Lima, e colaborador de festivais como o Doc Valdívia/Chile e o Festival Radical, na Bolívia) e o brasileiro Luiz Zanin Oricchio (crítico do Estadão e autor de, entre outros livros, “Cinema DE Novo, um Balanço Crítico da Retomada). O debate teve moderação do crítico argentino Roger Koza (que escreve em várias publicações hispano-americanas, colabora com a programação do Festival de Hamburgo e programa o Ficunam-México). Um dos muitos pontos levantados pelos debatedores fixou-se na necessidade de qualificar os catálogos de festivais, de forma que sejam também espaço de reflexão crítica e não meros depósitos de fichas técnicas e sinopses de filmes. Os participantes também problematizaram conceitos como curadoria (Cecília se incomoda com o tom esnobe e até com a carga “médica” da palavra) e programação.

*****OLHAR DE CINEMA 2016:
FLASHES DA EDIÇÃO NÚMERO 5:

* Surpresa paraguaia: “A Última Terra”, de Pablo Lamar, tem a atriz brasileira Vera Valdez Barreto, do Teatro Oficina, como co-protagonista.

* Bahia (A Cidade do Futuro), Rio Grande do Sul (Eles Vieram e Roubaram sua Alma) e Ceará (O Estranho Caso de Ezequiel) representam o Brasil na competição do V Olhar de Cinema

* “Maestà, A Paixão de Cristo”, Um filme
retábulo, ou filme-instalação (França)

*FESTIVAL CURITIBANO
debate futuro da cultura
brasileira no novo cenário político

+ARTIGO DE MARCOS NOBRE, NO
VALOR ECONÔMICO DESTA SEGUNDA-FEIRA,
DIA 14-06-16, FALA (ENTRE OUTROS TEMAS) DO
IMPACTO CAUSADO PELA MANIFESTAÇÃO
DE SETE INTEGRANTES DA EQUIPE DE
“AQUARIUS”, EM CANNES.

***ARTIGO DE
BRESSER PEREIRA:
E AGORA?

http://www.bresserpereira.org.br/videoview.asp?cod=6473

+ BILHETERIAS BRASILEIRAS

+++++ 5º Olhar de Cinema
debateu futuro da cultura
brasileira no novo
cenário político

5º Olhar de Cinema debate futuro da

cultura brasileira no novo cenário político

O debate contou com a presença do ex-ministro da

Cultura, Juca Ferreira, e do ex-assessor

internacional da Ancine, Eduardo Valente

DA ASSESSORIA DE IMPRENSA

Na tarde do último domingo (13 de junho), o 5º Olhar de Cinema, em seu Seminário de Cinema de Curitiba, debateu os rumos da cultura e do audiovisual diante das mudanças políticas ocorridas nos últimos meses. O seminário, que lotou o auditório, contou com a presença de Juca Ferreira, ex-ministro da Cultura; Eduardo Valente, ex-assessor internacional da Ancine; Nelson Settanni, representante da ocupação do Iphan, e foi moderado por Aly Muritiba, cineasta e diretor do festival.

Antes de discutir o questão da cultura, Ferreira fez uma análise das perspectivas políticas do governo interino contranstando-as com as reais mudanças sociais ocorridas nos últimos anos. Questões como o protagonismos de minorias depois que uma série de mecanismos sociais foi adotada foram destacadas pelo ex-ministro.

Ferreira também lembrou que não seria possível fechar os olhos a uma situação que foi permitida pelo próprio governo, quando não se comprometeu em seguir uma agenda real de mudanças e manteve o sistema como estava, sem reforma política, com aceitação das políticas oligárquicas que ainda dominam o país e a manutenção do monopólio das comunicações. Neste ponto específico, Ferreira lembra da apresentação de um projeto formulado pelo próprio Ministério da Cultura (MinC) neste sentido, mas que não foi levado adiante por pressão de um grupo específico.

O ex-ministro destacou os atrasos já causados em pouco tempo de governo interino. “Agora todos os processos terão que ser refeitos, senão teremos décadas de retrocesso”, afirmou. Para Ferreira, o governo interino de Michel Temer quer voltar a uma realidade da qual o Brasil se afastou muito, quer o fim da democracia. “Querem algo que a gente nunca viveu, nem na ditadura militar”, disse.

Juca Ferreira fez ainda um balanço sobre o tempo que comandou o MinC e o avanço da cultura nos últimos 13 anos. Ao assumir o ministério, a produção de filmes no Brasil era de aproximadamente 10 filmes por ano e hoje se aproxima de 200.

O ex-ministro destaca que, desde o início, houve a preocupação de conversar com realizadores e conhecer políticas regionais de audiovisual que foram bem sucedidas. O resultado é uma produção mais plural, que vai além do eixo Rio-São Paulo e alcança um público cada vez maior. Ferreira destaca que o audiovisual tem a política mais bem sucedida dentro do MinC. “Hoje o cinema brasileiro já é superavitário, rende bem mais do que custa ao Estado”, afirmou Ferreira.

Eduardo Valente, ex-assessor internacional da Ancine, afirmou que as políticas pré-estabelecidas pela agência devem ser mantidas, sem sofrer influência imediatas com as mudanças do governo interino. Porém, segundo ele, com a experiência da EBC, a afirmação não pode ser tão segura como deveria.

Ao encerrar o debate, o diretor Aly Muritiba falou da importância de se debater política durante o festival. “É uma maneira de nos posicionarmos diante do atual cenário político. O Olhar de Cinema tem esse viés político e não está somente preocupado com estéticas”, afirmou.

Person

O Seminário de Cinema de Curitiba realizou, ainda na tarde de ontem, o debate Conversas sobre Person, com a presença da família do cineasta. Sua viúva, a documentarista Regina Jehá, e suas duas filhas, Domingas Person, atriz e apresentadora, e Marina Person, diretora e apresentadora, dividiram a mesa com o crítico de cinema Paulo Camargo. O debate foi moderado pelo cineasta William Biagioli.

Além de uma rápida análise da carreira de Luiz Sérgio Person, no cinema, no teatro e na publicidade, o público presente pode conhecer um pouco sobre o método de criação e sobre a inventividade do diretor, que deveria ser conhecido por muito mais gente do que é.

5º Olhar de Cinema

O Olhar de Cinema – Festival Internacional de Curitiba começou suas atividades como um evento internacional de cinema independente. Em 2016 chega a sua 5a. edição exibindo cerca de 100 filmes de todo o mundo a um público de mais de 18 mil pessoas.

Site: www.olhardecinema.com.br

Data: de 8 a 16 de junho

Valor: R$ 8 (inteira) e R$ 4 (meia)

Locais:

Shopping Crystal (Espaço Itaú de Cinema)

Rua Comendador Araújo, 731 – Batel

Curitiba-PR

Shopping Novo Batel

Alameda Dom Pedro II, 255 – Batel

Curitiba-PR

Assessoria de Imprensa:

Genco Assessoria e Comunicação

Paula C. Ferraz – Paula.nferraz@gmail.com

Karina Almeida – karina.falmeida@gmail.com

Cecilia Barroso – cecilia@gencoassessoria.com.br

Telefones: 11 970678585 / 11 985565242 / 61 996772720

Se você não deseja mais receber nossos e-mails, cancele a sua inscrição.

Anúncios