+ GILBERTO GIL, SPIKE LEE + BAMBOOZLED
+ OLHAR DE CINEMA (CURITIBA)
+ CINECEARÁ (FORTALEZA) + CINEFOOT E UMA BOLA PARA SEU
DANAU + NISE, O FILME+ NUGO GIORGETTI E O FOTÓGRAFO
WALTER CARVALHO, O PAULISTA, NÃO O
PARAIBANO-CARIOCA: UGO & WALTER ASSINAM DIREÇÃO E FOTOGRAFIA
DE “UMA NOITE EM SAMPA”, QUE ESTREIA EM BREVE.

+ OLHAR DE CINEMA + CINE CEARÁ 2026 + SPIKE LEE + LIVRO DE STYCER + BILHETERIAS BRASILEIRAS + “NISE”
SE APROXIMA DOS CEM MIL INGRESSOS + O ABRAÇO DA SERPENTE: QUASE 30 MIL + PREMIO PLATINO EM PUNTA DEL ESTE + STEFAN WOHL, CINEASTA AUSTRIACO-BRASILEIRO + ELIANE DIAS NA REVISTA CULT

********FLASHES TARDIOS DO

CINE PE 2016 (RECIFOLINDA)

+ OLHAR DE CINEMA (CURITIBA):
FILMES SELECIONADOS

+ CINE CEARÁ 2016 (ANO 26): SELEÇÃO
E HOMENAGEM AO MEXICO

+ CINEFOOT E UMA BOLA PARA SEU DANAU

+ MAURICIO STYCER LANÇA
“ADEUS CONTROLE REMOTO”
(Uma Crônica do Fim da TV Como a Conhecemos):
nesta segunda-feira, 19h00, na Livraria Blooks, no
Shopping Frei Caneca, SP (a partir das 19h00).

+ SPIKE LEE – SERIE DIRETORES:
No Canal Curta!: mais duas reprises. Depois
de assistir (pela segunda vez) ao programa,
fiquei com uma vontade imensa de assistir aos
filmes do cineastas. Em especial os que mais amo:
. O mais mais: Bamboozled – A Hora do Show (2000)
. Febre na Selva (1991)
. Faça a Coisa Certa (1989)
. O Plano Perfeito (2006)
.
****** + ELIANE DIAS (MANO BROWN) + EBC (CARTA DE TEREZA CRUVINEL + NOTA DO CONSELHO + NOTA DA FENAJ)

+ CADERNO DE CINEMA (EDITADO POR
JORGE ALFREDO GUIMARÃES)

*****PREMIO AFRICA-BRASIL

Biblioteca Mário de Andrade

recebe XI edição do Prêmio África Brasil

Na próxima segunda-feira, dia 23 de maio, às 19h00, acontece na Biblioteca Mário de Andrade o XI Prêmio África Brasil, evento internacional que irá premiar empresas e governos que se destacam com projetos e ações sociais voltadas para a inclusão sociocultural e ambiental dos afrodescendentes.

Realizada pelo Centro Cultural Africano, a cerimônia comemorará o “Dia da Luta pela independência da África”, data intitulada pela ONU em 1972 como “Dia da Libertação da África” e “Década Internacional do Afro Descendente”.

SERVIÇO — XI Prêmio África Brasil – Data: 23 de maio – Local: Biblioteca Mário de Andrade – Endereço: Rua da Consolação, nº 94 – Centro – São Paulo – Informações: 3775-0002. Gratuito

+ BILHETERIAS BRASILEIRAS

+ NISE, O FILME (QUASE 100 MIL INGRESSOS)

+ PREMIO PLATINO (INDICAÇÕES DIA 26)

+ CINE PE 2016 – FEST RECIFOLINDA (FLASHES DERRADEIROS E TARDIOS + PREMIAÇÃO: O
TRIUNFO DE TRÊS DIRETORAS, ALIÁS, QUATRO)

+ A PERDA DE STEFAN WOHL (1934-2016),
DIRETOR DE CINEMA AUSTRÍACO-BRASILEIRO
E CUNHADO DE GERALDO VANDRÉ

+ ELIANE DIAS (MANO BROWN)

+ EBC E RICARDO MELO
(MATERIA NESTA REMESSA)

+ BLOG CADERNO DE CINEMA

www.cadernodecinema.com.br

+ “O PÃO E A MADEIRA”, NOVA MONTAGEM
DA CIA DO LATÃO (EM AMBIENTE METALURGICO, TEATRO DA USP-MARIA ANTÔNIA)

+ EU SOU A CONCHA + VITTORIO STORARO + AQUARIUS

+ CINEMA NOVO, DE ERYK ROCHA (Cannes Classics)

+ PREMIOS PLATINO
(EM PUNTA DEL ESTE-URUGUAI)

+ EQUIPE MOACYR FENELON
(E NÃO ALINOR AZEVEDO):
Corrijo aqui erro que venho repetindo há um bom tempo e que pensava ter tirado do livro de HELENA SALEM, que biografa Nelson Pereira dos Santos: o Coletivo que realizou Rio 40 Graus (1055) e Rio Zona Norte (1957) homenageava Moacyr Fenelon (1903-1953) e não Alinor Azevedo (1914-1974). Guido Araújo, que integrou o coletivo, me corrigiu, recentemente. Ele me fez ir de novo ao livro de Helena para ver, na página 127. Lá está escrito o que é certo: a equipe (ou coletivo) levava o nome de Fenelon (fundador, junto com Alinor e Burle, da Atlântida original). Com a morte prematura dele, em 1953, nada mais natural que prestar e ele tal tributo. Alinor, felizmente, viveria para ver muitos dos filmes de Nelson…… E eu continuo esperando a edição da biografia de ALINOR AZEVEDO, escrita por Luis Alberto Mello (quem sabe pela Editora SENAC)!!!!!!

*******ESTREIA DE “PONTO ZERO”,

PRIMEIRO LONGA DE

JOSÉ PEDRO GOULART (QUE DIRIGIU O

EXCELENTE “O DIA EM QUE DORIVAL ENCAROU

A GUARDA”, COM JORGE FURTADO)

**CINE PE 2016 – ANO XX
FEST RECIFOLINDA

***CINE PE 2016 – ANO XX — VENCEDORES DO TROFEU CALUNGA: DANADO DE BOM, REDEMUNHO E MARIA

******CALUNGA “MULHER”
CINE PE 2016 – ANO XX

***TRÊS VENCEDORAS
DO TROFEU CALUNGA:

Melhor longa-metragem:
“DANADO DE BOM”, DOCUMENTARIO DE
DEBY BRENNAND (PERNAMBUCO)

Melhor curta nacional:
REDEMUNHO, DE
MARCELIA CARTAXO (Paraíba)

Melhor curta pernambucano:
MARIA, de CAROL CORREIA
(DE São José do Egito-PE)

* Um festival que premiou
três filmes dirigidos por mulheres constitui algo excepcional.
Em minha longa carreira como repórter que já cobriu centenas de edições de festivais brasileiros, não me lembro de outra ocasião em que os três prêmios principais (das três mostras competitivas) tenham ido todos para mãos femininas. Curioso notar que a equipe de DANADO DE BOM é quase 100% feminina: diretora (Deby Brennand), produtora (Mariane Brennand Fortes), montadora (Jordane Berg, parceira de Eduardo Coutinho em muitos projetos), a co-produtora (também empresária de João Silva, tema do filme, quando de seu regresso a Recife), uma das fotógrafas (Jane Malaquias). E mais: na MOSTRA PERNAMBUCO, uma jovem de 22 anos, Tauana Uchôa, competiu com dois curtas (o doc “Não Tem Só Mandacaru”, que lhe rendeu a Calunga de melhor direção, e a ficção “A Vida em Uma Viagem”).

**** O juri, em maioria composto com varões assinalados (João Batista de Andrade, Guilherme Fiúza Zenha, Odilon Wagner) e duas mulheres (a atriz Ingra Liberato e a produtora Angelisa Stein) cometeu alguns bons acertos e algumas falhas gritantes:

* Se acertou na aposta feminina, errou ao dar ‘prêmio consolação’ ao cineasta LUIZ ROSEMBERG FILHO, autor do corajoso “Guerra do Paraguay”. Se não gostaram do filme, que assumissem tal postura. No mínimo, o ousado projeto do veterano realizador merecia um Prêmio Especial do Juri. Duvido que um, que seja, dos cinco integrantes da comissão julgadora conheça a obra integral (ou metade dela) de Rosemberg, muito vasta (seus experimentos em curta-metragem — suas colagens godardianas — são inúmeros!!!. Por que então atribuir a ele um prêmio pelo Conjunto da Obra???

****** Um de meus prazeres, no CINE PE, foi participar
de debate (nunca estivera pessoalmente com ele) com
LUIZ ROSEMBERG FILHO. Inteligentíssimo, ele discorreu sobre suas ideias, deu tempo para que seus atores (Patricia Niedermeir e Alexandre Dacosta, este, também cineasta, e como seus pais, Milton DaCosta e Maria Leontina, artista plástico, ou “visual”, como prefere) e seu produtor (Cavi Borges). Fruto da Geração Meia-Oito, Rosemberg apontou dois integrantes de sua “família espiritual”, Andrea Tonnacci e Ana Carolina. E assumiu seus diálogos com “Tempo de Guerra” (Os Carabineiros, de Godard), “O Cavalo de Turim” (Bela Tarr), entre outros. Mas não vive da cinefilia pela cinefilia. Seu cinema é fincado na HISTORIA.

**** MERECIDÍSSIMOS os prêmios de melhores atores para Simone Iliescu e Felipe Kannerberg (LESTE OESTE). E curioso que em sua estreia no longa-metragem (e na ficção), o “londrinense” (nascido em Marília-SP), RODRIGO GROTA,
tenha mostrado tamanha sensibilidade na direção de atores. Autor de belos curtas que podemos chamar de documentários-poético-ensaísticos, GROTA, em sua estreia de longa duração, se não fez um filme arrebatador, mostrou que tem o que dizer e conhece seu ofício. Pena, que ainda esteja preso demais à cinefilia. Quando a vida (e ele é um observador sensível de sua cidade) fluir mais livre, ele fará filmes tão arrebatadores quanto os de Kleber Mendonça, Paulo Sacramento, Marcelo Gomes e Karim Ainouz, para ficar em quatro exemplos de gerações anteriores à sua (todos cinéfilos, mas atentos à vida).

****** Por que atribuir o Prêmio de direção a Rodrigo Gava (por “As Aventuras do Pequeno Colmbo”)? O Trofeu Calunga caíria bem melhor nas mãos de Luiz Rosemberg, cabendo, então, o Prêmio Especial do Juri (sem este papo de conjunto da obra, sempre uma “desculpa” esfarrapada – juri julga o que vê na tela do festival que o escalou) para a animação infantil produzida por Marcos Altberg.

*****O Juri atribuiu prêmios em excesso ao filme “Por Trás do Céu” (de Caio Soh). Bastavam os trofeus de atores coadjuvantes para Renato Góes (que rouba todas as cenas em que aparece) e Paula Burlamaqui. Estranho também que o filme tenha ganho o Juri Popular (continuo questionando a escolha de apenas dez pessoas para REPRESENTAR o público). Júri popular é todo mundo que compra ingresso. E, na minha percepção, o filme que levantou a galera foi o documentário DANADO DE BOM, por causa do humor, da vida dura e da “pernambucanice” de JOAO SILVA, o derradeiro parceiro de Luiz Gonzaga.

***********CINE PE 2016 — ANO XX
LISTA COM TODOS OS PREMIADOS:

************* LONGA-METRAGEM:

* DANADO DE BOM (documentário de PE) – melhor
filme, montagem (Jordana Berg), fotografia (Jane Malaquias,
Paulo Nóbrega, Pedro Von Krueger), edição de som
(Ernesto Sena e Antônio de Pádua)

. AS AVENTURAS DO PEQUENO COLOMBO (animação RJ)
– melhor direção (Rodrigo Gava), trilha sonora (Ary Sperling)

. LESTE OESTE (ficção PR)– melhor atriz
(Simone Iliescu), melhor ator (Felipe Kannenberg)

. POR TRÁS DO CEU (ficção SP) — melhor ator
coadjuvante (Renato Góes), atriz coadjuvante
(Paula Burlamaqui), Juri Popular, roteiro (Caio Soh),
direção de arte (Ana Isaura, Zeno Zonardi e Kennedy Mariano)

. GUERRA DO PARAGUAY (ficção RJ) – Prêmio da Crítica (Abraccine –
Associação Brasileira de Críticos de
Cinema), Prêmio Especial pelo conjunto da obra do diretor.

*************CURTA BRASIL:

. REDEMUNHO (ficção PB) – melhor filme,
roteiro (Marcélia Cartaxo e Virgínia de Oliveira),
ator (Daniel Porpino), Prêmio Aquisição
Canal Brasil (no valor de R$15 mil e trofeu)

. O COELHO (ficção RJ) – melhor direção (Marcello
Sampaio), atriz (Ingrid Cairo),
fotografia (Marcello Sampaio), Juri Popular

. PAULO BRUSCKI (documentário PE) – Premio da Crítica (Abraccine)

. GRAMATYKA (ficção RJ) – melhor trilha sonora
(Lívio Tragtemberg, Naná Vasconcelos e Villa-Lobos)

. O ÚLTIMO ENGOLERVILHA II (animação RJ) –
melhor montagem (Guto BR)

. DAS ÁGUAS QUE PASSAM (documentário ES) –
edição de som (Alexandre Barcelos e Felipe Mattar)

. THIS IS NOT A SONG OF HOPE (ficção PE)
– direção de arte (Hemerson Souza).

***CURTA PERNAMBUCO:

. MARIA (ficção PE) – melhor filme

. NÃO TEM SÓ MANDACARU (documentário PE)
– melhor direção ( Tauana Uchôa)

. DIVA (ficção PE) – Juri Popular

PREMIO AQUISIÇÃO CANAL BRASIL
(NÚMERO 179) PARA O CURTA PARAIBANO
“REDEMUNHO”, DE MARCELIA CARTAXO

*********CINE PE 2016 — ANO XX (FEST RECIFOLINDA) – Juri formado por Júlio Cavani (Diário de Pernambuco), Ismaelino Pinto (O Liberal, Pará), Fabiano Ristow (O Globo), Edu Fernandes (Preview Brasil), Orlando Margarido (Carta Capital), Luiz Zanin Oricchio (Estadão) e Maria do Rosário Caetano (Revista de Cinema) atribui o PREMIO AQUISIÇÃO CANAL BRASIL ao curta-metragem paraibano REDEMUNHO, de Marcélia Cartaxo, recriação de conto homônimo do escritor Ronaldo Correia Brito. O filme fez jus a trofeu e a prêmio em dinheiro no valor de R$15 mil. **********No final do ano, depois que JURIS do CANAL BRASIL escolherem os melhores curtas de doze festivais brasileiros, REDEMUNHO e os outros onze selecionados participarão do PRÊMIO O MELHOR DOS MELHORES (no valor de 50 mil reais). O PRÊMIO AQUISIÇÃO CANAL BRASIL é o mais duradouro do país, na categoria. Já foram realizadas 179 edições e distribuídas premiações em dinheiro que ultrapassam os R$3 milhões. **** MAIS FLASHES SOBRE O CINE PE 2016, NO ALMANAKITO

***FESTIVAIS (MAIO E JUNHO)

+ CINEFOOT COMEÇA HOJE,
DIA 19, NO RIO DE JANEIRO: ENTRE OS
SELECIONADOS, “UMA BOLA PARA SEU DANAU”, DE EDUARDO SOUSA LIMA. ATÉ DIA 24 DE MAIO. NO SEGUNDO SEMESTRE, EM SUA ITINERÂNCIA
NACIONAL, O FESTIVAL CHEGA A SÃO PAULO

+ FESTIVAL GUARNICÊ 2016 – ANO XXXIX – EM SÃO
LUIZ DO MARANHÃO: DE 6 A 11 DE JUNHO

+ OLHAR DE CINEMA 2016 – ANO V (FESTIVAL INTERNACIONAL DE CINEMA DE CURITIBA)

+ CINE CEARÁ 206: LONGAS IBERO-AMERICANOS, CURTAS NACIONAIS, MOSTRA OLHAR DO CEARÁ + HOMENAGEM AO MEXICO, COM EXIBIÇÃO DE 18 LONGAS-METRAGENS

+ FAM – FLORIPA (FESTIVAL DE CINEMA DO
MERCOSUL): DE 17 A 24 DE JUNHO

+ CINEOP — MOSTRA CINEMA E MEMORIA,
EM OURO PRETO (MINAS GERAIS), DE

*******************
5º OLHAR DE CINEMA – ANO 5
FESTIVAL INTERNACIONAL
DE CINEMA DE CURITIBA

www.olhardecinema.com.br

*******************
CINE CEARÁ 2016
divulga 39 curtas
selecionados para Mostra
OLHAR DO CEARÁ.
Mais informações:

www.cineceara.com.

******************************************************

*** 5º OLHAR DE CINEMA – ANO 5
FESTIVAL INTERNACIONAL
DE CINEMA DE CURITIBA

www.olhardecinema.com.br

. Mostras competitivas

. Homenagem ao argentino Matías Piñeiro (o realizador

ministrará masterclass)

. Homenagem à memória de Luiz Sérgio Person.

. Mostra Olhares Clássicos (Núcleo Histórico)

. Mirada Paranaense

FILME DE ABERTURA

OPERAÇÃO AVALANCHE | OPERATION AVALANCHE, de Matt Johnson (2016) *Estreia latino-americana

FILME DE ENCERRAMENTO

A COMUNIDADE | THE COMMUNE, de Thomas Vinterberg *Estreia Brasileira

5º Olhar de Cinema divulga lista de filmes selecionados

Descobertas, clássicos e exibições especiais fazem parte da programação do festival, que acontece de 8 a 16 de junho em Curitiba

Sempre preocupado com o futuro do

cinema, mas sem se esquecer do passado, o 5º Olhar de Cinema – Festival Internacional de Curitiba montou uma seleção especial para a edição deste ano.

De 8 a 16 de junho na capital paraense.

Anúncios