*********CINE PE 2016 — ANO XX — FEST RECIFOLINDA — O cineasta RODRIGO GROTA, autor de bela Trilogia do Esquecimento (SATORI USO, BOOKER PITMAN, HARUO OHARA) e de mais oito curtas e médias-metragens (muitos deles feitos para TV) mostrou no Cine São Luiz, em Recife, seu primeiro longa-metragem, LESTE OESTE. O filme, uma produção 100% paranaense, ou melhor londrinense (só o som foi feito em Curitiba) mostra um piloto, Ezequiel (interpretado com densidade e silêncios pelo gaúcho FELIPE KANNENBERG) regressa à sua cidade natal, após ausência de 15 anos, para disputar uma última corrida. Neste regresso, ele reencontrará Stela (SIMONE ILIESCU, num papel sensual e ousado), um antigo affair amoroso. Reencontrará também Ângelo (vivido pelo jornalista político, ex-Folha de S. Paulo, JOSÉ MASCHIO, o Ganchão), seu pai, com quem mantém relação difícil, e um sobrinho (ou filho?), o adolescente Pedro (Bruno Silva), que gasta boa parte de suas energias nas pistas de corrida. O jovem sonha ser piloto, como Ezequiel. Rodado integralmente em Londrina, o filme utiliza a prova das 500 Milhas, tradicional evento esportivo do rico município paranaense (de 500 mil habitantes). O filme tem o cineasta e professor universitário GROTA em posições-chave (diretor, roteirista e montador). No debate do longa, ele contou que montar LESTE OESTE lhe pareceu algo natural em tempo de imenso avanço das tecnologias digitais. “Quando dirigi SATORI USO, lançado em 2007, gastei R$50 mil em finalização fora do Paraná. Hoje, realizamos um longa-metragem com dois editais da Prefeitura de LONDRINA para curtas-metragens. Com R$140 mil e imenso apoio da população (e de muitos integrantes da equipe técnica que trabalharam a preços simbólicos) foi possível realizar um filme de baixíssimo orçamento. Na direção de fotografia está GUILHERME GERAIS, que formou-se como assistente de Carlos Ebert, responsável pelas imagens da TRILOGIA DO ESQUECIMENTO. “Guilherme fez uma viagem ao Leste Europeu e chegou até a Turquia. Lá, com uma câmara e uma moto registrou o plano estradeiro que abre o filme”. O adolescente BRUNO SILVA foi escolhido para interpretar PEDRO por sua fotogenia, semelhança com o “tio” Kannenberg e por ser, na vida real, um garoto de LONDRINA cujo maior sonho é tornar-se, na vida real, piloto de corridas. Seu pai é dono de oficina, onde são construídos motores para carros de corrida, e foi usada como um dos cenários do filme. GROTA lembrou que sua trajetória como documentarista alicerçou sua estreia no longa ficcional. Embora seja o mais conhecido e reconhecido dos cineastas de LONDRINA, Rodrigo Grota nasceu em Marília (17-09-1979), no interior de São Paulo, terra do fotógrafo DIB LUTFI e do cineasta (e compositor) SERGIO RICARDO. Cinéfilo apaixonado, o jovem realizador ficou feliz quando um curador francês definiu seu novo filme como “um western urbano de fantasmas”. Neste exato momento, GROTA trabalha em três novos projetos de longa-metragem (todos, garante, de baixo orçamento): um western ambientado no Mato Grosso (SERTÃO DE SANGUE), para o qual já soma energia paranaense e matogrossense e vai buscar parceria na BOLIVIA; uma parceria com Argentina e Uruguai (TANGO, CHUVA E SILÊNCIO) e um filme com personagem feminina forte, inspirado em sua própria mãe (DESENCANTO). ******. MAIS FLASHES SOBRE O CINE PE 2016, NO ALMANAKITO.

Enviado do Ipad de Rosário

Anúncios