CINE PE 2016 — FEST RECIFOLINDA — O documentário DANADO DE BOM, de Deby Brennand, é o representante de Pernambuco na competição de longas-metragens do CINE PE. Exibido na noite de quinta-feira, 6 de maio, no Cine São Luiz, o filme causou frisson e foi aplaudido de pé por platéia eufórica com o humor e palavreado de JOÃO SILVA (1935-2013), parceiro do Luiz Gonzaga em sua fase derradeira. Nos anos 1980, a dupla compôs 84 músicas, entre elas a que dá título ao filme. A carreira do Rei do Baião, que estava em baixa, revigorou-se com os forrós pé-de-serra do irreverente e intuitivo compositor e fez subir as vendagens de disco do astro nordestino. DEBY, que contou com a produção da prima Marianna Brennand Fortes, sobrinha-neta do artista Francisco Brennand, acompanhou João desde 2008. Sentida, ela contou no debate de filme, que o derradeiro parceiro de Luiz Gonzaga sonhava ver o filme pronto, mas não foi possível, pois ele morreu em dezembro de 2013. Mas sua memória está assegurada por um livro biográfico, por suas 300 composições gravadas (além de Gonzaga, seus forrós e canções românticas foram cantados por Elba Ramalho, Lenine & Frejat, Dominguinhos Trio Nordestino, Marinês, Zeca Baleiro, Mariana Aidar, Gilberto Gil e Genaro) e, claro, pelo filme, que iniciou sua trajetória publica no Festival É Tudo Verdade (mostra O Estado das Coisas) e agora participa da competição do CINE PE. Sua chance de vencer o juri popular é significativa. E o trofeu CALUNGA de melhor montagem para a craque Jordana Berg, fiel colaboradora de Eduardo Coutinho, parece certo e seguro. DEBY também integra o poderoso clã Brennand: ela é neta do escultor-ceramista-e-empresário pernambucano. Na primeira foto: Jordana, Debby e Marianna. Na segunda, o co-roteirista J. Zacharias e a co-produtora associada, Roberta Jansen. Na terceira, a equipe principal do filme. Na quarta, a montadora Jordana Berg. *** MAIS INFORMAÇÕES SOBRE O CINE PE, NO ALMANAKITO.

Enviado do Ipad de Rosário

Anúncios