**********CINE PE 2016 – ANO XX (RECIFOLINDA) — O
documentarista pernambucano Raoni Moreno (foto) perdeu a oportunidade de realizar, com SOBERANOS DO CONGO, um belo filme. Afinal, colheu ótimos depoimentos, contou com excelente fotógrafo (Mariano Maestre), criou cumplicidade com integrantes de Nações que se dedicam, em Olinda, ao Maracatu de raiz. Autor de um documentário — Gigantes — sobre O Homem de Meia-Noite, Raoni acabou deixando suas belas imagens e depoimentos reveladores em segundo plano, para sobrecarregar o filme (de 22 minutos) com pesada narração em off. Resultado: o documentário ficou parecendo um programa televisivo sobre uma das mais fortes manifestações da cultura afro-brasileira, os Maracatus. E acabou selecionado apenas para a competição pernambucana do CINE PE. Material para fazer um curta que acredita na potência da imagem e na força dos ricos depoimentos que colheu, ele tem. Se não for teimoso.

Enviado do Ipad de Rosário

Anúncios